Home»Destinos Internacionais»Suíça»Berna»O que fazer em Berna, a charmosa capital da Suíça

O que fazer em Berna, a charmosa capital da Suíça

0
Shares
PinterestGoogle+

Estávamos em Montreux e fomos conhecer a capital do país, optando por pernoitar uma noite no destino. Apesar de não ter tantas atrações turísticas na cidade, vou reunir nesse post o que fazer em Berna.

A cidade, como muitas da Suíça, tem como principal atrativo ela mesma: trata-se de uma cidade medieval Patrimônio Mundial da Unesco. É a capital do país e possui pouco mais de 130 mil habitantes, com um “quê” de cidade de interior, não  de capital. O clima pacato, charmoso e com paisagens medievais, fazem dela um lugar pitoresco.

Nos hospedamos no Savoy Berna, um hotel 4 estrelas maravilhoso e super bem localizado, que dispensa transporte público e fica perto da estação de trem, facilitando o deslocamento na chegada e na partida. Além disso, nosso quarto era bem amplo, limpo, super moderno, cama confortável, banheiro com bons amenities e Nespresso à vontade.

Fizemos check-in e fomos perambular pela cidade. Fazia muito frio no dia que fomos e acabou chuviscando, o que complicou um pouco os passeios a pé.

Rumamos pra Torre do Relógio (Zytglogge), um dos principais pontos de interesse da cidade. Esse relógio medieval data de 1405 e incrivelmente toca de hora em hora desde então. Naquela época, a cidade havia sido destruída por causa de um incêndio, e seus moradores decidiram refazê-la, ocasião em que colocaram um relógio na torre.

Visita guiada à Torre do Relógio
Visita guiada à Torre do Relógio

Lembra bastante o relógio de Praga, sendo o de Berna um pouco mais antigo. Assim como o de Praga, há uma pequena encenação a cada troca de horas, sendo sempre quatro minutos antes da batida de cada hora, com as figuras do relógio que se movimentam.

Torre do Relógio de Berna
Torre do Relógio de Berna

Seguem algumas curiosidades sobre o relógio, segundo Christine Mosimann, guia turística oficial da cidade:

O grande ponteiro faz a marcação das 24 horas do dia, o ponteiro da estrela dá o mês e a data. No século XV, outubro era chamado de “Weinmonat”, o mês do vinho. Os painéis mais escuros na parte traseira indicam a época do nascer e do pôr-do-sol, enquanto um outro ponteiro mostra que época do zodíaco nós estamos. Também temos um outro ponteiro que mostra as diferentes fases da lua.

Zytglogge
Zytglogge

Como já era de se esperar, tudo acontece em volta da torre. Dezenas de lojinhas, chocolaterias, queijarias, e dezenas de fontes medievais.

Aproveite pra conhecer a Chocolateria Laderach, imperdível!
Aproveite pra conhecer a Chocolateria Laderach, imperdível!

Ali pertinho ninguém menos que Albert Einsten morou entre 1903 e 1905, quando desenvolveu a Teoria da Relatividade. A casa onde ele morava é aberta ao público (ingresso 6CHF), mas pro meu azar, quando eu lá estava, o local estava fechado pra visitação, pois não costuma abrir na última semana de dezembro.

Verifique o calendário de 2018 e 2019:

Calendário 2018 - Casa de Einsten
Calendário 2018 – Casa de Einsten
Calendário 2019 - Casa de Einsten
Calendário 2019 – Casa de Einsten
Casa de Einsten
Casa de Einsten

Fonte é algo sério em Berna, e durante sua estadia você encontrará várias delas. A cidade conta com mais de 100, sendo que muitas ainda são do período medieval. Elas estão espalhadas por toda a cidade e sempre rendem boas fotos. 🙂

Berna e suas fontes
Berna e suas fontes

Conhecemos também a Catedral de Berna, ou pelo menos sua frente. Não sei porque estava fechada no dia em que estivemos lá, mas ainda assim deu pra ver que se trata de uma bela obra de arte gótica. Vejam os detalhes da fachada:

Catedral de Berna
Catedral de Berna
Catedral de Berna
Catedral de Berna

Continuamos nosso passeio até o Parque dos Ursos (Bärengraben), seguindo pela rua principal, uma charmosinha rua cheia de fontes, no sentido contrário à Torre do Relógio.

O que fazer em Berna: Caminhar sem rumo pelas suas ruelas...
O que fazer em Berna: Caminhar sem rumo pelas suas ruelas…

Caminhamos um pouco às margens do Rio Aar, que corta a cidade, e nos deslumbramos com paisagens dignas de conto de fadas: beleza natural, construções antigas, cores e muita beleza.

Rumo às margens do Rio Aar...
Rumo às margens do Rio Aar…

É necessário descer uma escadaria grande pra caminhar às margens do rio e ver os ursos, e há um elevador ao lado pra levá-los pra cima caso não queiram enfrentar a escada na subida.

Eu fui no inverno, então consequentemente os ursos estavam hibernando. Curiosamente havia um acordado, que não demorou muito se recolheu. Não é possível chegar pertinho deles e tocá-los (nem que pudesse eu não arriscaria rs).

Parque dos Ursos (Bärengraben)
Parque dos Ursos (Bärengraben)
A paisagem vista do Parque dos Ursos
A paisagem vista do Parque dos Ursos

Se tiverem disposição, sugiro que peguem o tram 12 até a parada Schosshalde, e de lá peguem o tram 40 até o Rosengarten (Parque das Rosas). As rosas estão abertas por poucos dias no ano, por isso talvez não compense ir até lá no inverno. Acho que na primavera deve ser um passeio bem bacana, pois o Parque fica localizado no alto de uma colina, que proporciona uma vista privilegiada da cidade.

Bônus: Onde comer em Berna

Durante nossa estadia em Berna conhecemos um restaurante muito bacana e que vale a pena incluir aqui no seu roteiro. Chama-se Kornhauskeller e está localizado numa galeria subterrânea perto da Torre do Relógio.

O estabelecimento serve comida italiana e é maravilhoso em tudo: atendimento impecável, comida super saborosa, ambiente espetacular. Ao entrar já tomamos um susto, pois é de fato muito bonito: estilo barroco, lustres clássicos, diversos afrescos antigos no teto e luz de velas, excelente pra um jantar mais romântico.

O preço não é dos mais baratos, mas nenhum lugar é barato nesse país kkk. Gastamos aproximadamente 90 francos por dois pratos principais, duas taças de vinho e uma sobremesa. E valeu muito a pena! 🙂

Onde comer em Berna: Kornhauskeller
Onde comer em Berna: Kornhauskeller
Onde comer em Berna: Kornhauskeller
Onde comer em Berna: Kornhauskeller

CONTINUE LENDO:

Agradecimentos à querida Eliana, do Instagram @turistandonasuica, que muito me ajudou na elaboração do roteiro.

Post anterior

O que vale a pena comprar em Madrid?

Next post

Natal dos sonhos: O que fazer em Zermatt

Sem comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.