Home»Destinos Internacionais»Uruguai»Montevidéu»O que fazer em Montevidéu: Dicas e informações sobre a cidade

O que fazer em Montevidéu: Dicas e informações sobre a cidade

0
Shares
PinterestGoogle+

Estive em Montevidéu no verão, quando fui passar o revéillon em Punta del Este. Indo na contramão da maioria das pessoas que optam por não dormir na capital do país, optei por dormir duas noites, e três acho suficiente caso queira fazer passeio às vinícolas próximas à cidade.

Segundo a consultoria Mercer, Montevidéu desponta em primeiro lugar como a cidade com maior qualidade de vida da América Latina, e isso é bastante perceptível até enquanto turista. Achei o país como um todo um ótimo destino pra passear e principalmente pra viver, haja vista a infraestrutura, segurança incomparável ao Brasil e clima ameno, com temperatura anual média na casa dos 16°C.

Em relação à segurança, achei tudo muito tranquilo e em momento nenhum me senti ameaçada, nem com os flanelinhas que – como no Brasil – pedem dinheiro pra “olhar” o carro. Diversas vezes não demos e em hora nenhuma nos sentimos intimidados ou algo parecido. Além disso andávamos com câmeras penduradas no pescoço, bolsa e muitas vezes à noite, quando voltávamos de algum jantar. Óbvio que procurávamos ter cuidado e ficar atentos, mas a minha experiência foi super positiva. 🙂

O país parece estar à frente dos outros da América do Sul não só no quesito qualidade de vida, mas em vários outros. Quando ninguém no Brasil sequer falava em casamento gay lá já era uma realidade, a maconha foi descriminalizada (apesar de não ser a casa da mãe Joana como imaginamos – e já já falo disso), o aborto é permitido e até mesmo a polêmica eutanásia. O curioso é que apesar do país ser um tanto quanto progressista, não vi ninguém se drogando no meio da rua, não vi desordem e nada fora do normal.

Atenção: Apesar da maconha ser liberada, ela é liberada apenas para os locais, sendo terminantemente proibida para os turistas, o que faz com que o país não atraia esse tipo de turismo, como acontece na Holanda. Caso o turista seja pego portando ou usando a droga, pode ser preso.

Agora, depois de ler esse panorama geral, falemos de turismo! 🙂 Como a cidade não tem uma lista muito extensa de pontos turísticos pra conhecer, sugiro que se hospede num bom hotel, pois se o tempo fechar pelo menos você terá o próprio hotel pra curtir. Na ocasião fiquei no Dazzler, que adorei e que rendeu um post completo sobre a experiência.

Logo que cheguei no Aeroporto de Carrasco, na capital uruguaia, comprei um chip de internet na Antel com zero burocracia. Achei o preço bem mais interessante que qualquer outra opção que havia pesquisado (UYU 220 – menos de R$30), e ter um chip era indispensável porque precisaríamos usar o GPS, mapa e coisas relacionadas a viagem. Comprei e já coloquei no celular, e começou a funcionar na hora.

Caso queira a praticidade de já sair com um chip de internet do Brasil você pode comprar o da Easysim4u, que chega no seu endereço no Brasil.

Aluguei um carro na empresa Punta Car com alguns meses de antecedência e confesso que foi bem difícil. Como eu viajaria na altíssima temporada, na véspera do revéillon, os preços estavam altíssimos e as opções muito disputadas. Como viajar de ônibus não era uma opção por preferir mais liberdade para os deslocamentos, tive que me render à locação de carro. Paguei com antecedência, em reais, e fiquei mais tranquila.

O único problema dessa empresa – e que pode gerar sensação de insegurança – é que não há um quiosque dentro do aeroporto, e o contato por telefone também não é dos melhores. Por esse motivo tente não se atrasar pra retirar o carro, pois o funcionário da empresa se baseia no horário que você informou na reserva pra entregar o carro. Um funcionário costuma encontrar os clientes no saguão em frente ao balcão de informações do aeroporto, e pro nosso azar ele não utiliza crachá e nada que identifique que é da empresa (outro ponto negativo). Tivemos que ir na cara e na coragem, recebemos as chaves e pronto. Pra devolver, a mesma coisa: marcamos um horário e um funcionário vai ao aeroporto receber o veículo.

O carro que alugamos estava em ótimas condições, super novinho e confortável. Além desses pontos que mencionei, não tenho mais nada a reclamar da empresa.

Caso queira orçar aluguel de carro de empresas mais conhecidas e com guichês dentro do aeroporto, sugiro que reserve na Rent Cars, que você paga em reais. Reservando por esse link o preço não muda e você faz com que o blog ganhe uma comissão pelo serviço. 🙂

Pra entrar no Uruguai o visitante brasileiro não precisa de visto, muito menos de passaporte. Até pode levar caso queira colecionar mais um carimbo, mas o RG já é suficiente. Outros documentos de identificação, entretanto, não são aceitos (CNH, Crea, etc).

A moeda do país é o peso uruguaio, menos valorizado que o real brasileiro. Quando comprei, na cotação da casa de câmbio em Punta Carretas, recebi UYU7,50 em cada R$1.

Apesar de parecer algo positivo, as coisas no Uruguai são super caras, ultrapassando até grandes metrópoles como Rio e São Paulo. Não espere gastar pouco, mesmo que compre coisas em supermercados pra baratear as refeições, pois até os supermercados são caros, exceto os produtos locais.

Supermercado no Uruguai
Quanto gastar no Uruguai

Ainda falando sobre câmbio, sugiro que não troque muito dinheiro e ative seu cartão de crédito pra uso no exterior, pois ao contrário da maioria dos lugares no Uruguai é muito vantajoso utilizar o cartão de crédito, mesmo com a cobrança do IOF de 6,38%.

Ué? Por que isso ocorre?

Visando atrair e baratear a vida dos turistas, 22% do que você compra em restaurantes e hotéis é devolvido parcialmente para o cliente não-residente, e a emissora do cartão já inclui o desconto no extrato de conta. No meu caso, como pagava com cartão da bandeira Mastercard, o desconto já vinha descrito na nota fiscal automaticamente. Ou seja, mesmo acrescentando 6,38% do IOF, o desconto ainda assim era atraente.

Então fica a lição: Por conta da isenção de IVA, cartão de crédito no Uruguai é o que há! (até rimou). 🙂

OBS: Esses benefícios estão em vigor até o dia 30 de abril de 2019, posteriormente se mudar algo volto aqui pra atualizar.

Como Montevidéu não é o tipo de cidade com uma lista muito extensa de coisas a conhecer, vou listar no post as atrações que mais gostei:

  • Mercado del Puerto

Localizado na Ciudad Vieja, ao contrário dos outros mercados que tem como foco a venda de produtos diversos, o Mercado del Puerto é mais um polo gastronômico que você preferencialmente deve ir para almoçar.

Churrasco no Uruguai
Parrilla uruguaia
Mercado del Puerto Montevidéu
Mercado del Puerto
Restaurante Mercado do Porto Montevideu
El Palenque

Na ocasião almocei no El Palenque, o mais famoso restaurante de parrilla. O ambiente é bem informal. Puxe uma cadeira e sente junto ao balcão pra olhar a parrillada sendo feita. Pedimos uma picanha e um entrecot e gastamos mais ou menos R$200,00. Pra acompanhar, peça um medio a medio, que é um espumante com vinho branco muito comum no país.

Apesar de turistão, achei a carne bem saborosa, assim como o atendimento eficiente tratando-se de Uruguai.

Pra comprar não recomendo que gaste seus pesinhos no mercado. Achei tudo muito caro, sem exceção. Vá apenas pra conhecer e caminhar pelas redondezas, como no próximo ponto que vou falar:

  • Mercado de Artesanía

Apesar de não ter lido em nenhum blog sobre o local, sugiro que emende uma visita a esse mercado quando conhecer o Mercado del Puerto, pois fica bem ao lado. Dezenas de artesãos do país expõe suas obras no local, com os mais variados preços e estilos. A atração é ótima pra quem aprecia arte e especialmente pra quem quer conhecer um pouco do trabalho dos locais.

Mercado de Artesanía
Mercado de Artesanía – Montevidéu
  • Shopping Punta Carretas

Apesar de ser só um shopping, nele tem algumas coisas interessantes que merecem destaque. A primeira delas é a possibilidade de ir numa casa de câmbio à noite ou aos finais de semana, ao contrário das lojas de rua, que geralmente funcionam em horário comercial. Além disso, há um supermercado maravilhoso chamado Disco Fresh Market bem juntinho do shopping, com estacionamento próprio, que merece muito a ida. E, por último, vale a pena fazer um lanchinho na filial da Confiteria Carrera, uma das mais tradicionais da cidade. Experimente o masini, doce típico do país que faz bastante sucesso.

Masini
Masini na Confiteria Carrera
  • Pôr do sol no letreiro de Montevidéu

Pôr do sol no Uruguai é coisa séria, e não teve um dia sequer durante minha viagem que não fosse diferente. Localizado no bairro de Pocitos, mais especificamente na Rambla Republica del Peru, o famoso letreiro é parada obrigatória pra quem visita a cidade.

Caso queira fugir do amontoado de turistas que desembarcam em ônibus enormes e formam filas pra tirar uma foto, sugiro que vá cedo. Eu, na ocasião, fui no horário do pôr do sol e também de manhã cedo.

O pôr do sol de lá é espetacular, pois como fica um pouco no alto temos uma vista linda do sol se pondo na praia. É ali que os uruguaios sentam à grama, tomam chimarrão e se divertem com muita simplicidade.

Sunset Montevideo
Pôr do sol em Montevidéu
letreiro de Montevidéu
Um pouco do pôr do sol no letreiro de Montevidéu
Letreiro de Montevideu
Letreiro de manhã, antes dos ônibus de turismo chegarem
  • Bate-volta em alguma vinícola

Esse passeio que fizemos não foi bem um bate-volta, pois como estávamos viajando de carro pelo país aproveitamos que passaríamos em frente à Vinícola Bouza retornando de Colonia del Sacramento e decidimos parar pra conhecer.

Como estávamos de carro e eu não ia ficar bebendo sozinha decidi não fazer o tour com degustação pela vinícola, apenas percorremos os vinhedos, conhecemos a loja e almoçamos no restaurante, que já valeu o passeio. Apesar de ter viajado na alta temporada, contei com a sorte e não fiz reserva no restaurante, o que foi bem arriscado mas que no final deu certo. 🙂

A vinícola é bem bonita, de alto padrão e requintada. O restaurante não poderia ser diferente. Bem decorado, aconchegante e confortável, fomos muito bem atendidos no estabelecimento. Pra almoçar, meu marido optou por carne vermelha (UYU700) e eu por uma lasanha (UYU 500), que estava excelente. Pra acompanhar, tomei um vinho produzido na própria vinícola (UYU220/taça). Não é dos restaurantes mais baratos, mas pela experiência vale a pena.

Vinícola Bouza
Restaurante da Vinícola Bouza
Vinícola Bouza
Vinícola Bouza – Montevidéu
Uva Uruguai
A uva mais comum na região se chama Tannat
uvas da vinícola Bouza
Plantação de uvas na vinícola Bouza
Onde comer em Montevidéu
Prato principal do Restaurante da Vinícola Bouza

As visitas guiadas tem duração de aproximadamente 45 minutos e acontecem de segunda a sábado, nos seguintes horários: 10:30 – 11:30 – 13:30 – 16:00h. Caso o visitante faça degustação ou almoce no restaurante, a visita guiada não tem custo, caso contrário, custa UYU 490 por pessoa.

Já para a degustação, o processo inclui 4 vinhos, sendo 1 branco e 3 tintos, harmonizado com tapas. A brincadeira custa UYU 1.200 por pessoa. Caso queira fazer esse tipo de passeio, diversas empresas oferecem o serviço saindo de Montevidéu, o que é mais indicado pelo fato da tolerância ser zero pra dirigir após ingerir álcool. Lembrando que para a ida há também a opção de ir de Uber.

A bodega fica a apenas 23 km da região hoteleira de Montevidéu e pela proximidade é o passeio perfeito pra um dia de vinícola.

  • Jantar no Restaurante Francis

De todos os restaurantes que jantei em Montevidéu, esse sem dúvidas foi o melhor em tudo. Localizado em Punta Carretas, possui ambiente confortável, bem decorado, atendimento nota 10, apresentação dos pratos excelente, assim como o sabor e a experiência positiva como um todo, o que fez com que eu colocasse o restaurante como visita obrigatória aqui na minha lista.

Pra jantar pedimos uma picanha de cordeiro e um churrasco com Dijon que estavam perfeitos. Além dos principais, a sobremesa foi um Bavaroise de café com Baileys, que também estava divino. Além do sabor, a apresentação surpreendeu: era de comer com os olhos. Pra acompanhar tanta comilança, uma garrafa de vinho tinto uruguaio. Como nem tudo são flores, espere gastar algo em torno de R$400 pra um jantar desse (casal).

Comer em restaurantes no Uruguai é algo que geralmente é caro, e esse restaurante, por estar no top 10 no Trip Advisor, não seria diferente.

Restaurante Francis
Onde comer em Montevidéu: Restaurante Francis
  • Fazer a visita guiada do Teatro Solís

Inaugurado em 1856, o Teatro Solís foi inspirado em grandes teatros italianos, e conta com grande programação cultural na cidade. Pra quem não tem muito tempo mas pretende conhecê-lo mesmo assim, sugiro que faça a visita guiada, que ocorre diariamente, exceto às segundas, quando o teatro é fechado pra visitação.

O tour guiado acontece em inglês, português, espanhol e francês a um custo de UYU 90 por pessoa, pago somente em dinheiro. Caso queira economizar, às quartas a visita é gratuita.

Achei o passeio bem interativo e nada monótono, contando não apenas com um guia especializado no teatro como também com uma equipe de atores que iam encenando historinhas ao longo do tour.

Recomendo que acesse o site oficial pra verificar os horários de visita.

Teatro Solís - Montevidéu
Teatro Solís
cristais Baccarat no Teatro Solís
Lustre de cristais Baccarat no Teatro Solís
  • Conhecer a Plaza Independencia

Situada bem ao lado do Teatro Solís, recomenda-se que case as duas atrações no mesmo passeio.

A praça é enorme e rodeada de órgãos governamentais, mas o que se destaca mesmo é a grande estátua equestre de José Artigas, herói do país, cujo mausoléu fica embaixo dessa estátua.

Plaza Independencia
Plaza Independencia – Montevidéu
 Plaza Independencia
Prédios governamentais da Plaza Independencia

Outro grande destaque é a Porta de la Ciudadela, símbolo do período colonial, quando espanhóis construíram um muro para proteger aquela área que corresponde à Ciudad Vieja de invasões estrangeiras.

Porta de la Ciudadela
Porta de la Ciudadela – Montevidéu

Caminhe por ali sem pressa, até a Catedral Metropolitana de Montevidéu, que também fica perto e é muito bonita.

Centro de Montevidéu
Centro Histórico de Montevidéu
Centro Montevidéu
Centro Histórico de Montevidéu
Principal igreja de Montevidéu
Catedral de Montevidéu
O que fazer em Montevidéu
Catedral de Montevidéu

Essas foram as atrações que mais gostei de conhecer, lembrando que visitei o país durante o verão, quando as temperaturas estavam ótimas pra passeios ao ar livre.

Fiquei com ótima impressão da cidade, que apesar de não ter despertado muita curiosidade no início, no final das contas surpreendeu positivamente. 🙂

Informações importantes:

Fuso horário: -3

Voltagem: 220V

Moeda: Peso Uruguaio (UYU)

Idioma: Espanhol, mas o turista que não domina o idioma facilmente se vira com o português.

Gorjeta: 10%

Post anterior

Compras no Uruguai: O que vale a pena?

Next post

Le Bife, o restaurante do chef Erick Jacquin

Sem comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.