Home»Moradias»São Paulo»Saiba como é morar em São Paulo – SP

Saiba como é morar em São Paulo – SP

0
Shares
PinterestGoogle+

Depois de ter morado pouco mais de 5 anos em São Paulo, em 2019, por motivos de trabalho, meu marido e eu retornamos à cidade. 🙂

Vou relatar no post minha experiência de morada na Terra da Garoa e pretendo esclarecer alguns pontos que podem ser úteis pra quem pretende tentar a vida por aqui.

Estávamos morando no Rio quando viemos. Foi tudo bem rápido, mas pelo menos ainda deu pra curtir muito do verão carioca.

Procurei bairros com fácil acesso ao metrô e ao centro financeiro da cidade, haja vista que o trabalho do meu marido seria na região da Faria Lima.

Pesquisei apartamentos em vários sites, em especial no Quinto Andar, empresa que tem feito bastante sucesso por aqui. Meu objetivo não é fazer propaganda da plataforma, então sugiro que deem uma olhada por conta própria pra entender o que tô falando. 🙂

Visitei mais ou menos 50 apartamentos até achar o que aluguei, na região da Paulista.

O preço já não era aquele de antigamente, estando mais caro até que o Rio. Óbvio que o preço varia bastante de bairro pra bairro, mas tenha em mente que se optar pelos melhores bairros terá que desembolsar uma bolada.

Se fosse fazer uma lista bem enxuta do que considero como melhores bairros para morar em São Paulo incluiria Bela Vista, Jardins (Jardim Paulista/Europa/América), Pinheiros e Moema. 

Ao contrário do Rio, cuja grande maioria dos bons bairros estão situados na Zona Sul, em São Paulo você encontra bons bairros em todas as zonas, sendo impossível listar todos aqui.

Os citados acima são os mais nobres, com fácil acesso a tudo, ótima infraestrutura, opção de lazer e um pouco mais de sensação de segurança. 🙂

Além dos acima, outros bairros nobres são Vila Nova Conceição e Itaim Bibi, onde morei temporariamente logo que cheguei, mas que particularmente não achei tão interessante por conta do acesso às outras partes da cidade. Higienópolis também é outro, mas não gosto por só ter visto apartamento decadente e já ter presenciado alguns assaltos por lá (pelo menos uns três).

Já morei no Ipiranga (Vila Monumento) e no Jaguaré, porém em ambos o quesito locomoção deixou a desejar. A realidade é que com o trânsito louco de SP depender apenas de ônibus é um tiro no pé (nenhum dos dois era perto do metrô). O quesito sensação de segurança e opção de lazer também praticamente inexiste.

Eu, particularmente, gosto de São Paulo apesar do trânsito de tirar qualquer um do sério. Gasto em média 3:30 no transporte público diariamente pra ir/voltar do trabalho, que fica em outra cidade, e isso é algo absolutamente normal por aqui, por mais bizarro que possa parecer. 

Em São Paulo se você não mora perto do trabalho ou se precisa de ônibus para chegar ao mesmo tenha em mente que esse tempo é normal. Qualidade de vida despenca, é correria 24h por dia, você dorme pouco. N fatores que desmotivariam qualquer um de vir pra cá.

São Paulo é uma cidade de grande desigualdade social, onde quem tem grana tem acesso às melhores lojas, novidades, restaurantes de alto padrão, os melhores hospitais do país, universidades particulares que disputam de igual pra igual com as públicas em termos de qualidade, e um mundo de oportunidades.

Quem não tem, a desigualdade é de matar. Hoje em dia, mais que na época que eu morava aqui, é bastante comum se deparar com muita pobreza nas ruas, ocasionada tanto pela crise econômica quanto pelo aumento no número de imigrantes que saem de seus países em busca de paz ou de uma vida melhor – e que nem sempre conseguem.

Quem vem pra São Paulo com a ideia que tem muita oferta de emprego isso é até verdade. Porém, tenha em mente que estamos falando de uma das cidades mais populosas do mundo, com 11 milhões de habitantes, então nada é tão fácil por aqui. Se você não tiver experiência profissional relevante, uma puta formação ou Q.I, você é facilmente engolido pela concorrência.

Pra ser sincera, dependendo da área nem a formação acadêmica será tão importante na hora de disputar uma vaga. Digo isso porque tenho vários amigos doutores – com formação em universidades top – e a grande maioria não têm empregos relevantes comparado às suas formações.

Em São Paulo pode-se dizer que as pessoas são mais competitivas, começam a trabalhar cedo, com carteira assinada e tudo. É uma realidade um pouco diferente do resto do país, quando muitos na universidade no máximo fazem estágios. Ao vir pra São Paulo pra vencer você vai ter que dar um duro dobrado, o ritmo é mais frenético, o padrão é mais alto e o salário nem sempre. E, por você ser de fora, vai ter que se destacar de alguma forma se quiser se sobressair.

Ser de fora é algo bem curioso em São Paulo. Muitas pessoas, até as que têm condições, não viajam, então consequentemente não tem muito conhecimento cultural do resto do país, fazendo pré-julgamentos bobos e – infelizmente – muitas vezes ignorantes sobre os demais.

Se você é do Norte ou Nordeste, em algum momento passará por isso. Pra começar, a maioria nem sabe diferenciar o que é Norte/Nordeste, com raras exceções. Tenha paciência e lembre-se do motivo que o fez sair de sua zona de conforto pra vir pra cá e siga em frente. 🙂

Opções de lazer, pra quem gosta de vida noturna, a cidade é um prato cheio. Os melhores shows são sempre aqui, grandes festivais, além de uma infinidade de bares e baladas de tudo que é tipo.

De dia não é tão interessante assim. Há alguns museus, mas considerando que você não vai a museus todo mês se já os conhece, acaba ficando tudo bastante limitado. Ir ao shopping, ao cinema e sair pra comer costumam ser as atividades mais frequentes.

Brincamos que praia de paulista é a Av. Paulista, uma das avenidas mais conhecidas do Brasil, que aos domingos é fechada para carros. Apesar de legal, não deixa de ser apenas uma avenida rodeada de prédios, mas que de forma curiosa encanta mesmo assim. 🙂

Como é morar em São Paulo
Avenida Paulista às 6 da manhã, em uma das idas para o trabalho…

Se você é uma pessoa que gosta do contato com a natureza e de belas paisagens, em São Paulo isso é bem difícil de achar. Um parque ali, outro acolá, e nada mais que isso. Leia esse outro post caso queira saber mais sobre atrações turísticas na cidade.

Confesso que quando cheguei aqui pela primeira vez, como vinha de Belém, nem estranhei essa questão. Já da segunda vez, como vim do Rio, ainda me pego buscando paisagens onde não tem – e a prainha aos finais de semana também não faz mais parte da rotina.

Apesar de tudo, a cidade é mais organizada, com ruas mais limpas, e – dependendo de onde more – mais segura. O trânsito, embora sempre congestionado, conta com motoristas mais educados. A gasolina por aqui também é mais barata, com o litro da gasolina variando entre R$3,90 e R$5, a depender da região (julho/2019).

Uma solução pra desafogar um pouco o engarrafamento por aqui foi aplicar o sistema de rodízio de veículos, quando uma vez por semana, durante a maior parte do dia, o carro não pode circular nas principais vias da cidade. O dia da semana que seu carro vai precisar ficar parado vai depender do número final da placa. Aliás, se você pretende morar perto do metrô, não recomendo que tenho carro. Além de dirigir ser bastante estressante, os estacionamentos costumam custar uma pequena fortuna.

Aos que perguntam sobre escolas, aviso de antemão que não sei me aprofundar, pois nunca estudei aqui e tampouco tenho filhos. Só sei que é caro estudar em boas escolas, é caro estudar inglês, é tudo mais caro, mas pelo menos você tem maior chance de encontrar serviços de boa qualidade.

Quanto à saúde, como em toda cidade do Brasil, é recomendável que tenha um plano privado. Os melhores costumam ser Bradesco e Sulamerica. Pra quem é idoso e não pretende ser atendido fora de SP, o Prevent Sênior também é bem falado. Morando na cidade já tive Porto Seguro, Sulamerica e atualmente tenho o Bradesco, sendo esses dois últimos de fato muito bons e com ampla aceitação. Já fiquei sem plano também e quando precisei do serviço público foi bem ruim, como era de se esperar.

A meu ver, São Paulo é o local ideal caso você queira crescer profissionalmente, a nível Brasil. Caso seja aposentado ou independente financeiramente, aqui não é o lugar ideal, pois não há qualidade de vida, além do custo de vida ser mais alto. Por esse motivo, não penso em ficar aqui pra sempre.

Enquanto essa fase não chega, só me resta agradecer. Moro num bairro bom, tenho um emprego que gosto e tenho amigos muito queridos que moram aqui, portanto, deve demorar pra eu fazer as malas de novo. 🙂

Post anterior

Morar em Portugal: Vale a pena?

Next post

Catarina Outlet: Vale a pena conhecer?

Sem comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.