Home»Destinos Nacionais»Minas Gerais»Monte Verde»Final de semana em Monte Verde – MG

Final de semana em Monte Verde – MG

1
Shares
PinterestGoogle+

Quando a pandemia começou a dar uma trégua, em novembro/2020, resolvemos arriscar uma escapada de final de semana em Monte Verde – MG. Em meio à Serra da Mantiqueira, Monte Verde é um ótimo destino pra casais e pra finais de semana, considerando que não há muita coisa pra ver na cidade.

O destino é ótima opção pra quem quer fugir das aglomerações dos grandes centros urbanos e precisa de um contato com a natureza, estando a apenas 166 km da capital paulista, acessível pela Rodovia Fernão Dias, o que torna perfeitamente possível uma viagem de final de semana.

Nossa ideia não era explorar muito, até porque confesso que não me senti segura em turistar em tempos de pandemia, mas queríamos conhecer pelo menos o básico e descansar do “clima de cidade grande” de São Paulo, onde moramos.

Saímos de São Paulo numa sexta-feira por volta de 16:30 e infelizmente pegamos muito trânsito, o que fez com que chegássemos a Monte Verde às 21h. Alugamos carro pelo Turbi, que achei muito mais prático que as locadoras de carro tradicionais, e acabou saindo mais em conta também.

No pórtico de entrada de Monte Verde é preciso informar o CPF do titular da reserva do hotel pra que liberassem nossa passagem, dessa forma eles conseguem controlar o fluxo de turistas e barrar os que fazem bate-volta, diminuindo um pouco as aglomerações. Pra quem gosta de deixar pra reservar em cima da hora saiba que não é possível, considerando que só entra na cidade quem já tem uma reserva prévia.

Chegando em Monte Verde – MG

Como já eram 21h quando chegamos, a única programação possível seria jantar. Estacionamos sem dificuldades no centrinho, na rua principal de Monte Verde (Avenida Monte Verde), que está repleta de bares e restaurantes pra todos os gostos e bolsos.

Optamos pelo Villa Donna, restaurante número 1 no Trip Advisor e com foco em comida italiana. Havia uma pequena fila de espera, e enquanto esperávamos ficamos num barzinho do lado que vendia cerveja artesanal – muito bom, inclusive, com destaque para o ótimo atendimento. 🙂

O Villa Donna foi uma ótima escolha pro nosso jantar e minha escolha foi uma entrada de arancini, seguida de risoto Einsben (joelho de porco). O arancini estava perfeito. Vou deixar uma parte do cardápio, acessível apenas por QR Code, pra que vocês vejam as opções e preços:

Cardápio Villa Dona – Monte Verde
Arancini
Einsben
Restaurante Villa Donna em Monte Verde

Não achei o restaurante aglomerado, havendo um certo distanciamento entre as mesas. Vale ressaltar que ficamos no andar de cima, que é mais arejado. Ficamos na mesa pertinho da janela. 🙂

Nossa estadia em Monte Verde

Felizes e de barriga cheia depois de uma viagem chatinha, fomos pro hotel. Optamos pela Pousada Ricanto Amore Mio, pousada de charme ideal para escapadas românticas. Com chalés em estilo alpino, lareira, vista da montanha e muita tranquilidade, era tudo que precisávamos pra um final de semana off.

Pousada Ricanto Amore Mio

O clima em Monte Verde é parecido com o de Campos do Jordão, sendo impossível não comparar ambas cidades, que no turismo em geral é muito similar. Apesar de ser novembro, fazia bastante frio à noite, e a pousada disponibilizou lenha para acendermos a lareira. Nosso chalé também possuía banheira de hidromassagem dupla, com espaço bem confortável pra relaxar. Minha única ressalva é que acho que falta uma modernização no banheiro, que tem cara de banheiro antigo (pelo preço da diária, que não é nada barata, acho que dá pra exigir isso) rsrs.

Banheiro da Pousada

Na manhã do dia seguinte acordamos ao som de passarinhos cantando, com uma vista linda da natureza. Nosso café da manhã foi servido na varanda do quarto, pra que pudéssemos tomar café apreciando a vista. Achei a qualidade do café boa e com bastante variedade, com direito a pães de queijo, bolos, sucos, tortas e ovos mexidos.

Vista do nosso chalé em Monte Verde
Café da manhã com vista

Pegamos uma típica manhã de primavera, com bastante sol e clima mais fresquinho, esquentando à tarde. Fomos caminhar pelo bosque dentro da própria pousada, que é bem grande e repleto de hortênsias – e de vez em quando de esquilos! 🙂

Esquilos no bosque dentro da Pousada
Hortênsias de Monte Verde
Dentro da Pousada Ricanto Amore Mio
Pousada Ricanto Amore Mio

Ainda na vibe de relaxar, fomos conhecer o Lavandas na Varanda, espaço em meio à natureza nas redondezas de Monte Verde. O espaço oferece serviços de massagem, quiropraxia, entre outros procedimentos terapêuticos. O espaço é uma delícia, muito bem decorado, limpo e com excelente atendimento. Optei por uma massagem e meu marido por uma sessão de quiropraxia. Tomamos um chá apreciando a vista e lá gastamos umas boas horas. OBS: É necessário reserva prévia.

Lavandas na Varanda
Lavandas na Varanda, Monte Verde

Já era aproximadamente 17h quando retornamos a Monte Verde, ansiando por um bom restaurante pra “almoçar”. Encontramos um que era ao ar livre, vendia comida mineira, estava aparentemente sem aglomeração e por lá ficamos.

Depois do almoço fomos perambular pelo centrinho, conhecer as diversas lojas de queijos, doces e artesanatos, olhar vitrine e caminhar sem rumo. A temperatura já estava caindo e paramos na chocolateria Gressoney, conhecida por vender as Primulas de Monte Verde, um doce que se assemelha muito ao já conhecido alfajor e que gostei bastante.

Gressoney
Primulas de Monte Verde

Fomos conhecer também o Celeiro, uma espécie de “galeria” repleta de lojinhas, muito bem decorada e com bastante opção pra quem gosta de comprinhas. Inclusive, mesmo na primeira quinzena de novembro, já estava lindamente decorada de Natal.

Celeiro, Monte Verde
Celeiro
Decoração de Natal do Celeiro

Já era noite quando paramos de caminhar e resolvemos voltar pro hotel, onde ficamos até o dia seguinte. Como havíamos almoçado muito tarde e ainda comemos alguns bons chocolates na Gressoney, não saímos pra jantar. Tínhamos levado um vinho e uns queijos e os assamos na lareira. 🙂

Tenho algo especial pra compartilhar com vocês referente ao dia seguinte. Durante a viagem de ida, por ser subida de serra e com o gira gira da estrada, acabei enjoando muito e passando mal. Foi um martírio chegar a Monte Verde. Como minhas “regras” já estavam atrasadas, na manhã do domingo fiz um teste de gravidez de farmácia e quase caio pra trás com o resultado: positivo! Iniciamos a viagem achando que éramos dois, mas na verdade já éramos três. Foi muito especial e por isso essa viagem nos marcou muito! O café da manhã já tinha um sabor especial, a vista, tudo. A ficha não tinha caído. De fato só caiu no dia seguinte, quando pude fazer um teste de laboratório.

Avenida Monte Verde

Passado esse doce “susto”, voltamos pro centrinho de Monte Verde. Já estávamos no meio da manhã e queríamos fazer uma trilha, mas por conta da pandemia só estava sendo possível mediante a contratação de um guia, o que na minha cabeça não fez muito sentido por – teoricamente – termos que manter o distanciamento social. Acabamos desistindo da trilha.

Centro de Monte Verde
Centro de Monte Verde
Primavera em Monte Verde

Ficamos perambulando até dar a hora do almoço, onde escolhemos um restaurante com música ao vivo e ao ar livre. Infelizmente falhei em anotar o nome, mas ficava na esquina da Av. Monte Verde com a Rua Bem-te-vi. Ouvimos bastante Pink Floyd aos goles de suco de maracujá, pelo menos pra mim, temporariamente impedida de ingerir álcool rs.

Restaurante com música ao vivo em Monte Verde

Já tínhamos feito check-out do hotel e depois do almoço resolvemos voltar pra São Paulo, já que a viagem de ida havia sido bastante demorada. Por sorte a de volta não demorou tanto e fizemos uma viagem tranquila, apreciando a beleza da estrada numa tarde ensolarada.

A bela estrada de Monte Verde

Gostei de Monte Verde e achei menos “fake” que Campos do Jordão, e também menos inflacionada. Tirando a questão do hotel, que era relativamente caro, o resto achei tudo ok. Vale ressaltar que viajei num final de semana comum, sem ser feriado, então talvez isso influencie um pouco.

Como vocês puderam ver, não conhecemos muita coisa na cidade – mas também tenho minhas dúvidas se tem muito mais coisas pra conhecer (à exceção das trilhas). Mesmo assim, valeu. É uma viagem que levarei no coração, tanto pelos bons momentos de paz e tranquilidade que o clima da cidade nos proporcionou, quanto pelo fato de ter descoberto uma gravidez. Talvez eu dê uma sumidinha aqui do blog por um tempo  – por motivos óbvios – mas espero voltar com tudo em breve, e dessa vez com um passageiro a mais. 🙂

Post anterior

Quanto custa jantar no Fasano? Vale a pena?

Next post

This is the most recent story.

Sem comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.