O que fazer em Berlim

Memorial Sachsenhausen, Oraniemburg

O Memorial Sachsenhausen, mais conhecido como campo de concentração, era uma das atrações que estava como “imperdível” na minha wishlist. Porém, vale alertar que não é o tipo de programa que todo mundo gosta e que pra visitar um lugar como esse é preciso ser – pelo menos um pouquinho – forte.

O campo está localizado na cidade de Oraniemburg, uma bonita cidade próxima a Berlim e com muito fácil acesso da capital.

Oraniemburg

Oraniemburg

COMO CHEGAR DE TREM

Pegue o S1 (S-bahn Wannsee para Oranienburg) até a Estação Oranienburg. Essa é a última parada e demora uns 45 minutos desde a Estação Berlin-Friedrichstraße. Os trens partem a cada 20 minutos.

IMG_3031

Estação Oranienburg

Ao chegar na estação de trem você terá duas opções: 1) Esperar os ônibus 804/821 que deixam até a porta do local – parada Gedenkstätte; 2) Andar (mais ou menos uns 20 minutos de caminhada).

Eu, particularmente, fui andando e voltei de ônibus. Achei a ida bem agradável, cheia de ruas bonitas e coloridas. Porém, na volta, como estava muito frio voltei de ônibus.

IMG_0422

Ponto de ônibus em Oranienburg

FUNCIONAMENTO

15 de março a 14 de outubro: diariamente entre 8:30h – 18:00h

15 de outubro a 14 de março: diariamente entre 8:30h – 16:30h

ENDEREÇO

Straße der Nationen 22
D-16515 Oranienburg

PREÇO

Entrada gratuita. Se quiser um áudio guia (altamente recomendável) custa 3€.

VISITA

Entre 1936 e 1945 mais de 200.000 presos “viveram” no campo de concentração, que foi construído para ser “referência” e servir de modelo para outros que surgiriam. Os primeiros prisioneiros foram adversários políticos do regime nacional-socialista mas, mais tarde, começaram a se formar também  alguns grupos que os nazistas consideravam inferiores tanto racial como biologicamente (homossexuais, judeus, negros, etc).

Milhares morreram devido às doenças, aos trabalhos forçados e à fome, ou quando não, eram vítimas das técnicas de extermínio massiva empregadas.

Em agosto de 1945, o Campo de Concentração Sachsenhausen se converteu em um campo especial soviético. Três meses depois de terminar a guerra, quando a Europa se viu livre das garras do nazismo, o serviço secreto soviético mudou seu Campo Especial nº 7 para Sachsenhausen.

Alguns lugares provocam mais “calafrios” durante a visita, entre eles:

  • Barracões destinados à enfermaria: Não é novidade pra ninguém que no campo se realizaram milhares de crimes médicos, nos quais assassinavam os doentes e realizavam perigosos experimentos médicos aos presos. Eu confesso que chorei nessa sala. Imaginar o quanto de sofrimento tinha ali e o quanto eles eram torturados foi suficiente pra cair umas lágrimas dos meus olhos.
IMG_3052

Enfermaria

  • Cozinha dos prisioneiros: Os presos mais “obedientes” eram mandados para trabalhar na cozinha e é o que todos almejavam, pois tinham a possibilidade de comer um pouco mais que os demais. Porém, chocante ouvir o que eles comiam: batatas estragadas, além de outras poucas coisas. Os presos tinham que conviver diariamente com o forte cheiro de batatas podres (vocês já sentiram esse cheiro? é horrível!).
IMG_3061

Cozinha dos prisioneiros: dentro desse local colocavam as batatas

  • Pista para teste de sapatos novos: Os novos prisioneiros eram obrigados a caminhar ou correr o dia INTEIRO com as botas novas que seriam usadas pelos soldados, somente para lacear e testar a qualidade. Faça chuva ou faça sol, cruel, era proibido parar.
  • Estação Z: Se você entra no Campo pelo portão A, o que esperar do Z? A Estação Z funcionou como um local de execução e pelo menos 10 mil pessoas perderam as vidas lá – uma das formas de perdê-la era ser colocado em uma câmara de gás, entre outras não menos cruéis. Além de ser local de execução, também era um crematório.
Estação Z

Estação Z

O curioso é que na entrada do Campo, na Torre A, tem uma frase na grade escrito “Arbeit macht frei” (vide foto abaixo), utilizada em vários campos de concentração e extermínio, que significa: “o trabalho te liberta” – pura contradição, pois todas as pessoas que tentaram fugir do campo por sofrerem demais, morreram sem piedade. Não existe um sequer registro de pessoa que conseguiu fugir do local.

Torre A

Torre A

O trabalho te liberta?

O trabalho te liberta?

IMG_3084

Roupa original usada por um soldado nazista

IMG_3051-2

Roupa original usada por um prisioneiro

IMG_0413

Local usado para matar os prisioneiros, com uma foto original de como era

Interessante também pensar que em meio a tanta crueldade nesse passado não tão distante da Alemanha, eles mantêm o memorial como forma de mostrar “o que não se pode fazer” com os outros. É quase como uma lição do quão terrível foi a época e que o mundo NÃO deve repetir esse erro.

Conhecer esse Campo de Concentração era uma das prioridades da minha estadia na Alemanha, pode parecer triste, e realmente é, mas acho inadmissível ir até lá e não conhecer um pouco dessa história negra. Presenciar e imaginar quantas pessoas inocentes morreram brutalmente ali, e refletir um pouco sobre a humanidade e o que o poder é capaz de fazer é realmente de tirar o fôlego.

Se você é forte e está de passagem por Berlim, aproveite a proximidade com a capital para esticar até Oraniemburg.

E vocês? Já fizeram algum passeio do gênero?

Beijos!

Continue lendo: O que fazer em Berlim

Onde comer comida alemã em Berlim (com direito a música!)

Por acaso em uma de minhas andanças pelo bairro Alexanderplatz encontrei esse restaurante. Havia ouvido que a tal zona de Alexanderplatz era uma boa opção para jantar, mas confesso que demorei um pouquinho a achar uma opção interessante.

Se em sua viagem pra Alemanha não der pra encaixar Munique (como a minha) saiba que há um pedacinho da Bavária em Alexanderplatz!. Ele se chama Hofbräu Munchen Berlin e você encontrará comida típica, salsichas, música regional, trajes típicos (dirndl e lederhosen)… Um pedaço da Bavária do Oktober fest e das salsichas brancas bem ali, no famoso bairro. Assistam um pouquinho do que tinha lá:

Não sei se foi o fato de estar na Alemanha, de querer ouvir uma musiquinha alemã, de querer tomar cerveja alemã que me fez gostar desse lugar. Pois tudo que eu estava buscando naquela noite, eu encontrei. 🙂 O ambiente é super animado e  diferente dos ambientes formais da capital germânica. Bom não somente pra quem quer comer, mas para quem quer ver um pouco da cultura do país. O restaurante tem capacidade pra 3 mil pessoas e se você realmente quiser ir, faça uma reserva antes. Já li relatos de pessoas que não conseguiram entrar (mesmo tendo tanto espaço!).

IMG_0484

Hofbräu Munchen Berlin

IMG_0470

Hofbräu Munchen Berlin

Meu marido pediu o clássico joelho de porco com repolho, molho de cerveja e bolas de batata (15,90€) e eu um frango assado – que apesar de ser frango, estava uma delícia (10,90€). Pra acompanhar, umas cervejinhas (que de inhas, não tinham nada).

IMG_0480

Hendl (Frango assado)

IMG_0479

Resche Haxe (joelho de porco)

IMG_0475

Cheers!

IMG_0483

Quanto gastamos? 3 cervejas + 3 pratos

IMG_0481

Berlim

Dica: Se você não estiver com vontade de beber muito, atente para o tamanho da cerveja que pede, pois os copos são gigantes. Pode ser que você inocentemente peça uma Maß, cujo volume é de 1 litro (7,90€).

Funcionamento: Sexta e sábado, de 10h às 2h – Domingo à quinta, de 10h às 01h (pra quem estranhou o horário cedo, saibam que no local eles também servem café da manhã).

Se quiser fazer uma reserva, é possível fazê-la por email: reservierung@berlin-hofbraeu.de.

Um beijo!