Le Relais de l’Entrecôte

L’Entrecôte de Paris – unidade Natal

Sou fã desse prato desde a primeira vez que comi, no L’Entrecôte D’Olivier, do chef Olivier Anquier, em São Paulo. Em outra ocasião tive o privilegio de conhecer o renomado Le Relais de L’Entrecôte, em Paris, e o prato ganhou meu coração de vez. Ao saber que tem um restaurante da rede de franquias L’Entrecôte de Paris em Natal deixei de lado o camarão e a carne de sol pra me render a esse típico prato da culinária francesa que, apesar de simples, tem um sabor maravilhoso.

Afinal, o que é um entrecôte? Tradicionalmente o corte da parte superior do contra-filé, super macio e cortado em pedaços, servido com um molho especial cuja receita original é um guardada a sete chaves, mas cujo ingrediente principal é a mostarda Dijon. De acompanhamento batatas fritas cortadas bem fininhas, sequinhas e servidas à vontade. SIM, você leu certo! Enquanto você se delicia da sua carne o garçom fica passando pra lá e pra cá com uma bandeja cheia de batatinhas pra você se servir do quanto quiser. 🙂

Antes disso, e não merecendo ser atropelada, é servida uma salada verde divina que sempre como duas vezes, já que meu marido não come alface (uhuuu). Alface, nozes, tomate cereja e um molhinho maravilhoso cujo ingrediente principal também é mostarda.

IMG_7969

Por incrível que pareça, o restaurante só possui esse prato. O máximo de variações que você vai conseguir é sobre o ponto da carne: mal passada, ao ponto e bem passada. Pedi a minha ao ponto e estava maravilhosamente ao ponto mesmo! A estratégia adotada pelos restaurantes do gênero é a seguinte: “Já que o prato é tão bom, pra que servir outro?”

Tradicionalmente é servido de sobremesa uma mousse de chocolate, mas no L’Entrecôte de Paris optei por um Classic Crème Caramel, que nada mais é do que o pudim mais lindinho que já vi na vida. Apresentação nota 10.

Tem coisa mais linda no mundo?

Tem coisa mais linda no mundo?

O atendimento também foi bom, apesar de não ser espetacular. Além dessas comidinhas citadas ainda pedi um couvert pois cheguei no restaurante morrendo de fome. Achei que o couvert não valeu a pena. Uma cestinha de diversos pães que visivelmente haviam sido aquecidos no micro-ondas, o que particularmente não gosto. Apesar disso, o patê de azeitonas que acompanhava era ótimo.

O restaurante é confortável, música ambiente agradável e tem boa localização, dentro do Natal Shopping. Fui num feriado e não tinha filas, o que em Natal é um milagre tratando-se de um bom restaurante.

L'Entrecôte de Paris

L’Entrecôte de Paris

Na comparação dos três restaurantes notei que o sabor dos molhos são realmente diferentes, apesar de todos bons. Pelo visto não conseguiram replicar mesmo a receita do Le Relais De L’Entrecôte, mas fizeram boas variações (o que é bom!).

Quanto gastar?

Quanto gastar?

O L’Entrecôte de Paris tem unidades em todas as capitais do Sudeste (exceto Vitória) e em várias cidades do Nordeste, como Fortaleza, João Pessoa, Natal e Salvador. Tem também em Brasília, e em outras cidades menores do Sudeste.

Saí rolando do restaurante e com vontade de voltar! E vocês, já conhecem algum restaurante da rede?

UPDTATE: Em julho/2016, infelizmente, como muitos restaurantes em Natal em meio à crise econômica, este foi mais um que fechou as portas. Porém, deixarei o post no ar por ser franquia e seguir um padrão.

Beijos!

 

Onde comer em Paris?

Comer em Paris não é uma coisa de outro mundo, nesse post vou mostrar pra vocês que não é preciso nadar no dinheiro pra comer bem 🙂 .

Quem me conhece sabe que sou apaixonada viciada por pães e tudo que se relaciona. Talvez seja até um pouco mais crítica e exigente que a média. Pão pra mim tem que ser quentinho, casquinha crocante, nem queimado nem tão branquelo, e com miolo macio, please! Talvez isso tenha sido herdado pelo fato de que praticamente cresci por dentro de padaria (pra quem não sabe, minha mãe era dona de algumas padarias, meu tio e meu avô também!). Pra quem reclama coisas do tipo “ah, tem tanta coisa pra fazer em Paris e você vai visitar padarias?” sim, isso pra mim foi fundamental, pois não é todo dia que meu doce paladar tem essa oportunidade, né? 🙂

Onde comer em Paris – as duas que mais gostei…

  • Le Grenier a Pain: Fundada pelo especialista Michel Galloyer, professor da France’s Ecole Nationale Superieure de la Patisserie, consultor na Escola Profissional de Doces em Tokyo, Membro da Relais Dessert International Association e membro pleno da Academia de Culinária da França. Com um currículo desse, não espere comer qualquer coisa por lá.  Diferente das padarias do Brasil, as boulangeries parisienses são espaços minúsculos que fazem fila na calçada e não tem onde sentar (nem tudo é perfeito né?). Essa boulangerie em especial foi a que eu mais gostei. Tomamos café da manhã lá uma vez, e eu sinceramente nunca comi melhor croissant na minha vida, assim como outros pães especiais, tudo que comi estava perfeito, até o preço: 8,35EUR O CASAL pra comer bastante. Essa boulangerie inclusive já ganhou prêmio de melhor baguete da cidade e outros, tarefa bem difícil devido a quantidade de boulangerie que a cidade tem. Endereço: 38 Rue des Abbesses, 75018 Paris. Metrô: Abbsses. Dica: Aproveite pra conhecer a boulangerie quando for visitar a Basilique du Sacré Coeur de Montmartre, pois é tranquilo de ir andando até lá. Apesar de ter outras unidades dessa boulangerie na cidade, a mais “famosa”é essa aí.
Comer em Paris: Boulangeries não podem ficar de fora (foto do Tripadvisor)

Comer em Paris: Boulangeries não podem ficar de fora (foto do Tripadvisor)

  • Pascal Robin: Também foi outro lugar escolhido pra tomar café. Era um pouco longe do hotel, mas valeu muito a pena. Nesse lugar foi o melhor croque monsieur que já comi. Ah, os croissants e as tortas também são divinas. O lugar é bem pequeno, tem que comprar e levar. No meu caso comprei, comi lá na frente, entrei pra comprar e comer de novo e aí sim fui embora…hahaha. Endereço: 106, Boulevard Jourdan 75014, Montparnasse. Metrô: Porte D’Orleans. Preço? 7,60EUR o casal (essa padaria além de maravilhosa, achei super barata! Queria levar tudo!)

Pra almoçar ou jantar

  • Pizza Pino: Depois de um dia de muita caminhada, nada como acabar o dia jantando na Champs Élysées. O local escolhido, por acaso, foi esse. Fomos “no escuro”, pois não tínhamos lido sobre o local e não sabíamos se era bom ou muito caro. O atendimento foi MUITO bom,  ficamos no andar superior, com vista pra badalada Champs, tomamos um bom vinho e fomos muito bem atendidos por um garçom português, que ia a todo momento nos perguntar se estava tudo bem. Não comemos pizza, optamos por jantar pois a fome era muita. Jantamos (um prato pra cada), bebemos vinho e dividimos uma sobremesa. Preço? 39,10EUR+15% de gorjeta. A gorjeta em Paris não é obrigatória, porém fomos tão bem atendidos que seria até sacanagem não pagar uma boa gorjeta. Endereço: 31-33 Avenue des Champs-Élysées, 75008 Paris.
  • Le Relais de l’Entrecôte: Pra quem não sabe, a carne em Paris é muito boa, e nada como escolher esse restaurante pra jantar. Já fui num semelhante em São Paulo, do chef francês Olivier Anquier, que também é excelente. Porém, esse além de ser bom tem um conforto maior e atendimento melhor ainda, sem contar que tem um gostinho especial por comer o legítimo entrecôte parisiense, né?. As garçonetes falam inglês perfeitamente, o que facilitou a nossa vida. O restaurante oferece um único prato no menu, que nada mais é que um entrecôte com batata frita e um molho especial, feito com mostarda Dijon divino. Os pratos são bem servidos, saímos muito satisfeitos do local, tanto pela qualidade da comida, ambiente e atendimento. Além de comer, bebemos vinho e comemos uma sobremesa, que dividi com meu marido. Preço? 64,50EUR+15% de gorjeta, também merecido. Endereço: 101, Boulevard du Montparnasse, Paris.
Olha a fila pra entrar...

Le Relais de l’Entrecôte: Olha a fila pra entrar…

Pra fazer um lanche rápido e barato recomendo o Quick, que é uma rede de fast food francesa. Basicamente como nossos queridinhos e conhecidos Bob’s e Mc Donald’s, porém, com um toque francês. Comi em um que tem ao lado do Moulin Rouge, como já tinha vendido os rins pra pagar o ingresso de lá, não ia jantar lá também né? Aí optei pelo Quick. Comi algum combo desses que estamos acostumados e achei bem melhor que os do Mc Donald’s. Preço: 7,95EUR. Endereço: Tem vários espalhados pela cidade.

Gostei muito também do Paul Boulangerie e Pâtisserie, lá tem uns macarons muito bons e o atendimento é super rápido. Apesar de ter lugar pra sentar, em todos que eu fui comprei e levei. Dica: Macaron grande de pistache. Preço? Nunca gastamos mais que 8EUR lá (casal). Endereço: Também tem vários espalhados pela cidade, inclusive no aeroporto.

E claro, não poderia deixar de falar da queridinha dos turistas e residentes: Ladurée. Fomos na primeira loja inaugurada, a mais clássica de todas. O macaron de lá é conhecido por ser o melhor do mundo, cá entre nós, realmente a fama é merecida. O macaron derrete na boca! Totalmente diferente dos que já comi no Brasil. A fila era grande, mas a recompensa foi boa demais. Nem achei cara pra falar a verdade, devido à qualidade que tem. E os doces, gente? Uma fofura!!! Endereço: 16, Rue Royale, 75008, Paris. Preço? Não gastamos mais de 10EUR pra comer uns 6 macarons.

Infelizmente esses não são nem a metade dos lugares que comemos, porém, não me recordo o nome dos outros 🙁 Lembro que comi a melhor batata frita de todos os tempos num restaurante perto da Galerias Lafayette e não sei o nome do local! 🙁 Tem também um restaurante egípcio bem legalzinho e barato, perto do Jardim de Luxemburgo que adivinha?? Não lembro o nome também 🙁

Me perdoem!

Posts que possam interessar: Moulin Rouge – eu fui!, O que fazer em Paris?, Onde ficar em Paris