Custo de vida no Rio

Como é morar no Rio: O que você precisa saber antes de se mudar

Como o sucesso do post Morar em Natal foi muito grande (tcharãããn aparece como o primeiro do Google!), acho que pode ser de grande utilidade contar como é morar no Rio de Janeiro, e assim poder ajudar famílias que pensam ou que precisam se mudar pra cá.

Atenção: Tudo que está descrito no post tem a ver com a minha experiência, que pode não ser igual a de todo mundo. Ainda não sou uma especialista em Rio de Janeiro e nem sei se um dia serei. Meu foco é a experiência de moradia nos bairros da Zona Sul da capital. Como não morei em outra, não saberia discorrer sobre. Já visitei os bairros mais afastados daqui mas apenas com fins de lazer.

Nos mudamos em setembro de 2016 e foi tudo muito rápido: tive mais ou menos 1 mês pra organizar as coisas no trabalho que eu deixara em Natal, contratar empresa de transporte de carro e mudança residencial.

Transportadoras

O primeiro passo foi pesquisar empresa de mudança, e isso é o tipo de coisa que me dá frio na barriga só de pensar, pois já tive sérios problemas com uma transportadora grande (basta ver o post de Natal que saberão do que me refiro). Como já tinha optado uma vez por uma empresa grande e de grande porte e não tinha dado certo, dessa vez fui na contra-mão: optei pela Transportadora Potiguar, empresa menor, cuja sede é em Natal e com foco mais no Nordeste, mas que faz entrega pra todo país.

Acertamos data e tudo, e no dia marcado eles foram empacotar minhas coisas todas e transportaram. Em menos de 1 mês minhas coisas já estavam no Rio e com bem menos dor de cabeça do que a empresa anterior. Tive um leve contra-tempo com um produto que danificaram, mas não mediram esforços pra me ajudar e me reembolsar. Ponto pra eles.

A transportadora de carro optei pela Transcarlos, que já conhecia. Mais uma vez não tive problema com eles. O único “contra” foi ter que buscar o carro bem longe de onde estávamos (estávamos em Copacabana e tivemos que buscar o carro em Duque de Caxias).

Aluguel

Ficamos hospedados 1 mês em Copacabana num ap que a empresa alugou, na Ayres de Saldanha, a um quarteirão curto da praia. Confesso que apesar da localização maravilhosa, nem pude curtir direito, pois nesse mês estava totalmente focada em procurar apartamento pra alugar, e não estava com cabeça pra outras coisas. Demorei exatamente 1 mês pra encontrar um apartamento e a busca foi árdua: visitei uns 50 apartamentos, fiz muitos telefonemas, muitos nãos e momentos de nervosismo.

Vista do ap de Copacabana

Vista do ap de Copacabana

Meu marido não pôde me ajudar nas visitas pois já chegou trabalhando, então fiz tudo sozinha. Os sites que mais me ajudaram foram o Zap Imóveis, Viva Real e OLX. Os de imobiliária não me ajudaram tanto.

Tenha em mente que no Rio quase não existe depósito caução. Ou é fiador, ou é seguro fiança (que onera mais ainda o aluguel, pois o dinheiro não volta pra você). Por sorte tínhamos fiador e foi meio caminho andado. É tudo extremamente burocrático e às vezes parece que não querem alugar pra você.

Aluguel no Rio é uma coisa complicada, principalmente se você está buscando por bairros na zona Sul (área mais valorizada). Eu estava buscando apartamento de 2 quartos, próximo ao metrô e com uma vaga de garagem, o que por incrível que pareça é sinônimo de luxo na zona sul carioca, acreditem.

Quanto aos preços, não encontrei nada por menos de R$3500/em média (com condomínio e IPTU). Se você está buscando imóvel com essas características, não espere gastar menos. Experimente procurar de 3 quartos e se segure na cadeira pra não cair pra trás. 🙁

O mais impressionante é a qualidade dos imóveis: apartamentos em geral muito antigos, precisando de reformas sérias e em condomínios velhos – e mesmo assim com o preço nas alturas. Caso queira um ap mais inteirinho se prepare pra desembolsar mais dinheiro.

A verdade é que o mercado imobiliário no Rio é uma bolha: preços totalmente fora da realidade do nosso país, que atualmente enfrenta uma crise econômica forte, e destoa mais ainda da cidade do Rio, que é uma das mais enroladas financeiramente.

Escolhi o bairro de Botafogo pra morar, com fácil acesso a pé pro metrô. Super me adaptei nesse bairro, que tem tudo que preciso: supermercados bons, hospital, academias, bancos, diversas clínicas, shoppings, centenas de restaurantes e opções de lazer. Não são poucas as vezes que saímos pra passear a pé, sem necessidade de transporte algum. Além disso tem fácil acesso pro centro da cidade de metrô (+-15 minutos).

Enseada de Botafogo vista do Morro da Urca

Enseada de Botafogo vista do Morro da Urca

É considerado um bairro nobre de classe média-alta, mas ainda acessível pra pequenos mortais e não tão caro quanto o Leblon, que tem disparadamente o metro quadrado mais caro do país (R$ 22.478,00/ano 2016).

Moro numa região do bairro que não me sinto tão insegura (se é que isso é possível em algum lugar do Rio) e não costumo ver nada bizarro relacionado à segurança. Apenas uma vez acho que teve um assalto quase em frente minha casa, pois ouvi uma mulher gritando “ladrão”. Portanto NUNCA fico dando sopa com meus pertences na rua.

A principal comunidade do meu bairro é a responsável por um ponto turístico que leva o mesmo nome: Santa Marta. Trata-se da comunidade pacificada onde Michael Jackson gravou a música They Don’t Care About Us. Foi nela também a 1° UPP da cidade. É possível subir pra apreciar a vista do Mirante Dona Marta e ter uma das vistas mais bonitas do Rio (que aqui é a capital dos contrastes ninguém duvida!).

Réveillon 2017 em Copacabana

Réveillon 2017 em Copacabana

Em comparação com Copacabana, gosto mais de Botafogo: tem mais cara de “cidade normal” do que a loucura turística que é Copacabana. E eu não poderia deixar de dizer: onde tem turista, tem tudo. Vi diversos arrastões quando estava em Copa e não me sentia segura lá em momento algum. Pode até ser paranóia da minha cabeça porque sou medrosa de natureza, mas era bem esquisito. Se não fosse a falta de segurança, sem dúvidas seria um bairro maravilhoso. Tem algo mais a cara do Brasil que esse bairro (beleza, contraste e problemas)?

Como é morar no Rio: Praia de Copacabana

Como é morar no Rio: Praia de Copacabana

Gosto do bairro do Flamengo também e era uma das opções de bairros que eu estava procurando, assim como Laranjeiras. Catete achei muito central e apesar de ter sido uma das opções, não gostei tanto quanto desses outros. Durante minha pesquisa vi muitos apartamentos bons e bonitos na Barra da Tijuca, além de terem preço mais baixo que na zona sul. Porém, por ser bem distante do centro nem cogitei.

Plano de Saúde

Logo que chegamos no Rio mudamos de plano de saúde, em Natal era Amil e aqui passou a ser Bradesco, que não tenho o que reclamar. Meu plano satisfaz bem todas minhas necessidades e é um dos melhores daqui (se não for o melhor). Unimed aqui é bem forte e conheço muita gente que tem, mas como tem muito segurado, tem muito problema também. Minha mãe é cliente da Unimed Rio e com bastante frequência reclama.

Infelizmente não sei informar o preço do plano de saúde atual, pois é PJ e pago pelos empregadores do meu marido.

Educação

Como não tive experiência alguma com escolas aqui na cidade perguntei pra amiga Lily do blog Apaixonados por Viagens, que é fluminense e mora na capital há muitos anos. Segundo ela, algumas das melhores escolas são:

– São Bento
– Santo Inácio
– Santo Agostinho
– Cruzeiro
– Ph
– Franco

Esses de cima são bem tradicionais e particulares. Costumam ter ótimos resultados nos vestibulares e a média da mensalidade para meio período é na faixa dos R$2.500 (valores de 2017).

Têm os públicos também que, apesar das greves e das instalações mais precárias, também obtêm bons resultados nos vestibulares, tais como:

– Pedro II
– Colégio Militar
– Colégio Naval (este fica em Angra dos Reis)
– Capes da Uerj
– Capes da Ufrj

Uma coisa curiosa é que na maioria dessas escolas os alunos só entram através de sorteios. Não basta ter o dinheiro da mensalidade, é preciso ter uma pitada de sorte também. Recomenda-se que comece a tentar os sorteios quando as crianças atingirem 4 anos de idade.

Supermercados

Supermercados são bem segregados: Pão de Açúcar é bem forte aqui, e com produtos mais caros, e o principal concorrente dele é o Zona Sul, outro supermercado caro. Fuja deles pras compras do mês se o objetivo é economizar (vez ou outra vale a pena ir porque tem coisas que só tem neles).

Como em outras capitais, temos o Extra e Carrefour. Os mais populares são o Mundial (bem mais barato e não aceita cartão de crédito), Princesa e Guanabara, que sempre tem boas promoções. Não achei o preço dos produtos de supermercado muito diferentes de Natal, inclusive muitas coisas acho até mais em conta.

Transporte

A tarifa de metrô custa R$4,30, um pouco mais cara que a passagem de ônibus, que custa R$3,80. O Estado do Rio é disparado o maior produtor de petróleo do país, e ainda assim tem a segunda gasolina mais cara do Brasil, principalmente nos bairros da zona Sul. Dificilmente você encontrará um posto na zona Sul com gasolina abaixo de R$4 o litro (julho/2017).

Como usamos o carro pro lazer aos finais de semana, ainda não o vendemos. Mas como moramos perto do metrô e o Uber e Cabify funcionam muito bem em nosso bairro, não sei até que ponto compensa ter carro aqui. Acho que ainda não vendemos o nosso por pura preguiça e comodidade (acabamos viajando aos fins de semana ou indo pra lugares longe, então facilita). Pense duas vezes antes de comprar um automóvel no Rio se você mora num bairro bom. O nosso não nos dá muita despesa, então talvez por isso ainda estejamos com ele.

Internet

As operadoras de internet são praticamente as mesmas de Natal, e continuei com meu contrato com a Vivo. Estou pagando atualmente numa promoção R$60 pela internet e telefone ilimitado. Apesar do preço atraente, a internet da Vivo é péssima e cai com bastante frequência.

Conta de luz

O Rio tem uma das tarifas de energia elétrica mais caras do país. Como morávamos em Natal e lá tem uma das mais baratas, a diferença foi notável.

Temos dois aparelhos de ar-condicionado em casa, mas o único que ligamos sempre é o do nosso quarto que é inverter e tem consumo bem abaixo da média, ainda assim nossa conta quase nunca dá menos que R$170 (no verão dá bem mais). Não quero nem imaginar quanto daria se ligássemos o do quarto de hóspedes com frequência (que não é inverter). P.S: Visitas por favor nos visitem no inverno! kkkk.

Tarifa de energia elétrica

Tarifa de energia elétrica

Lazer

O Rio é a cidade mais visitada do país não apenas pelos estrangeiros, mas também pelos próprios brasileiros. Consequentemente, os preços não são nada convidativos. Graças a Deus ainda não paga nada pra ir à praia, e esse é o bom daqui: a praia democratiza. Não é muito difícil conhecer algum carioca que nunca foi ao Pão de Açúcar, por exemplo (o ingresso de lá custa +-R$80). Por sorte na baixa temporada (se é que existe isso aqui) o preço cai pela metade pra quem comprova que é morador da cidade.

Fazendo sua reserva de hospedagem no Rio de Janeiro por esse link, você ajuda o blog a se manter vivo e não paga nada a mais por isso! :)

Sair pra comer em casal num restaurante bonzinho da Zona Sul faz com que se gaste no mínimo R$100 (sem bebida alcoólica). Em restaurantes mais sofisticados o céu é o limite.

Nos restaurantes dos bairros mais caros (Ipanema e Leblon) a gorjeta cobrada é de 12%. Já vi isso algumas vezes e fiquei revoltada! kkk. Nos restaurantes mais populares do bairro isso não acontece, mas nos mais sofisticados sim. #fail

Gorjeta de 12% nos restaurantes de Ipanema e Leblon

Gorjeta de 12% nos restaurantes de Ipanema e Leblon

Em comparação com Natal a diferença de preços é gritante, mas em comparação com São Paulo nesse quesito é bem empatado.

Mercado de trabalho

Queria poder dar notícias boas aos meus leitores, mas o negócio por aqui tá bem feio. Vocês podem até pensar que com o custo de vida tão elevado o salário também seja, mas na realidade não é bem assim. Primeiro que não tem emprego. Como podem ver na reportagem da Globo, o número de desempregados saltou 50% em um ano. Segundo o IBGE, em 2016 o rendimento médio real habitual de todos os trabalhos no Rio de Janeiro ficou estimado em R$ 2.311. Caso seu sonho seja morar na cidade maravilhosa, vir pra cá tentar a vida pode não ser uma boa ideia no momento.

Até os funcionários públicos estão tendo problemas pra receber seus salários, e concursos públicos por aqui são cada vez mais escassos. Pode acessar qualquer site de divulgação de editais de concurso que verá que não tô exagerando.

Curiosidades sobre como é morar no Rio

Que o carioca é esquentado as novelas já mostraram demais. Mas é também um povo muito comunicativo, prestativo e simpático. Tudo é motivo pra gargalhar e fazer amizade. É também um povo que gosta do dia: basta olhar o calçadão de qualquer praia de segunda a segunda pra ver que não é só turista passando ali.

Por falar em calçadão, ou você entra no ritmo deles ou é engolido: aqui (quase) todo mundo faz atividade física. A academia é lotada o tempo todo e as atividades ao ar livre também. O estereótipo da mulher brasileira tá aqui e em todo lugar.

É também uma cidade super cosmopolita: aqui tem de tudo e de todos os cantos do mundo. Pra terem uma ideia, onde meu marido trabalha a maioria é europeu. É uma cidade de sotaques e idiomas, e se você não domina bem ao menos o básico de inglês pode estranhar. Não é difícil esbarrar com algum gringo perdido no metrô pedindo informação. É comum ver vaga de emprego pra ganhar um salário mínimo exigir o inglês.

Apesar de ser uma cidade “do dia” os cariocas adoram um pós-praia e um barzinho com música. Na Lapa não dá só turista. Nem em Copacabana.

Encontrar prestador de serviço de qualidade por aqui é bem complicado. Uma vez tive problema com uma oficina mecânica, mas conheci uma outra que adorei e recomendo muito a todos: Oficina Perfil, em Botafogo. Eles trabalham de maneira bem séria e honesta.

Caso precise de diarista, não espere gastar menos que R$150 e às vezes muda dependendo do tamanho da casa – muda pra mais caro claro rs.

Gostaria de ter tido boas experiências com prestadores de serviço, mas quase não tive. Sugiro que pesquise muito, não pague nada adiantado e desconfie de tudo. Um grupo do facebook me ajudou muito durante minha mudança, sugiro que acesse o link e participe caso precise de indicações de profissionais.

E aí vocês devem tá se perguntando se gosto de morar aqui. A resposta é: tirando o verão enlouquecedor, adoro! Não trocaria o Rio por outra cidade que já morei no Brasil, mesmo com todos os problemas que a cidade enfrenta.

Qualquer dúvida é só perguntar!

CONTINUE LENDO: