Brasileiros na Europa

Partindo para o mundo…

Estudar no exterior ou poder morar em outro país é o sonho de muita gente, mas é necessário ter muita paciência, dedicação e planejamento. Quando meu marido foi aprovado no doutorado sanduíche da Universidad Politecnica de Madrid, através do programa Ciência sem Fronteiras, começaram as preocupações acerca de documentos para residência, quanto gastar, onde ir, etc. Tentamos procurar alguma coisa pra nos dar uma luz pela internet, mas o que encontramos foi insuficiente. Então, meu marido foi direto ao consulado da Espanha em São Paulo, pois morávamos lá. Eu não pude ir ao consulado pois meu trabalho me impossibilitava, então fiz uma procuração para que meu marido fizesse todo o processo por mim (sim, isso é possível!).

Algumas informações importantes sobre o consulado espanhol de Sampa:

Funcionamento: De segunda a sexta-feira, de 08:15 a 12:15h (horário muito ruim pra quem trabalha, né? mas não tem outro jeito…)

Localização: Avenida Brasil, 948, Jardim América – São Paulo – SP. O consulado fica na esquina da Av. Brasil com a Rua Canadá, entrada somente pela Rua Canadá.

Pagamento: SOMENTE dinheiro em espécie (real). Uma vez precisei pagar um documento e só tinha levado cartão, por sorte tem um Bradesco pelas redondezas…

Contato: cog.saopaulo@maec.es

Como eu estava vindo pra Espanha sem finalidade laboral, precisei dos seguintes documentos:

1 – PASSAPORTE;

2 – FORMULÁRIO DE VISTO NACIONAL devidamente preenchido e assinado, com uma foto 3×4, recente, de frente, com fundo branco (R$165,00 por solicitação);

3 – CERTIFICADO DE ANTECEDENTES CRIMINAIS emitido pela Polícia Federal (pode ser o expedido na Internet, acompanhado da sua autenticação), LEGALIZADO pelo Ministério das Relações Exteriores do Brasil: Como meu marido tem uma tia que mora em Brasília, ela levou  o documento no Ministério das Relações Exteriores pra gente, pois o procedimento direto no local é muito mais rápido;

4 – ATESTADO MÉDICO expedido por médico habilitado, o qual ateste não padecer de nenhuma das enfermidades que podem ter repercussões de saúde pública grave, de conformidade com o disposto no Regulamento Sanitário Internacional de 2005, com firma reconhecida em cartório: recomendo que vá a um clínico geral e explique a situação pra ele, pra que ele possa indicar qual cartório tem firma aberta – isso é imprescindível (R$4,50);

6 – SEGURO MÉDICO que cubra, durante todo o tempo da estadia no Espaço Schengen, os gastos médicos e de repatriamento ligados a um acidente, enfermidade repentina e falecimento, com uma cobertura mínima de €30.000: o meu fiz pela empresa Assist Card e saiu por R$ 3.150,08 – eu e meu marido, por 1 ano;

7 – CERTIDÃO DE CASAMENTO OU NASCIMENTO que demonstre o vínculo familiar, com data de expedição inferior a um ano, LEGALIZADO pelo Ministério das Relações Exteriores do Brasil: Como sou casada, precisei da certidão de casamento, meu marido aproveitou uma viagem que fez a Brasília e regularizou o documento diretamente no Ministério das Relações Exteriores – uma dica: caso vá direto lá, chegue cedo, pois costuma ter muita gente!;

OBS1: Para os documentos que precisam ser legalizados pelo Ministério das Relações Exteriores, NÃO é necessário ir até Brasília para legalizá-los, pode mandar por Correios, porém o procedimento é mais demorado. Optamos fazer direto em Brasília pela “sorte”que tivemos de meu marido ter uma tia lá e dele ter viajado pra lá durante a época do processo.

OBS2: Atestado médico, certidão de casamento e certificado de antecedentes criminais precisam ser legalizados pelo consulado! Na ocasião paguei R$19,00 por cada um, diretamente ao consulado (para ver preços de 2014, veja a tabela no link);

OBS3: O certificado de antecedentes criminais precisa ser traduzido para o espanhol, por uma tradutora juramentada. Na ocasião fiz através da empresa Traduzir, em São Paulo. A tradução é a última etapa, pois nela devem constar todos os carimbos que foram colocados no documento original, caso contrário não será uma tradução fiel do original, estarão faltando informações e a pessoa poderá ter problemas. Preço? R$181,76 (janeiro/2014) (salgado!)

O mais curioso é que as oficinas de extranjería em Madrid NUNCA me pediram essa tradução, o que dá uma certa sensação de “dinheiro jogado fora”. Porém, como o consulado da Espanha no Brasil pediu que eu traduzisse, então…

Pronto, feito todo esse procedimento chato é só esperar o passaporte com o visto. Desde a primeira vez que meu marido foi ao consulado até termos o passaporte conosco de volta foram quase 3 meses. Meu marido recebeu um e-mail avisando que o documento já estava pronto pra ser retirado. Nossos passaportes vieram com um visto com validade de 3 meses (a contar da data de partida do vôo), e a permissão de residência obrigatoriamente teria que ser feita em Madrid.

Para saber um pouco mais sobre como proceder para obter permissão de residência na Espanha e emissão de documento de identidade, dediquei um post só pra isso (para ler, clique aqui).

Beijos!