O que você não pode deixar de ver no Rio

Visitar por um dia, um mês, um ano. Posso dizer com autoridade que você nunca ficará entediado ao visitar o Rio. Eu, que já havia ido à capital fluminense pelo menos umas 10x antes de me mudar – sem exagero – há um ano desembarquei pra uma estadia de longa duração e aos poucos vou pelo menos tentando zerar o que tem de bom por aqui e conto em primeira mão o que você não pode deixar de ver no Rio de Janeiro.

Separei alguns lugares que acho indispensáveis de conhecer, o que vai variar obviamente de acordo com o tempo que você terá de estadia. Pra esses pontos você vai precisar de pelo menos 4 dias – e também vai precisar fazer uma fezinha pra São Pedro ajudar com o tempo! 🙂

Praia de Copacabana

A princesinha do mar, quiçá a praia mais famosa do Brasil, merece respeito. Possui ótima infraestrutura pro turista, facílimo acesso de transporte público, excelente orla pra pedalar ou caminhar, centenas de barzinhos, restaurantes, hotéis, etc. Além de ser naturalmente muito bonita, claro. Pelo fato de ser uma praia central e muito movimentada (tanto de dia quanto à noite), é também um lugar pra ficar atento com os pertences, pois trombadinhas estão por todo lugar e geralmente andam em grupo. Quanto à água do mar, é bem fria, com momentos raros no verão que a água fica mais morna.

Praia de Copacabana

Praia de Copacabana

Calçadão de Copacabana com a amiga Teresa

Calçadão de Copacabana com a amiga Teresa

Dica de lugar pra comer em Copa com requinte e sofisticação: Restaurante Pérgula, no Copacabana Palace

Dica de lugar pra comer em Copa sem gastar muito: Onde comer no Rio sem gastar uma fortuna

Dica de barzinho pra ir à noite e ver gente: Boteco Belmonte (clássico carioca que adoro, está espalhado por vários bairros e é um pouco caro), Pavão Azul (bar simples e estilo “pé sujo” que vive lotado e tem preço ótimo).

Forte de Copacabana

Ainda no circuito Copacabana, dê uma esticadinha até o Forte, um dos meus lugares preferidos na cidade e parada obrigatória quando recebo alguém de fora. De lá temos uma vista linda de toda a praia e também da vizinha Praia do Leme. É um local bem sossegado, lindo e que rende ótimas fotos. Além do mais, tem nada menos que uma Confeitaria Colombo lá dentro. É necessário adquirir ingresso pra entrar (R$6), mas vale a pena pela segurança e conforto que tem o local, que é uma área militar. Caso esteja chovendo opte por outra atração, já que essa é uma área aberta.

Dica: Sente em uma mesa externa na Confeitaria Colombo pra apreciar a vista, peça um Capuccino Colombo e seja feliz. 🙂

Praia de Ipanema

Caso queira aproveitar o embalo e ir andando da atração anterior, vá caminhando passando pelo Arpoador, mais especificamente na Pedra do Arpoador, lugar que oferece uma vista espetacular de toda a Praia de Ipanema e Leblon, Morro 2 Irmãos e um pôr do sol espetacular.

Caminhando mais um pouco, você verá a estátua de Tom Jobim, que era amante e morador do bairro. Tem algo mais a cara de Ipanema que ele? rs.

Com menos infraestrutura na orla que Copacabana, ainda assim tem uma certa infraestrutura pro visitante, mas com produtos mais caros. Eu quase nunca vou à Ipanema pra ir à praia em si, geralmente vou pra algum restaurante ou barzinho que tem no bairro (que são muitos!). Entretanto pra quem gosta de entrar no mar, apesar da água fria, é uma boa pedida.

Num quente dia de verão com Lily (@apaixonadosporviagens) e Cris com seu bebê (@crispelomundo)

Num quente dia de verão com Lily (@apaixonadosporviagens) e Cris com seu bebê (@crispelomundo)

Dica de lugar pra comer com requinte em Ipanema: Trattoria Gero, do Grupo Fasano, Gabbiano Al Mare (restaurante com vista).

Dica de bar em Ipanema: Bar Astor, bem em frente à Praia, Boteco Belmonte Ipanema, Barthodomeu (todos muito perto do metrô).

Dica de onde comer sem gastar muito em Ipanema: Fazendola (self-service) e Garota de Ipanema (berço da famosa música).

Não se enquadrando como restaurante sofisticado  e muito menos como restaurante econômico é o CT Boucherie, restaurante maravilhoso que todo mundo deveria separar uns bons reais e conhecer rs.

OBS: Eu poderia fazer um post só de lugares bons pra comer em Ipanema, pois tem muita opção!! 🙂

Escadaria Selarón

Saindo do circuito praias, vale a pena conhecer a Escadaria Selarón, localizada a 5 minutos dos Arcos da Lapa. Praticamente uma obra de arte e não apenas uma escada, a obra foi feita pelo chileno Jorge Selarón, e trata-se de 215 degraus medindo 125 metros de comprimento, que são cobertos por mais de dois mil azulejos de mais de 60 países do mundo. É impressionante como é grande, e eu não tinha ideia disso até conhecer. É muito bonito, alegre, colorido e brasileiríssimo!

Fazendo sua reserva de hospedagem no Rio de Janeiro por esse link, você ajuda o blog a se manter vivo e não paga nada a mais por isso! :)

Recomendo que vá de dia, por ser mais movimentado. E bote movimento nisso! Tirar uma foto sozinha na famosa escada requer paciência pra entrar em uma fila de turistas em busca de um espaço rs.

OBS: Evite ir de carro para o local, pois não tem onde estacionar. A estação de metrô mais próxima é Cinelândia.

Dica: Não vá com um sapato escorregadio, principalmente se tiver chovido. Como caminhamos sobre azulejos, dependendo do calçado pode escorregar.

Centro

Caso queira continuar o circuito anterior a pé, e menos de 1 km estará no Teatro Municipal, sem dúvidas umas das mais bonitas construções do centro histórico. Aliás essa região do centro tem um ar europeu que nenhum outro bairro tem. Nas redondezas do teatro você encontrará outras belas edificações como a Biblioteca Nacional e o Museu Nacional de Belas Artes, que nos remete ao Rio imperial, com acervo iniciado com diversas obras de arte trazidas por D. João VI, e sendo ampliado ao longo dos anos.

Horário de Visitação Theatro Municipal (Visitas Guiadas)
• De terça a sexta: 11h30, 12h, 14h, 14h30, 15h e 16h.
• Sábados e feriados: 11h, 12h e 13h.

Ingressos
Inteira: R$20
Meia: R$10

O que ver no Rio de Janeiro: Theatro Municipal

O que ver no Rio de Janeiro: Theatro Municipal

Seguindo ainda pela Avenida Rio Branco, o visitante terá opções diversas de museus e visitas de cunho cultural (Caixa Cultural, Centro Cultural Banco do Brasil, etc). Caso tenha interesse verifique a programação. É no próximo ponto que eu quero chegar.

Onde comer no centro do Rio: Pampa (self-service maravilhoso!)

Confeitaria Colombo

Já ouviram falar dela por aqui, certo? Mas não falei da pioneira, na Rua Gonçalves Dias. Localizada nessa simpática rua com ares europeus, a Confeitaria Colombo é um ícone dos tempos áureos do Rio de Janeiro e é considerada uma das mais bonitas cafeterias do mundo.

E nem só de beleza e decoração vive esse lugar, que está a todo vapor desde 1894. Ponto de encontro de intelectuais como Olavo Bilac e Machado de Assis, reza a lenda que outro assíduo frequentador era Getúlio Vargas, que teria bolado a Revolução de 30 de um dos salões da Confeitaria.

Confeitaria Colombo

Confeitaria Colombo

Eu, menos intelectualizada que os célebres frequentadores, sigo recomendando uma ida ao local pra mais um Capuccino Colombo, por favor, e uma empadinha de camarão pra acompanhar. 🙂

Real Gabinete Português de Leitura

Ainda contaminados de cultura e história, sigamos pra essa pérola no centro da cidade, que injustamente não é visitada como deveria. A parte positiva é que é uma atração gratuita, localizada a apenas 450 metros da atração anterior. Fundado em 1837, o local abriga o maior número de obras de autores portugueses fora de Portugal. Merece destaque o exemplar da primeira edição de “Os Lusíadas”, de 1572, que pertenceu à Companhia de Jesus.

O que fazer no Rio: Visitar o Real Gabinete Português de Leitura

O que fazer no Rio: Visitar o Real Gabinete Português de Leitura

Fugindo um pouco da realidade e viajando um pouco na maionese, não dá pra não comparar o local com o cenário do filme do bruxinho Harry Potter. Só indo pra saber como é parecido! rs.

Real Gabinete Português de Leitura

Real Gabinete Português de Leitura

Porto Maravilha

Caso queira continuar o tour do ponto anterior, basta andar pra Avenida Rio Branco e pegar um VLT pra seguir rumo à região portuária. Essa área foi totalmente revitalizada para as Olimpíadas de 2016 e pelo visto deu muito certo: belo paisagismo, atrações incríveis, obras de arte a céu aberto e muita atividade ao ar livre completam o local. Lá está localizado o Museu do Amanhã, cuja autoria arquitetônica é do famoso espanhol Santiago Calatrava; o Aquario, maior aquário marinho da América do Sul; e também o gigantesco mural Etnias, do artista Kobra, que foi considerado pelo Guinness Book o maior grafite do mundo. Nem precisa eu dizer que vale muito a pena a ida nesse local né? 🙂

Museu do Amanhã ao fundo

Museu do Amanhã ao fundo

Aquario é atração imperdível para pessoas de todas as idades

Aquario é atração imperdível para pessoas de todas as idades

Mural Etnias/Kobra

Mural Etnias/Kobra

Cristo Redentor

Num dia mais tranquilo e com céu limpo prepare-se pra conhecer o principal cartão-postal da cidade: Cristo Redentor. Você tem duas opções de acesso ao Cristo: pelas vans oficiais e também pelo Trem do Corcovado, no Cosme Velho. Eu já fui das duas maneiras, mas particularmente achei bem mais legal ir de trenzinho subindo a Floresta da Tijuca.

Chegando de van:

  • As vans oficiais partem da Praça do Lido, em Copacabana, do Largo do Machado (bem ao lado do metrô), e do shopping Città América, na Barra da Tijuca.

Quanto custa:

  • De van na ALTA temporada: R$74,00;
  • De van na BAIXA temporada: R$61,00;
  • Trem do Corcovado ALTA temporada: R$75,00;
  • Trem do Corcovado BAIXA temporada: R$62,00.

Sugiro que verifique nos sites oficiais o calendário de temporadas pra saber exatamente em qual se dará sua visita. Os valores apresentados acima foram pesquisados em novembro de 2017.

Cristo Redentor: O maior símbolo da capital fluminense

Cristo Redentor: O maior símbolo da capital fluminense

Além das duas maneiras apresentadas há uma terceira que não recomendo muito: ir por conta própria. Em minha última visita ao Cristo Redentor peguei um Cabify pra acessar o Centro de Visitantes Paineiras e então poder seguir pro Cristo a partir de lá. A ida foi tranquila, porém sei de relatos que os motoristas muitas vezes não querem subir por ser uma região com muitas ladeiras, chão de paralelepípedo e acesso não tão simples. Além disso, não pega sinal de telefone lá, o que dificulta pedir um carro de aplicativo na volta, ficando refém dos taxistas e seus preços exorbitantes.

Digo isso porque na volta, como não tinha sinal no celular, tive que pegar um dos táxis que ficam no local e que não usam o taxímetro. Ou seja, cobraram R$50 numa corrida que no taxímetro daria apenas R$18. Não sei se todos “trabalham” assim (aspas), mas como minha experiência foi ruim não recomendo de modo algum. Apesar do ingresso ser mais barato pra quem opta por acessar o Monumento a partir de Paineiras (R$41 alta temporada/R$28 baixa) não valeu a pena.

Pão de Açúcar

Dentre as clássicas atrações turísticas da cidade, essa posso dizer que é minha favorita. Tem fácil acesso, vista maravilhosa, ótimo lugar pra apreciar o pôr do sol e boa infraestrutura pro visitante. Você pode chegar ao Pão de Açúcar parcialmente pela trilha que dá acesso ao Morro da Urca, e então no Morro da Urca pegar o bondinho até o ponto final. A economia é de 50%, mas requer um certo preparo físico pra uma trilha de nível leve, mas que de qualquer forma requer esforço físico e tempo.

Pão de Açúcar

Pão de Açúcar

OBS: Escrevi um post completo sobre como é a trilha pro Morro da Urca aqui.

O preço pro bondinho Pão de Açúcar é salgado (R$80) e em determinadas épocas do ano cariocas e moradores do Rio pagam meia entrada. Apesar de caro, vale muito a pena por ser um passeio fantástico. 🙂

Praias fora da Zona Sul

Depois de cumprida a maratona de visitas a lugares clássicos, eu recomendo que separe um dia pra conhecer ao menos um pouco as praias fora do circuito Zona Sul. Eu adoro a Praia da Barra e a Praia de Grumari, essa última bem distante e sem infraestrutura pro visitante, o que faz dela menos urbana, menos movimentada e geralmente mais limpa.

Quando vou à Praia da Barra, gosto de ficar no quiosque Gávea Beach Club, que oferece ótimos drinks, petiscos e música ambiente deliciosa. Escrevi um post contando sobre esse local.

Praia da Barra num verão com água morninha!

Praia da Barra num verão com água morninha!

Além das praias citadas, caso tenha mais tempo vale a pena incluir uma ida à Praia da Macumba, Praia do Recreio e Prainha – principalmente se curte surf. Essas praias são lindas e transmitem aquela sensação de que nem estamos na capital sabe? Infelizmente o acesso de transporte público não é fácil se estiver hospedado na Zona Sul, pois é de fato muito longe e o metrô não chega lá. Sempre que vou, vou de carro.

Essas são as atrações que considero imperdíveis numa visita ao Rio e que vira e mexe gosto de fazer, mesmo como moradora. Espero que curtam a cidade, o clima e o estilo de vida do povo local, que é bem descontraído e sem formalidades. Além dessas, a cidade tem muitas outras coisas pra ver, mas as mais imperdíveis pro turista listo aqui. 🙂

Comente!

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE