Natal dos sonhos: O que fazer em Zermatt

Durante minha programação de viagem pela Suíça, uma coisa eu tinha certeza: queria passar o Natal em Zermatt. Fiquei duas noites na cidade, pra poder curtir tudo mais com calma, e vou contar pra vocês o que fazer em Zermatt nessa época.

Eu na verdade dormi em Täsch, que é a cidade vizinha, a apenas 10 minutinhos de trem. Como fomos em altíssima temporada, o preço dos hotéis estava altíssimo – o que já é naturalmente – mas que nessa época fica pior.

Ficamos no Alpine Budget Rooms by Täscherhof e pagamos 115 CHF na diária sem café da manhã, que compramos na hora por 10 CHF cada. O hotel era ótimo, limpo, todo em madeira, bem decorado, aconchegante, atendimento 10, café da manhã excelente e literalmente colado na estação de trem que leva pra Zermatt. A vista do nosso quarto era um sonho e confesso que era difícil de sair do quarto pela manhã rsrs.

A vista da janela do nosso quarto

A vista da janela do nosso quarto

Atenção: Caso você vá de carro pra Zermatt, saiba que não é permitido circular carro na cidade. A última cidade em que poderá circular com o carro é Täsch, o que acaba sendo uma ótima opção de estadia para as pessoas que optam por esse tipo de transporte.

Após fazermos check-in no hotel, fomos passear por Zermatt, especialmente na Bahnhofstrasse, que é a principal rua da cidade, super movimentada, repleta de restaurantes, bares, cafés, hotéis e lojinhas. Caminhamos até a praça da cidade. Nessa praça você vai encontrar:

  • Matterhorn Museum: Inaugurado em 2006, conta a história de Zermatt e da Matterhorn, desde a primeira subida até os dias atuais. É um passeio muito bacana na cidade, principalmente nos dias de muito frio, pois trata-se de uma atração em ambiente fechado;
  • Fonte da marmota, que enfeita a vila com suas marmotas de bronze;
  • Igreja de São Maurício (St. Mauritius), de religião protestante, que domina na Suíça. Por dentro segue o padrão das igrejas protestantes (simples e sem decoração).
Matterhorn Museum

Matterhorn Museum

Matterhorn Museum

Matterhorn Museum

A evolução dos sapatos dos escaladores

A evolução dos sapatos dos escaladores

Fonte da marmota

Fonte da marmota

Igreja de São Maurício

Igreja de São Maurício

Virando à esquerda, entre o museu e a igreja, você vai ver:

  • Cemitério dos alpinistas, com cerca de 50 túmulos de alpinistas que morreram tentando escalar a montanha. As lápides possuem dizeres, alguns com a causa do acidente. Há, inclusive, de um brasileiro;
  • Memorial aos alpinistas e guias de alpinismo, homenageando todos aqueles que perderam suas vidas tentando escalar montanhas na região de Zermatt.

Depois de perambular um bocado, fomos jantar. Escolhemos o Restaurante Derby, de um hotel, que fica bem pertinho da estação de trem. Escolhi uma massa com salmão defumado e meu marido uma batata rosti com carne de vitela, além de um tiramisu de sobremesa. A comida estava boa, mas o atendimento – apesar de não ter sido ruim – não foi dos melhores. Gastamos aproximadamente 80 CHF no jantar, o que foi bem na média do restante do país.

Restaurante Derby em Zermatt

Restaurante Derby em Zermatt

O dia seguinte separamos para os passeios de montanha. O dia, apesar de frio, estava lindo, com um céu azul de encantar. Como possuíamos o Swiss Pass, obtivemos 50% de desconto na compra dos passeios de montanha mais famosos da região: Matterhorn Glacier Paradise e Gornergrat. Nenhum dos dois está incluso no Swiss Pass, sendo necessário adquiri-los à parte (45 CHF e 41 CHF, respectivamente, com o Swiss Pass).

 

Não é todo dia que curtimos um friozinho nos Alpes! kkk

Não é todo dia que curtimos um friozinho nos Alpes! kkk

Opte por esses passeios nos dias ensolarados e pela manhã, pois a vista com certeza será mais bonita, além de pela manhã a Matterhorn ficar iluminada pelo sol. Tratam-se de passeios caros, então escolha o melhor dia para fazê-los.

Optamos pelo passeio pra Gornergrat, que depois de inúmeras pesquisas na internet sobre qual seria o mais interessante, levou a melhor.

Compramos nossos ingressos ainda em Täsch e ao desembarcar em Zermatt fomos direto pra outra estação ferroviária, que está localizada bem em frente a estação de trem principal. Costuma ter filas, mas é tudo bem pontual e organizado. O passeio até o topo da montanha se dá num trem de cremalheira e dura aproximadamente 35 minutos, que mais parecem a ascensão ao paraíso rs. É muita paisagem linda, gente! O Gornergrat está situado a 3.100 metros de altitude e proporciona uma vista espetacular da montanha mais famosa da região: Matterhorn. Sente do lado direito do trem para ter as melhores vistas.

Estação ferroviária que leva para o Gornergrat

Estação ferroviária que leva para o Gornergrat

A título de curiosidade, a Matterhorn é mais familiar do que imaginamos, pois é a que serviu de inspiração para as embalagens dos chocolates Toblerone. 🙂

Matterhorn ao fundo

Matterhorn ao fundo

Subimos embasbacados com tanta beleza. Chegando lá no topo fomos apreciar as belas paisagens, tirar centenas de fotos e paramos pra tomar uma bebida quente num café de um hotel que possui no local. Imagina que luxo?

Um escândalo! rs

Um escândalo! rs

Recomendo que vá com um calçado adequado pra não se espatifar no chão

Recomendo que vá com um calçado adequado pra não se espatifar no chão

Subindo no trem de cremalheira em Zermatt

Subindo no trem de cremalheira em Zermatt

O que fazer em Zermatt

O que fazer em Zermatt

Café do hotel

Café do hotel

As estações são perfeitamente sinalizadas e organizadas, e havia uma pista só para a prática de trenó. Resolvemos alugar um pra nós dois e descer até a estação seguinte, Riffelsee, que está a 2.815 metros de altitude. O que não esperávamos é que haveria tantas descidas íngremes e curvas sinuosas, o que, depois de muitas gargalhadas e momentos maravilhosos, nos causou um acidente com direito a um dedo quebrado e um pescoço duro por uns dias. Agora que já passou posso contar, mas que perrengue viu?

Estávamos descendo numa velocidade bem alta e perdemos o controle numa curva. Como meu marido tava com a Gopro na mão, o bastão engatou numa rede de proteção que tem nas curvas e quebrou o dedo. Eu, voei. Bati a cabeça no chão (ou seja, no gelo), mas graças a Deus não aconteceu nada mais grave.

Ficamos muito assustados com o acidente, pois o dedo do meu marido começou a inchar, teve pequenos ferimentos e decidimos ir pro hotel tentar contatar o seguro. O problema é que estávamos numa tarde do dia 24 de dezembro, a poucas horas do Natal. Não foi tão simples – nem na Suíça. Não sabíamos ao certo se ele havia quebrado o dedo de fato, e só descobrimos no dia seguinte, mas isso é assunto pra outra conversa. O que importa é que isso não atrapalhou nossa viagem, que seguiu sem novos incidentes rs.

Fomos caminhando até a estação Riffelsee, onde pegaríamos o trem pra descer pra cidade. O caminho de poucos metros foi complicado, pois era tanta neve que nossos pés afundavam de maneira assustadora, parecendo areia movediça rs. Mas conseguimos chegar, e deu tudo certo.

Já contei pra vocês que os relógios de lá são muito luxuosos? rs

Já contei pra vocês que os relógios de lá são muito luxuosos? rs

Resolvemos ficar no nosso hotel pra curtir a noite de Natal. Havia um restaurante super aconchegante lá, e estava sendo servido um menu especial de Natal. Ficamos por lá, com direito a vinho e janelinhas embaçadas por causa da neve, além de música ambiente que nos remetia à festividade. Ali finalizamos nossa noite, com direito à esposa cortando em pedacinhos a carne do prato do marido, que não conseguia movimentar o dedo rsrs.

Sensação térmica de -8°C

Sensação térmica de -8°C

 

Não fizemos o passeio Matterhorn Glacier Paradise, que é feito num teleférico, que é o mais alto da Europa, levando a uma altitude de 3.883 m. Do topo pode-se admirar as vistas das montanhas mais altas da Itália, França e Suíça. Além da vista, lá no topo tem um palácio de gelo, com ingresso comprado à parte.

Acho que independente do passeio que você faça, será maravilhoso. São sem dúvidas uma das paisagens mais bonitas que já vi na vida!

Zermatt no Natal

Zermatt no Natal

Zermatt no Natal

Zermatt no Natal

A dica é acordar bem cedo pra ver a Matterhorn iluminada no nascer do sol!

A dica é acordar bem cedo pra ver a Matterhorn iluminada no nascer do sol!

O céu de Zermatt

O céu de Zermatt

As montanhas iluminadas pelo sol ficam espetaculares!

As montanhas iluminadas pelo sol ficam espetaculares!

Gratidão!

Gratidão!

O que fazer em Zermatt no verão?

Pra alegria de todos, há neve o ano todo nos passeios citados acima, e as paisagens são sempre espetaculares. O que muda no inverno é que vira alta temporada pela prática constante de esportes como o esqui, que têm várias estações no local e muitos adeptos.

Onde me hospedo em Zermatt?

A dica não vai ser de hotel, mas de localização. Opte por um hotel na Bahnhofstrasse ou não muito distante dela, pois como não tem carro na cidade, provavelmente voce irá andando da estação até seu hotel. Na verdade há alguns carros elétricos pequenos, e somente eles são autorizados a circular. Digo pra não se distanciar da Bahnhofstrasse pois além de ladeiras, há  muita neve, o que dificulta quem está com malas.

A cidade é mesmo muito cara?

Sim, bastante. O fato da hospedagem ter preços nas alturas e os passeios de montanha serem caros, onera bastante a estadia dos visitantes. Minha sugestão caso queiram economizar é que se hospedem em Täsch, pois os preços são menores – tenham em mente que barato ainda assim não será.

Outra dica pra economizar é que comprem lanches e coisas avulsas nos supermercados da cidade, como o Coop. Esse supermercado tem bastante variedade e produtos de boa qualidade.

Seja barata ou cara, recomendo muito que conheçam essa preciosidade caso viajem para a Suíça! O país como um todo nos surpreendeu e nos encantou, mas Zermatt mais ainda! 🙂

CONTINUE LENDO:

Agradecimentos à querida Eliana, do Instagram @turistandonasuica, que muito me ajudou na elaboração do roteiro.

Zermatt

Comente!

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE