São Paulo – SP

Restaurante Dalva e Dito

Uma das coisas que mais gosto de fazer é sair pra comer, e se puder ser num lugar cheio de beleza, de conforto, do bom cheiro e do sabor, por que não? 🙂 Para nossa alegria, o chef Alex Atala, que comanda dois bons restaurantes em São Paulo (DOM e Dalva e Dito), pratica preços diferentes e mais acessíveis nesse último – porém não entenda isso necessariamente como barato. O Dalva e Dito é menos caro que o DOM e com foco na cozinha brasileira e com um clima mais informal. O DOM é conhecido pela alta gastronomia, altos preços e pequenas porções, e obviamente por ter sido premiado como o melhor restaurante do país e um dos melhores do mundo (para ver o ranking, clique aqui). Infelizmente vocês vão ter que se contentar em ver algumas fotos oficiais tiradas do próprio site do restaurante, pois tirei poucas fotos.

Restaurante Dalva e Dito | Foto retirada do site oficial

Restaurante Dalva e Dito | Foto retirada do site oficial

Piso inferior do restaurante

Piso inferior do restaurante

Fui em duas ocasiões ao famoso restaurante do premiadíssimo chef Alex Atala, e aqui vou discorrer um pouquinho sobre o que comi.

Da primeira vez fui somente lanchar, o local dispõe de um local próprio com sofás no Mercado Dalva e Dito para quem vai para este fim. Se quiser algo específico, telefone para o local e peça para reservarem para o horário desejado. Por exemplo, meu marido queria comer coxinha de pato no tucupi (R$6), telefonei no mesmo dia avisando a hora que iria e quando cheguei já estava prontinha me esperando. Tcharãn!

Coxinha de pato do Dalva e Dito

Coxinha de pato do Dalva e Dito

Um dos produtos vendidos no Mercado Dalva e Dito

Um dos produtos vendidos no Mercado Dalva e Dito

Além da coxinha de pato comemos um tal de bolovo (R$6), espécie de bolinho de carne com ovo. Confesso que era recheio demais e eu achei um pouco pesado. Não curti.

O atendimento do mercadinho achei que deixou a desejar, a atendente era bastante grossa e estúpida. Com certeza não estava trabalhando na profissão certa, a que lida diariamente com o público.

Na segunda visita a opinião com relação ao atendimento mudou completamente. Não precisamos de reserva para jantar e fomos prontamente atendidos ao chegar. Garçons simpáticos e atenciosos, bem dispostos em atender e explicar os pratos.

Pedimos de entrada uma porção de pastel (3 de carne e 3 de camarão). Muito bom tempero, sem ser oleoso e bom sabor.

De prato principal pedi um Pirarucu ao molho de castanha-do-Pará e ratatouille do sertão (R$92), que nada mais é do que mandioquinha, quiabo, palmito pupunha, abóbora, batata- doce roxa e banana-da-terra com um tempero delicioso. O que falar do amazônida Pirarucu? Não sei se é porque eu não o comia há muitos anos, mas estava espetacular. Postas grandes grelhadas e douradinhas que estavam de comer rezando! Ah, vale ressaltar que os pratos são individuais, e como não são muito fartos, não tem como dividir.

Meu marido pediu um prato chamado Porco na lata com purê de batata e pequi, que, segundo ele, estava excelente (faixa de R$70).

Uma amiga que estava conosco pediu uma picanha gaúcha com farofa (R$ 78/300g). Confesso que achei estranho esse prato, o único acompanhamento era realmente uma farofinha paulista, que eu particularmente não gosto. Achei que pecou no conjunto da apresentação, mas, segundo ela, a carne estava ótima (e ela é gaúcha, hein…). A carne realmente estava bonita: grossa, no ponto e com aparência de boa qualidade, mas colocar só uma carne no prato e servir com uma cumbuquinha de farofa achei esquisitão…hehe.

De sobremesa fui no carro-chefe da casa: cheesecake de requeijão, uma versão brasileira do cheesecake com farofa de castanha de caju e calda de jabuticaba (R$23). Simplesmente sensacional! Nota 10!

Para beber tomamos champagne, que eu não posso discorrer sobre porque ficou sob responsabilidade do amigo do meu marido que estava conosco, um senhor mais entendido do mundo dos champagnes.

Achei a experiência muito válida no famoso restaurante e eu certamente voltaria e recomendo. Durante o jantar o próprio Alex Atala apareceu cumprimentando vários clientes em suas mesas, e alguns deles tiraram fotos com o chef. Como já estávamos quase indo embora, não tietamos. Fica pra próxima.

Dalva e Dito

Dalva e Dito

OBS: Quem quiser conhecer o restaurante e gastar menos, saiba que é servido durante a semana um menu executivo, com preços mais baixos (faixa de R$60).

Curiosidade: Ao olhar o menu do restaurante, verifique que alguns pratos possuem o selo do Instituto Atá, do qual Alex Atala é integrante. O instituto visa incentivar o uso de ingredientes naturais pouco conhecidos e valorizar o pequeno produtor. Então ao ver no cardápio um prato com o selo quer dizer que os ingredientes são oriundos de pequenos produtores que possuem parceria com o Instituto. 🙂

Endereço: Rua Padre João Manuel, 1115 – Cerqueira César, São Paulo – SP, 01411-001, Brasil
De segunda à quinta 12h – 15h | 19h – 00h / Sexta 12h – 15h | 19h – 01h / Sábado 12h – 16h30 | 19h – 01h / Domingo 12h – 17h.

 

 

 

Brasserie des Arts – São Paulo

Conheci o Brasserie des Arts em São Paulo por acaso. Já havia ouvido falar e visto algumas fotinhos do local no instagram, mas ainda não tinha ido conhecer. Esse badaladérrimo restaurante possui a sede em Saint-Tropez (Riviera Francesa) e uma filial aqui pertinho da gente, em Sampa. O forte desse local além do ambiente delicioso são os drinks, que ficam a cargo do barman Marcelo Serrano, conhecido por elaborar os mais diversos e exóticos tipos de bebidinhas.

O ambiente requer um traje mais elegante – não por regra – mas por costume. Local de muita gente bonita, música animada na medida certa e ambiente meia luz dão um charme especial para o local. Não estranhe se de repente ver algum famoso pintando por lá.

Eu, particularmente, não fui para o local para beber, e sim para jantar (meu foco). A comida não deixou a desejar em nada, estava tudo na medida certa: pedi um Filé ao molho mostarda com risoto parmeggiano que estava sensacional. Carne no ponto, macia e suculenta, e risoto suave, daqueles que dá vontade de repetir. Ainda desejo esse prato de novo até hoje. 🙂

Filé ao molho mostarda com risoto parmeggiano

Filé ao molho mostarda com risoto parmeggiano

Meu marido pediu um magret de pato (filé de carne magra de pato) com purê de mandioquinha que gostou, mas esperava mais. Acho que a sortuda da noite foi eu mesmo! 🙂

Magret de pato

Magret de pato

Provei o drink mais famoso da casa, o Moskow Mule, drink da casa que leva vodka Grey Goose, suco de limão e gengibre. Esse drink é espetacular!. Do tipo “vale a visita”. Vocês me perdoam se eu disser que não tirei foto do drink?. (fail).

Não comi sobremesa, apenas um cafezinho. Achei que a visita valeu muito a pena, apesar do preço não ser barato. Tenho vontade de voltar lá pela comida que comi e por um drink que me chamou atenção: manauara cocktail (Vodka Stolichnaya, purê de cupuaçu, limoncello, frangélico e espuma de jambu). Não parece bom?

Carta de drinks

Carta de drinks

Quanto gastar no Brasserie des Arts

Quanto gastar no Brasserie des Arts

Onde fica? Rua Padre João Manuel, 1231 – Jardim Paulista – São Paulo – SP

Funcionamento: Segunda e terça: 19h – 00h / Quarta: 19h – 00h30 / Quinta: 19h – 01h / Sexta: 12h – 15h e também 19h – 01h30 / Sábado: 13h – 02h / Domingo: 13h – 23h30

 

Já conhece o Bar da Dona Onça?

Ótima opção de “onde comer em São Paulo” seja de dia ou seja de noite. O Bar da Dona Onça, que se destaca também como restaurante, está localizado no famosíssimo Edifício Copan, desenhado por Oscar Niemeyer. Comandado pelo casal Janaína e Jefferson Rueda, o local já ganhou inúmeros prêmios, entre eles:

Prêmios Bar da Dona Onça | Imagem retirada do site

Prêmios Bar da Dona Onça | Imagem retirada do site

Conheci a chef através de sites de gastronomia e perfil no Instagram, mas posteriormente apareceu na TV em programas como da Angélica, por exemplo.

Fui conhecer o local durante um almoço no meio da semana e não tive problemas com filas, porém estava bastante movimentado.  Fui com uma amiga e pedimos um prato pra compartilhar, o que foi suficiente, pois além dele pedimos entrada. Vou detalhar aqui pra vocês, então vamos lá. 🙂

ENTRADA

Pedimos de entrada uns bolinhos fritos de espinafre caseiro e de croquete de carne de panela (R$29,00). Como pode um simples bolinho de espinafre ser tão delicioso? Simples, sequinho e super saboroso. Até eu que não sou fã de espinafre, gostei até mais dele do que do croquete de carne de panela.

Entradinhas

Entradinhas

PRATO PRINCIPAL

De prato principal pedi uma Carne de panela com legumes e arroz soltinho, e feijão de acompanhamento. Simples né? Quem vê até se pergunta por que alguém vai para um restaurante comer uma comida tão caseira, POIS É, justamente esse o motivo. Sabor caseiro, na medida certa e espetacular. É servido numa panelinha à mesa e suficiente para duas pessoas (R$49,00).

Carne de panela com legumes e arroz soltinho, e feijão de acompanhamento

Carne de panela com legumes e arroz soltinho, e feijão de acompanhamento

SOBREMESA

Eu confesso que nem estava com fome mais, mas minha amiga e eu decidimos dividir uma sobremesa. 🙂 Pedimos então a que mais definia o nosso momento, sobremesa que recebe o nome de “Eu sou feliz”, que tem uma espuma de baunilha, caramelo, amendoim, sorvete feito na casa, banana caramelizada, chocolate ao leite, paçoca e pão de ló crocante. Uma bomba calórica né? Porém apesar de tanta coisa, não é nada pesado e nem muito doce. Mais uma vez na medida certa (R$24,00).

Cardápio de sobremesa

Cardápio de sobremesa

Você é feliz?

Você é feliz?

AMBIENTE

O ambiente é muito bem decorado e nada pesado, com caracterizações de oncinha. Até o freezer era de oncinha gente! 🙂 Achei muito agradável e limpo. Há mesas externas, porém fiquei no ambiente interno porque estava muito calor nesse dia.

Área externa do Bar da Dona Onça

Área externa do Bar da Dona Onça

Aos apaixonados por oncinha...

Aos apaixonados por oncinha…

Decor

Decor

Porta do banheiro feminino...rs

Porta do banheiro feminino…rs

ATENDIMENTO

O que dizer do atendimento? Sensacional! Não é um restaurante de luxo mas é sem dúvidas um dos melhores atendimentos que já recebi na capital paulista. Não sei se todos os garçons são simpáticos como o Sr. Felipe (Sr. nada, deve ter uns 30 anos), que é extremamente solícito, atencioso, educado e de bem com a vida. Inclusive ele nos “deu” de aperitivo pós-almoço um drink chamado “Leite de onça”, feito com 3 tipos de leite e rum. Gostei tanto que tomei dois. 🙂

Se você estiver passando pelo centro de São Paulo ou estiver desejando uma ótima comida caseira, esse é o lugar. Ficou na minha listinha de lugares para voltar em breve e sempre!

Quanto gastar no Bar da Dona Onça

Quanto gastar no Bar da Dona Onça

E pra finalizar o almoço - e o post - um cafézinho com docinho :)

E pra finalizar o almoço – e o post – um cafézinho com docinho 🙂

Horário de funcionamento: Segunda/quarta: 12h às 23:30h – Quinta/sábado: 12h às 00:30h – Domingo: 12h às 17:30h – Feriados (seg a qua) 12h às 23:30h – Feriados (12h às 00:30h).

Um abraço!

Restaurante Paris 6 – São Paulo

Olá gente, pra quem não sabe voltei para São Paulo. Pra não ficar muito triste, logo no meu primeiro dia de volta ao Brasil fui matar meu desejo de comer o famoso “Grand Gateau” do restaurante Paris 6, o SUPER badalado da capital paulista.

Fui almoçar num domingo e havia fila de espera, porém não demorou quase nada. Ah, não fiz reserva. 🙂

IMG_3808

Fila ainda pequena…

ATENDIMENTO

O atendimento é bom mas nada excepcional. Garçons eficientes e aptos para dar qualquer sugestão acerca dos pratos.

ENTRADA

Pedimos de entrada uma porção de queijo brie que estavam divinas! Sinceramente gostei mais da entrada do que do prato principal. Pena que não vinham muitos em uma porção, e quando comi fiquei com vontade de “quero mais”. 🙂 Quantidade ideal de recheio, quentinhos e sequinhos. Pra repetir.

PRATO PRINCIPAL

Pedi um Risotto de Morue à Fernando Meireles (risotto de lascas de bacalhau ao alho, azeite, ervas e amêndoas) e meu marido pediu um Truite aux amandes à Vanderlei Luxemburgo (filé de truta grelhado com molho de amêndoas com manteiga e purê de batatas).

O meu prato era bastante farto e possível de dividir com outra pessoa, porém o do meu marido servia bem apenas uma.

Sinceramente achei a comida cara demais pro que é: sem muito sabor, mais pra sem graça do que pra gostosa. Aquele tipo de comida que não vale a pena ir pra um restaurante comer… achei isso tanto do meu prato quanto do meu marido – e ele compartilhou da mesma opinião que eu.

Dica: Peça uma boa entrada e esqueça os pratos principais.

Risotto de Morue à Fernando Meireles

Risotto de Morue à Fernando Meireles

Truite aux amandes à Vanderlei Luxemburgo

Truite aux amandes à Vanderlei Luxemburgo

SOBREMESA

A estrela do meu almoço e o motivo principal da minha ida pra esse restaurante. Pedi o mais clássico e o mais pedido de todos: Grand Gateau au Eskimo de chocolat au lait à la creme de noisette à Paloma Bernardi. Pedi apenas um e dividi com meu marido, pro meu azar, pois ele AMOU e queria comer tudo…hahaha.

Vou traduzir do que se trata essa sobremesa: Um picolé Diletto de chocolate italiano, calda de creme de avelã francês ao leite condensado e morangos picados com avelãs granulados. Simplesmente DIVINO. Ainda tinha uma massa de bolo quentinha de comer rezaaaaando! A sobremesa desse restaurante ganhou meu respeito e meu paladar. Minha visita ao restaurante valeu toda a pena quando provei a sobremesa carro-chefe da casa. 🙂

Grand Gateau au Eskimo de chocolat au lait à la creme de noisette à Paloma Bernardi

Grand Gateau au Eskimo de chocolat au lait à la creme de noisette à Paloma Bernardi

PREÇO

Por ser muito popular entre as celebridades, o restaurante é extremamente disputado tanto na unidade do Rio de Janeiro quanto de São Paulo. É o típico lugar pra ver e ser visto, e, consequentemente o preço não é barato. A entradinha que citei aqui no post custou R$32,00,  meu prato principal R$69,00, do meu marido R$56,00 e sobremesa R$26,00. Fora o suco que pedi, que custou R$8,00/cada.

No fim das contas achei que valeu a pena mais pela sobremesa e entrada, pelo prato principal não.

Quanto gastar no Paris 6

Quanto gastar no Paris 6

Quanto gastar no Paris 6

Quanto gastar no Paris 6

OBS: Como vocês podem ver na nota, tem um prato principal e uma sobremesa a mais, pois meu primo estava comigo.

Dica: Verifique no instagram oficial do Paris 6 se não tem alguma promoção, pois de vez em quando eles fazem umas promos do tipo “poste sua sobremesa no instagram e ela sairá de graça” ou “apresente o post do instagram pro garçom e ao consumir um prato principal a sobremesa sairá de graça“. Economizar nunca é demais, não é? Aos interessados, o perfil deles é @paris_6.

Um beijo!

O que fazer em São Paulo

Hoje vou falar um pouquinho sobre o que fazer em São Paulo, cidade que me abrigou por quase 6 anos da minha vida, e que vivi muitas coisas maravilhosas nela. Falar de São Paulo é falar de muitas atrações turísticas, pois a cidade, conforme é conhecida, não para! Essa megalópole de 12 milhões de habitantes é uma das maiores e mais populosas cidades do mundo e é o centro financeiro do Brasil.

Vale ressaltar que destacarei as atrações que eu mais gosto, mas a cidade tem pra todos os gostos: eventos culturais, GLS, religiosos, milionários, eventos mais simples. Vai depender do bolso e do que você gosta de fazer! 🙂 É o tipo de cidade que ou você ama, ou você odeia. Se ainda não conhece, vale a pena conhecer e dar especial atenção às seguintes atrações:

TOP 15 DE  (MUITAS) ATRAÇÕES:

Aberto desde 2006, esse museu foi um dos melhores que conheci na capital paulista, cidade em que o idioma português é o mais falado do mundo, haja vista sua população estimada em 11,9 milhões de habitantes (fonte: IBGE). O museu, obviamente, é dedicado à língua portuguesa, à valorização e difusão do idioma. Não tem nada que descreva melhor o espaço do que o texto exposto no site oficial, em que diz que o museu objetiva “celebrar e valorizar a Língua Portuguesa, apresentada suas origens, história e influências sofridas; valorizar a diversidade da Cultura Brasileira e favorecer o intercâmbio entre os diversos países de Língua Portuguesa”. Não consegui encontrar palavras que coubessem melhor na explicação do que se trata o museu. Vale a pena cada minuto! É um espaço super educativo, interativo, confortável e que faz bom uso da tecnologia. Endereço: Estação da Luz | Praça da Luz, s/nº – Centro – São Paulo/SP. Preço: R$6,00. Dica: Aos sábados e às terças-feiras o ingresso é gratuito para todos os visitantes. Fechado às segundas. Outra dica: Já que já está lá, não deixe de entrar na Estação Luz, uma bela estação ferroviária. Como nem tudo é perfeito, atenção redobrada nesse local e nas redondezas, pois costuma ser perigoso.

Estação_da_Luz-edit-01

Estação da Luz – Foto retirada do WikipediaU

UPDATE: Devido ao incêndio no Museu, atualmente está fechado para restauro.

Considerado o mais importante museu de arte do Hemisfério Sul, está localizado no coração da Avenida Paulista. Fazem parte do acervo do museu obras de Ticiano, Rafael, Monet, Manet, Cézanne, Van Gogh, El Greco, Goya, Velázquez, Cândido Portinari e muitos outros não menos interessantes. Endereço: Avenida Paulista, 1578 – São Paulo – SP (metrô Trianon – MASP). Preço: R$30,00 (aceita meia). Fechado toda segunda-feira. Dica: Às terças a entrada é gratuita. Vale muito a pena a ida!

el greco

El Greco: Anunciação (foto retirada do site do MASP)

portinari

Portinari: Busto do Poeta Felippe Daudt d´Oliveira (foto retirada do site do MASP)

van gogh

Van Gogh: Passeio ao Crepúsculo (foto retirada do site do MASP)

Cartão postal de São Paulo, nessa avenida você verá de tudo: executivos, muitos trabalhadores (é uma zona extremamente empresarial), turistas, índios, gente de todas as tribos, de todas as cores, de todas as religiões. Poucas coisas são mais cosmopolitas no Brasil que essa rua. E melhor que passear nela, é trabalhar nela – e eu já tive essa sorte. 🙂 Do meu ponto de vista é a principal avenida da cidade e conta com shoppings, restaurantes, museus, parques, cinemas, lojas, centros culturais (Itaú Cultural e Centro Cultural FIESP), e ótimas livrarias (destaque para Livraria Cultura, no Conjunto Nacional – amo!). E tirando o trânsito, que costuma ser caótico, é bem legal de passear. Destaque para o período de natal, que a avenida se veste no clima natalino e seus prédios comerciais disputam qual decoração é a mais bonita da avenida – e a disputa costuma ser bem acirrada.

A vista do meu antigo trabalho!

A vista do meu antigo trabalho!

fotos Canon 547

Avenida Paulista

Pulmão dos paulistanos, esse belo parque é uma área verde de refúgio em meio ao caos urbano que é a cidade. Não se prenda somente aos passeios relacionados a esportes (que são muitos!) mas também aos eventos que ocorrem no Parque: shows, peças, concertos. Geralmente são bem baratinhos, ou até de graça! Já assisti show da Zélia Duncan e Frejat totalmente 0800 lá. Ah, e antes que pensem que é uma bagunça, não é não… foi muito tranquilo e organizado. Além de eventos, dentro do Ibirapuera tem o Museu de Arte Moderna, que abriga as principais obras de arte da América Latina. Preço: R$6,00 e gratuidade aos sábados. Fiquem ligados nas programação! Endereço: Av. Pedro Álvares Cabral, s/nº (Portão 10) – Vila Mariana. OBS: Não tem metrô nem trem próximo ao parque. Dica: Alugue uma bicicleta no local, geralmente disponibilizam por meia ou uma hora.

Parque do Ibirapuera

Parque do Ibirapuera

Parque do Ibirapuera

Parque do Ibirapuera

Monumento às Bandeiras (em frente ao Parque)

Monumento às Bandeiras (em frente ao Parque)

Em minha última visita a São Paulo incluí o Eataly no roteiro por motivos que remetem à origem do nome Eataly: Eat (comer) e Italy (Itália). Precisa de mais motivos? 🙂 Se sim, saiba que esse gigantesco mercado gourmet está presente em 5 países mundo afora, entre eles o Brasil, e não faria sentido ser em outra cidade que não Sao Paulo.

Quando falo em ser gigante, me refiro a uma bela área de 4.500 m², e que tem 13 pontos de alimentação, divididos por especialidade. Tem o restaurante dos frutos do mar, o da carne, o da massa, etc. Na ocasião visitei o da carne (“La Carne” – muito bom!), o das sobremesas e o quiosque da Nutella, e ainda arrematei uma garrafa grande de Bellini por R$60, o que não achei caro. O ambiente está lindo e vale muito a pena conhecer!

Funcionamento: Domingo a Quinta das 8h às 23h, Sexta e Sábado das 8h às 24h. Onde: Av. Pres. Juscelino Kubitschek, 1489.
Eataly São Paulo

Eataly São Paulo

Localizado no Estádio do Pacaembu, o museu é um grande presente para os amantes do futebol brasileiro e está situado embaixo das arquibancadas do estádio. No local pode-se ver fotos de grandes jogadores, história sobre alguns deles, almanaques, records, visualização de torcidas (essa parte é bem bacana!), etc. Destaque para a Sala Jogo de Corpo em que o visitante pode bater um pênalti e saber qual a velocidade de seu chute, no final ainda dá pra tirar uma foto e fazer o download no site do museu. Endereço: Praça Charles Miller, s/nº – Pacaembu – zona Oeste – São Paulo. Preço: R$ 10,00. OBS: O museu não abre às segundas-feiras e possui horário diferenciado em dias de jogos. Consulte a programação aqui.

Impossível escrever de Sampa e não citar esse incrível lugar de conhecer. Inaugurado em 65, é ainda um dos marcos da cidade, por ser um dos maiores exemplos da arquitetura verticalizada brasileira. Quase ao lado do icônico Edifício Copan, o Itália já foi o mais alto da capital e leva a fama de ter o melhor Skyline da cidade, vista do alto dos seus 46 andares. Recomendo que vá no fim da tarde pra pegar o por do sol e que fique até o anoitecer, pois só de lá você irá ter a real noção do tamanho gigantesco dessa cidade. Na cobertura tem um restaurante italiano chiquérrimo (e caríssimo!) e um piano bar super elegante e caro também que vale a pena conhecer. A propósito, o piano bar ainda fica num andar mais alto e tem uma vista maravilhosa, acompanhada de boa música e bons drinks. Dica de ouro: Caso você não queira comer no local, recomendo a ida pra apreciar a vista e deixo como opção o Bar da Dona Onça, que fica bem ao lado.

Vista do Terraço Itália

Vista do Terraço Itália

  • Parque da Independência

Logo que cheguei a São Paulo, morava pertinho desse Parque, e foi uma das primeiras atrações que visitei na cidade, devido à proximidade. O local abriga o Museu do Ipiranga, o Monumento à Independência – estátua dedicada ao “Grito do Ipiranga”, a Casa do Grito e os jardins com inspirações francesas. Na colina do Ipiranga D. Pedro I declarou o país independente de Portugal em 1822. Além da área verde, do museu e do monumento há outra coisa para ver no interior do monumento: a cripta onde estão enterrados D. Pedro I e Maria Leopoldina, que passam despercebidas por muitos moradores. OBS: O Museu do Ipiranga está fechado para obras sem previsão de abertura.

Algumas vezes têm eventos nesse parque, geralmente gratuitos. Em uma ocasião, participei no local da gravação do programa Altas Horas em um tributo ao sambista Adoniran Barbosa, e assisti show de artistas como Maria Rita, Demônios da Garoa, Lenine, Zélia Duncan, etc. Endereço: Av. Nazareth, s/n – Ipiranga, São Paulo/SP.

1024px-ParqueSP

Parque da Independência por Rodrigo Soldon – Flickr

No tradicional bairro do Jardim América, na esquina da Avenida Brasil com a Rua Colômbia, está localizada a – pra mim – mais bela igreja da capital paulista. Construída em 1940, tem como base igrejas barrocas brasileiras e portuguesas. Apesar de ser uma igreja pequena, tem uma beleza enorme, com muitos azulejos nas paredes laterais que denotam a Via Sacra, e teto com uma breve reprodução das pinturas da Capela Sistina. Essa igreja é bem requisitada para casamentos da alta sociedade na cidade e as missas costumam lotar. Endereço: Praça Ns. do Brasil – Jardim Paulista, São Paulo – SP.

  • Bairro da Liberdade em dia de feirinha

Esse famoso bairro da capital paulista é o maior reduto da comunidade japonesa na cidade. A presença de imigrantes japoneses começou no ano de 1912, quando estes começaram a se instalar e iniciar atividades comerciais com produtos tipicamente japoneses e até atividades de entretenimento como cinema japa. Algumas outras atividades relacionadas à cultura oriental como campeonatos de sumô e festival de flores acontecem por ali. Destaque para a Feirinha da Liberdade, que oferece a possibilidade aos seus visitantes de comer comida japonesa (e chinesa) barata como guiozá, sushis, sashimis, saquê, etc. Para quem não se importa em comer em pé e não tem frescura, é um prato cheio! Além de comida, a Praça da Liberdade fica repleta de barraquinhas com artesanato japonês. A feira ocorre somente aos sábados e domingos, de 9h às 18h. Para quem tem um pouquinho mais de frescura, o bairro está repleto de restaurantes para todos os bolsos. Dica: NÃO saia de lá sem entrar em uma das lojinhas de produtos orientais e comprar um bolo com massa de pão de ló e recheio de chantily, doces japoneses e claro picolé de melão Melona! Endereço: Praça da Liberdade, s/n, Próximo à estação de metrô de mesmo nome.

Liberdade com os amigos/família (2011)

Liberdade com os amigos/família (2011)

No centro da capital paulista está o Pateo do Collegio, local que os padres jesuítas se instalaram na cidade ao chegar de Portugal, em 1554. Ali começou a fundação de São Paulo. O local atualmente abriga o museu, a cripta do padre José de Anchieta e a igreja onde foi realizada a primeira missa da cidade. Passeio imperdível para quem gosta de história e de entender onde tudo começou. Endereço: Praça Pateo do Collegio, 2 – Centro, São Paulo – SP. Quando ir: De terça a domingo: 09h – 16h30. Fecha às segundas. Preço: Atração gratuita.

Ao passear pelo centro de São Paulo, não deixe de subir no Edifício Banespa, construído em 1939, é um dos maiores arranha-céus da cidade. Para chegar ao topo pega-se dois elevadores e sobe-se mais alguns lances de escada, mas não desanime, pois do alto do edifício de 161,22m de altura tem-se uma vista bem bacana em 360° do mar de concreto que é São Paulo. Para visitar o topo, programe-se para ir de segunda a sexta-feira, das 10 às 15 horas. Preço: Atração gratuita. Endereço: Rua João Brícola, 24 – Centro, São Paulo – SP.

DIGITAL CAMERA

Minha primeira visita no Edifício Banespa

banespa

Vista do alto da cidade cinzenta

Apesar de eu – particularmente – não achar essa igreja tão bonita por dentro, é passeio imperdível para quem vem a turismo na cidade. Sua construção começou em 1913 seguindo o estilo das grandes catedrais medievais europeias em estilo neogótico. Todos os mosaicos, esculturas e mobiliário que compõem a igreja foram trazidos por navio da Itália, assim como o grande órgão. É a maior igreja da cidade e uma das maiores do país, tendo capacidade para abrigar até 8.000 pessoas. A título de curiosidade, em seu acabamento foram usadas 800 toneladas de mármore (!).

A Catedral fica localizada na Praça da Sé,  marco zero das estradas paulistanas. Essa grande praça já foi palco de numerosos e importantes acontecimentos históricos, como o comício das Diretas Já. Dica: Tem-se uma vista bonita da praça da escadaria da Catedral. Outra dica: Atenção redobrada no local, muito conhecido por ter “batedores de carteira” e gente drogada. Mas ainda que esses problemas existam e todos saibam, não deixe de ir. Eu já perdi a conta de quantas vezes passei por ali e nunca me aconteceu nada, mas tem que ficar ligado.

IMG239

Catedral da Sé

13052011113

Catedral da Sé

O antigo Teatro Abril desde 2012 passou a ser chamado de Teatro Renault e nele ocorrem vários espetáculos da Broadway, tais como A Bela e a Fera, O Rei Leão, A Família Addams e Chicago. É um belo lugar, com fachada em estilo Art-Nouveau que foi tombada pelo patrimônio histórico, e além disso, seu interior é muito clássico e confortável. Dica: Não ouse tirar foto dos espetáculos, por mais que a tentação seja grande. Os espetáculos costumam ser de altíssima qualidade, não perdendo em nada para outros teatros mais conhecidos, tanto em elenco quanto em cenário. O último que assisti foi O Rei Leão e achei fantástico, mas já assisti outros e também foram sensacionais!. Endereço: Avenida Brigadeiro Luís Antônio, 411 – Bela Vista, São Paulo – SP. Outra dica: Prepare o bolso se quiser uma pipoquinha no local, da última vez que fui (ano de 2013) um balde custava quase R$20,00. Preço: Ingressos variam de acordo com o assento escolhido, a partir de R$50,00 já é possível garantir seu lugar. Atenção: Clientes American Express e Bradesco cartões tem desconto. Não deixe pra comprar suas entradas na hora, o risco é grande de não conseguir. Para comprar entradas, acesse o site Tickets for fun.

IMG_0446

Teatro Renault e a peça “O Rei Leão”

A famosa rua do luxo paulistano é um verdadeiro shopping a céu aberto num bairro nobre da capital. Localizada entre a Rua Dr. Arnaldo e Alameda Casa Branca,  a rua não conta com serviço de transporte público passando por suas quadras,  e ao longo dos pouco mais de 2km que a completam os consumistas piram nas vitrines de lojas como Christian DiorLouis VuittonSalvatore FerragamoBulgariCartierGiorgio ArmaniArmaniVersace e muitas outras. É uma elegantíssima rua, onde se vê bastante gente bonita e bem arrumada e conta com uma vasta gama de restaurantes e cafés charmosos nas redondezas, entre eles os mais caros da cidade. Nos dias mais quentes não deixe de se refrescar na Gelateria Bacio di Latte, apesar de ter outras espalhadas pela cidade, noto uma singela diferença (positiva) na pioneira da Oscar Freire. Endereço: Rua Oscar Freire, Jardins, São Paulo/SP.

Eu poderia continuar escrevendo sobre coisas pra fazer em São Paulo, mas o post ficaria muito grande e vocês iriam me matar. Há quem ame, há quem deteste a cidade, mas o que você acha SÓ você poderá dizer. Eu já tive minha fase de morrer de amores, minha fase de paixão, e hoje vivo uma fase neutra, acho que é costume né? Mas considero indispensável no roteiro de qualquer brasileiro entre os destinos escolhidos para visitar, afinal precisamos valorizar o nosso país! 🙂

Peço desculpas a todos por não ter muitas fotos dos pontos turísticos de Sampa, com a correria do dia a dia muita coisa passava despercebida. Inclusive nos últimos anos meus passeios em São Paulo se baseavam em teatro/cinema/sair pra comer e claro, tenho várias dicas legais pra dar. Em breve faço um post contando meus lugares preferidos pra comer.

E vocês? O que recomendam fazer em São Paulo?

Beijos!

Foto de capa dos queridos da Equipe Balthazar Produções, em meu ensaio pré-casamento.