Porto Alegre – RS

Porto Alegre – RS

Porto Alegre: Vale a pena incluir no seu roteiro?

Não pouco frequente ouvimos de pessoas que foram visitar a Serra Gaúcha que apenas pisaram em Porto Alegre, mais especificamente no Aeroporto, de onde partiriam rumo à Serra, sem dar sequer uma chancezinha pra capital gaúcha.

No feriado de 15 de novembro (sim, tô um pouco atrasada) fui conhecer o Rio Grande do Sul. Como a passagem foi comprada com milhas e estava muito barata pra ir na quinta-feira (dia comum-antes do feriadão), fui e tive a sexta-feira toda livre na cidade. Vou discorrer pra vocês o que aprontei durante minha curta e suficiente estadia.

Como cheguei numa quinta-feira bem tarde, fui direto pro hotel dormir. No dia seguinte acordei cedinho e peguei um Uber pra Cidade Baixa, onde fica o Centro de Informações Turísticas. De lá partem dois ônibus de turismo: 1) Centro Histórico e 2) Zona Sul. Como meu tempo era curto e eu estava viajando sozinha, fui nos dois.

De manhã optei por pegar o ônibus que faz o trajeto do Centro Histórico, que tem 7 paradas e você pode pegar o ônibus em qualquer uma delas, podendo descer e subir no próximo. Primeiramente parti da Travessa do Carmo (Cidade Baixa) e passei pelo Parque da Redenção (Farroupilha), o parque mais popular da cidade e tradicional ponto de encontro dos moradores seja pra praticar algum esporte, descansar ou tomar chimarrão.

Que tal? hahaha

Que tal? hahaha

No caminho passamos pela famosa Rua Gonçalo de Carvalho, calma e arborizada, com árvores formando uma espécie de túnel. Os porto-alegrenses carinhosamente chamam-na de “rua mais bonita do mundo”. 🙂

Porto Alegre: Rua Gonçalo de Carvalho

Porto Alegre: Rua Gonçalo de Carvalho

O próximo ponto foi o Parque Moinhos de Vento, mais conhecido como Parcão, outra área verde da capital. Como estava frio e eu estava sozinha, não quis descer do ônibus, apenas passei em frente.

O ponto onde eu desci foi o seguinte: Mercado Público, bem no Centro Histórico de Porto Alegre. Vale a pena descer nesse ponto e conhecer um pouquinho do mercado, que tem arquitetura neoclássica e é muito bem preservado por fora. Em seu interior você encontrará coisas que encontra nos mercados locais do país: produtos típicos da região, opções para fazer um lanche, artesanato e muito chimarrão. A banca 40 é bem famosa pelos seus sorvetes.

Mercado Público

Mercado Público

Resolvi não entrar no próximo ônibus e sim bater perna um pouco pelo centro. Fui até o Santander Cultural, que de cara me chamou atenção pela bonita fachada. Entrei e estava tendo uma exposição sobre a história da moeda, talvez não seja tão interessante pra vocês, mas eu até que gostei (sou economista, gosto de tudo que envolva dinheiro!). kkk. A programação muda com frequência, então sugiro que dê uma olhadinha no site pra ver se tem algo interessante antes de ir. O foco deles são exposições de arte moderna e contemporânea, e por lá já passaram obras de Miró, Picasso, etc.

Santander Cultural

Santander Cultural

Quando descer no centro histórico aproveite pra esticar até a Casa de Cultura Mário Quintana, onde funcionava um hotel em que o poeta morou por 12 anos. O espaço é dedicado ao cinema, à música, às artes visuais, à dança, ao teatro, à literatura, à realização de oficinas e aos eventos ligados à cultura. Não consegui tirar foto, sorry.

Coincidentemente quando eu estava lá estava tendo a Feira do Livro, importante evento da cidade que ocorre em novembro. Perambulei um pouco por lá e rumei para o próximo ônibus.

O próximo ponto foi a Usina do Gasômetro, lugar conhecido por oferecer um belo pôr do sol. Como ainda era cedo, não pude aproveitar essa dica. Além disso, o Gasômetro é um dos espaços culturais mais importantes de Poa e com grande importância histórica, pois foi palco da industrialização ainda incipiente no país.

Vista da Usina Gasômetro

Vista da Usina Gasômetro

De lá passei pela Fundação Iberê Camargo, mas confesso que não tive interesse em visitar, mas pra quem é fã de arte moderna e contemporânea acredito que valha a pena a visita.

O último ponto a ser visitado nesse roteiro do ônibus é o Barra Shopping Sul, que não desci e segui de lá para almoçar, pois já estava tarde e a fome já havia batido há tempos.

Pedi dica de churrascaria pra uma amiga gaúcha, pois queria fugir do “pega-turista”, que parece ser comum pelo pouco que li. Infelizmente não tirei foto do local, mas recomendo MUITO! Chama-se Barranco e lá comi um dos melhores churrascos da vida! rs. Sério, minha carne estava assada no ponto em que gosto, saborosa e em boa quantidade. O restaurante funciona no esquema à la carte e sugiro que peça de acompanhamento os bolinhos de mandioca (maravilhosos). Além disso, o atendimento foi excelente. 🙂

Após me empanturrar de carne, rumei direto pra Cidade Baixa novamente, pra pegar o ônibus da tarde que tem como itinerário a Zona Sul. Peguei o ônibus das 15h e juro que nunca senti tanto frio na minha vida rsrs. Como fui no segundo andar e é aberto, o vento estava muito frio e muito forte, senti tudo congelando hahah.

Passamos pelos seguintes pontos: Caminho dos Antiquários, Orla do Guaíba (que apesar de chamarem de rio, é um lago), Parque da Harmonia, Parque Marinha do Brasil, Fundação Iberê Camargo (de novo), Praia de Ipanema (sim!), Santuário Nossa Senhora Mãe de Deus e Museu de Porto Alegre.

Continuando...

Continuando…

Esse trajeto Zona Sul não permite paradas e tem como foco as paisagens naturais. A duração (desconsiderando o trânsito) é de mais ou menos 1:40. O ponto alto do passeio pra mim foi visitar o Santuário Nossa Sra Mãe de Deus, que possibilita ter uma vista de 360° da cidade. Como fica bem no alto de uma montanha, com direito a muito verde, temos uma paisagem muito bonita!

A igrejinha lá no alto! :)

A igrejinha lá no alto! 🙂

A título de curiosidade, me chamou atenção o fato de Porto Alegre ser uma cidade tão verde: a zona urbana é uma das mais arborizadas dentre as capitais do país. Segundo o guia do passeio, a cada habitante correspondem, aproximadamente, 17 m² de área verde.

Quem imaginava essa paisagem em Porto Alegre?

Quem imaginava essa paisagem em Porto Alegre?

Outra coisa me chamou atenção no “Porto” (como eles costumam se referir rs): a simpatia das pessoas. Tive uma boa impressão em relação à hospitalidade e não me senti deslocada em momento algum da viagem, mesmo viajando sozinha. A gastronomia também é algo que merece destaque.

A vista lá do alto

A vista lá do alto

Pelo menos pra mim, que fui com fins de lazer, a cidade é o tipo de lugar que eu não voltaria, apenas uma vez está bom. Então caso vá pra Serra Gaúcha, vale a pena passar ao menos um dia por tratar-se da capital do Estado. As cidades de Canela e Gramado, por exemplo, são lindas mas muito fakes, não transmitem uma realidade profunda e sim algo muito desenhado para o turismo.

Porto Alegre: Informações adicionais:

Ônibus de Turismo

Valor dos ingressos: Terça a sexta-feira R$ 25,00/ Sábados, domingos e feriados R$ 30,00.

Horário de saída do ponto inicial: 9h às 16h

Funcionamento de terça a domingo e feriados

Itinerário Zona Sul sempre às 15h e às vezes às 10h, quando tem no mínimo 10 passageiros.

Ingressos no terminal da linha turismo ou nos pontos de venda. Os ingressos não são vendidos no ônibus.

E vocês? Acham que vale a pena incluir a capital gaúcha ou não?

CONTINUE LENDO SOBRE O RIO GRANDE DO SUL:

Onde se hospedar em Porto Alegre

O feriadão está acabando e quem me acompanha nas redes sociais sabe que fui conhecer o Rio Grande do Sul, e claro que eu não poderia deixar a capital gaúcha de fora do meu roteiro. Se você também está programando viagem pro Sul e está procurando onde se hospedar em Porto Alegre, leia com atenção cada pontinho desse post rs.

Passei maravilhosas duas noites no Porto Retrô Flat Boutique, localizado no charmoso bairro Moinhos de Vento, o melhor pra quem procura agito, facilidade de locomoção, restaurantes, bares e um pouco de tranquilidade (e já vou explicar o porquê). A título de informação, desembarquei no Terminal 2 do Aeroporto e a corrida de Uber até o hotel custou R$13,82 (valores de novembro/2016).

Decoração

Decoração

Ao chegar no hotel já fiquei encantada não só com o local em si, mas com o atendimento e cortesia com que tratam os hóspedes. Mesmo eu tendo chegado às 01h da manhã, a simpatia da recepção era a mesma e com todo carinho levaram minha mala pro quarto, me informaram coisas básicas como senha do wifi, horário do café da manhã, como chamar o elevador, etc.

Suíte do Porto Retrô Flat Boutique

Suíte do Porto Retrô Flat Boutique

Já posso de antemão informá-los que a suíte é enorme e ao mesmo tempo muito prática. Mesa de trabalho, cama queen super confortável, lençóis super limpos e macios, assim como as toalhas, sofá cama casal pra relaxar vendo tv, e também uma cozinha integrada equipada que deixa o hóspede totalmente independente. Utensílios como talheres, xícaras, taças, copos e panelas estão disponíveis, assim como uma máquina de espresso Dolce Gusto. Um lindo frigobar também marca presença na suíte, uma chaleira elétrica, um cooktop e tábua e ferro de passar roupa. No banheiro mimos como roupão, kit beleza, kit costura e produtos de higiene da Ecco Brasil. 🙂

Onde se hospedar em Porto Alegre com charme

Onde se hospedar em Porto Alegre com charme

Voltando ao primeiro parágrafo, apesar de muito bem localizado e numa rua com tráfego frequente de carros, é um ambiente muito silencioso e o bom isolamento acústico não deixa passar barulho nenhum. Aliás, nem do corredor ouvi barulho. Tudo muito tranquilo pra que você possa ter uma estadia de muita paz.

Cozinha integrada

Cozinha integrada

Sala de estar integrada

Sala de estar integrada

Achei o local excelente pra todos os tipos de viajantes: pessoas que viajam a negócios, lazer e também para quem viaja com crianças, pois dá muita independência aos pais pra fazer mamadeira, lanches e refeições, ambiente silencioso e tv à cabo. Sem contar que a decoração é muito alegre e chama atenção de todos.

Decoração

Decoração

Se num conjunto todo o hotel fosse apenas bom, eu diria que a decoração é um diferencial, mas não. É mais um. A bela decoração é toda na linha retrô com toques modernos e os mínimos detalhes foram pensados com muito carinho, sem deixar de lado a praticidade das coisas. Encantada com a decoração e tirando foto de cada cantinho, descobri que a proprietária é designer de interiores e gosta de garimpar peças antigas e trazer de volta de forma reinventada. Descobri também que muitos objetos tem um porquê de estar ali e uma história por trás, que podemos descobrir facilmente conversando com um dos funcionários da equipe.

Parede sem graça aqui nem pensar!

Parede sem graça aqui nem pensar!

Ao perguntar sobre o cheiro que o hotel tem, fui informada que eles utilizam um aromatizador de ambientes e que fica disponível pra compra, assim como outros itens de decoração. Achei muito legal a ideia, pois às vezes gostamos tanto de um negócio de um hotel e geralmente o “gostar” acaba por ali, lá não, pois temos a possibilidade de comprar algumas coisinhas e levar pra nossa casa.

Lembrando que ao fazer a reserva por esse link você não paga nada a mais por isso e ainda ajuda a amiga aqui! 🙂 

O café da manhã é ótimo, numa área não muito grande e pensado de forma que você se sinta em casa, não num hotel. Frutas frescas e secas em grande variedade, bebidas, iogurtes, frios, pães, geleias, bolos, e tudo aquilo que amamos, mas com muito mimo e delicadeza. Por exemplo, o sanduíche é semi-pronto e cortadinho, bastando que aqueça na sanduicheira. A fofura da funcionária do café também é de destacar. Outro ponto altíssimo é a opção de produtos sem glúten e sem lactose, o que mostra que o estabelecimento se preocupa mesmo em atender diversos públicos e de maneira muito atual. Aliás, o bolo integral que comi estava maravilhoso! Outro ponto do café da manhã que vale mencionar é o cantinho kids, com papinhas Nestlé, Nutella (não sou kids mas adorei), farinha láctea, leite ninho pra crianças, etc. Como eu disse implicitamente, é um hotel não pra um todo, e sim pra todos. 🙂

Sanduíches pré-preparados

Sanduíches pré-preparados

Variedade de frutas

Variedade de frutas

Cantinho kids

Cantinho kids

Opções sem glúten e sem lactose

Opções sem glúten e sem lactose

No quinto andar funciona uma área de lazer com banheira de hidromassagem a céu aberto e churrasqueira, que pra usar deve-se agendar previamente na recepção (acredito que pra não ter conflito de uso simultâneo por hóspedes diferentes). Ótimo para dias ensolarados e de lazer em que você queira testar suas habilidades de churrasqueiro na terra do churrasco. 🙂 Adorei a ideia e apesar de ser a céu aberto, o ambiente é bem aconchegante e não temos a sensação de que estamos sendo vigiados por outras pessoas… rsrs.

Hidromassagem

Hidromassagem

Área da churrasqueira

Área da churrasqueira

O hotel também conta com um café-bar no térreo, um ambiente em que você pode comprar vinhos regionais, refrigerantes e outras bebidas, e também conhecer pessoas, pois o ambiente é bem descontraído. O hotel deixa à disposição vários mimos como biscoitos coloniais e bolos pra depois nos deixar morrendo de saudade.

Aliás, acabei de voltar e já estou com saudades. Aliás, quem não gosta do bom gosto? 🙂

OBS: A hospedagem no hotel foi uma cortesia para o blog, porém reflete inteiramente minha experiência pessoal no estabelecimento.

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE