Fernando de Noronha – PE

Onde se hospedar em Noronha

Por Aimé Pinto

Peço licença da palavra para escrever esse post, pois das três vezes que fui a Fernando de Noronha minha esposa (@rafapelomundo) não foi comigo, mas não me julguem, pois as três vezes fui a trabalho. Vou falar um pouquinho sobre onde se hospedar em Noronha e da minha experiência na Ecocharme Pousada do Marcilio, onde fiquei em agosto de 2014, na última viagem que fiz à ilha.

Pra começar, tenha em mente que se hospedar em Noronha é extremamente caro. E pagar caro por lá não é sinônimo de ser bem servido/atendido. Em breve pesquisa na internet pra diária de quarto para um casal o menor preço encontrado foi R$396,00 numa pousada simples (baixa temporada). Na ilha existem hotéis que mais parecem pousadas e casas de família, moradores da Ilha.

Lembrando que ao fazer a reserva por esse link você não paga nada a mais por isso e ainda ajuda o blog a se manter vivo!

O melhor hotel que fiquei em Noronha até o momento foi a Ecocharme Pousada do Marcilio. A 5 minutos de carro do Aeroporto, todas as acomodações da pousada possuem varanda térrea com rede e vista do jardim, ar-condicionado, TV LCD a cabo, frigobar e banheiro privativo. Possui uma piscina na área externa. E também é bastante limpo. Preço médio da diária com café incluso: R$530,00. Eu, particularmente, achei bem caro. Mas pelo menos era bonzinho né? É bom tratando-se de um hotel em Noronha, não vá esperando o luxo e atendimento do Copacabana Palace.

Onde se hospedar em Noronha

Onde se hospedar em Noronha

Onde se hospedar em Noronha

Onde se hospedar em Noronha

Ecocharme Pousada do Marcilio

Ecocharme Pousada do Marcilio

Ecocharme Pousada do Marcilio

Ecocharme Pousada do Marcilio

Ecocharme Pousada do Marcilio

Ecocharme Pousada do Marcilio

O café da manhã era bom mas poderia melhorar no quesito limpeza das louças. Fora isso, tudo bem. Os funcionários eram simpáticos e tinha sempre uma pessoa disponível na recepção.

Viram que a pousada não é nada demais e nada que justifique o alto preço, né? Pois é… mas por lá as coisas são assim.

Um abraço!