Portugal

Fado em Lisboa

Ir pra Portugal e não ouvir fado é a mesma coisa que ir para o Brasil e não ouvir samba. O fado é um estilo musical português cantado geralmente por uma só pessoa com outras complementando com a guitarra clássica e a guitarra portuguesa. É um estilo melancólico de música, que exalta o sofrimento, a saudade, o destino e claro, o amor.

Fui conhecer o Caldo Verde por sugestão de uma amiga que mora em Portugal e encontrar o local não foi tão fácil pelo simples motivo: existem dois na cidade, sendo que um é apenas restaurante. Tive a sorte de conhecer os dois, e mesmo tendo ido por engano da primeira vez, o restaurante Caldo Verde é excelente. Mas não vou me ater a falar sobre ele nesse post (afinal, nele não tem fado).

Para chegar ao Caldo Verde (Casa de fado) cheguei por baixo, o que me obrigou a subir milhares de degraus para chegar até o Bairro Alto. Logo ao chegar não tinha ninguém, então esperamos tranquilamente conversando e comendo.

O local oferece duas opções: se jantar não paga couvert, se não jantar paga-se 10€ para assistir o show. Sinceramente recomendo que jantem, pois além de não ser caro a comida é boa. Pedi um salmão grelhado que estava excelente, para beber, vinho, claro.

Comida do Caldo Verde - Casa de Fado

Comida do Caldo Verde – Casa de Fado

Comida do Caldo Verde - Casa de Fado

Comida do Caldo Verde – Casa de Fado

O atendimento não foi a oitava maravilha do mundo, e tivemos um contratempo com o garçom que nos atendeu. Porém, o proprietário resolveu nosso problema e OK.

Os músicos compensaram o contratempo. Eles revezavam entre si fazendo um intervalo de 20 minutos com música e 20 minutos sem, pois é quando podemos comer. Muita atenção quando for assistir um show de fado: é de extrema falta de educação conversar durante o espetáculo e também comer. Se não quiser fazer feio, espere o intervalinho pra isso.

Show de fado

Show de fado

A cantora até pousou pra minha foto! hehe

A cantora até pousou pra minha foto! hehe

Horário: Todos os dias, das 20h às 24h.

Endereço: Trav. Poço da Cidade, 40, Lisboa.

O que fazer em Lisboa: 10 dicas imperdíveis!

Falar de Lisboa não é falar de um lugar qualquer, é encontrar nossa cultura em um país alheio. País esse que há muitos anos nos colonizou e que foi o principal responsável por definir basicamente o que é o Brasil. Pra começar, o idioma é o mesmo, apesar diferença de sotaques. A história se encontra com bastante frequência: ao conhecer a história de Portugal encontramos diversas vezes nosso Brasil. Muitos brasileiros ainda tem descendência de portugueses – eu inclusive – e é uma oportunidade de conhecer um pouco mais como viviam nossos antepassados. E a comida? hum… não é difícil ouvir de brasileiros que a comida preferida na Europa é a portuguesa, por que será? Pra ajudar você, caro leitor, reuni nesse post 10 dicas imperdíveis sobre o que fazer em Lisboa.

O QUE FAZER EM LISBOA

1 – Padrão dos Descobrimentos

Localizado às margens do Tejo, esse monumento evoca a expansão marítima portuguesa, faz alusão a um passado glorioso e à grandeza da obra do Infante D. Henrique, o impulsionador das descobertas de Cabo Verde e Ilha da Madeira. Diversos personagens escultóricos que tiveram a ver com os grandes descobrimentos  da história portuguesa completam o monumento.

Monumento dos Descobrimentos: Camões ao centro, carregando "Os Lusíadas"

Monumento dos Descobrimentos: Camões ao centro, carregando “Os Lusíadas”

Rosa-dos-ventos: Olha o Brasil aí!

Rosa-dos-ventos: Olha o Brasil aí!

2 – Igreja de Santo Antônio

Popularmente conhecido como o “Santo casamenteiro” esse santo, nascido no século XII em Lisboa, realizou inúmeras obras de caridade e sermões que marcaram. Aos curiosos, Santo Antônio de Lisboa e Santo Antônio de Pádua tratam-se da mesma pessoa, sendo um o local em que nasceu e o outro em que morreu.

Visitei o local em que nasceu e viveu sua infância, junto à Sé de Lisboa. Descendo à cripta da igreja está o local de nascimento e podemos ver até alguns ossos do Santo. Segundo a tradição, é recomendável que os jovens que pretendem casar visitem a igreja no dia do casamento e deixem flores ao Santo, que é o intercessor dos recém-casados. Dica: Aos mais interessados na vida de Santo Antônio, ao lado da igreja encontra-se o Museu Antoniano, local da residência dos pais dele. OBS: A visita à igreja é gratuita.

Santo Antônio de Lisboa

Santo Antônio de Lisboa

Igreja de Santo Antônio

Igreja de Santo Antônio

Santo Antônio

Santo Antônio

O local onde nasceu Santo Antônio

O local onde nasceu Santo Antônio

IMG_1762

3 – Sé de Lisboa

Já que está ali do ladinho, emende o passeio para a Catedral da Sé. Essa igreja, a mais antiga e importante da cidade, sobreviveu de maneira exemplar a vários terremotos desde sua construção no século XII. Possui estilo românico e particularmente achei um pouco assombrosa, com baixíssima iluminação em seu interior. OBS: Entrada gratuita.

Sé de Lisboa

Sé de Lisboa

Interior da Sé

Interior da Sé

4 – Visitar o Castelo de São Jorge

Um dos lugares mais visitados do país, o Castelo de São Jorge foi construído no século V pelos visigodos. Desde sua criação até a atualidade passou por restaurações que ainda deixaram muitas marcas do passado. Foi residência dos reis de Portugal desde a metade do século XIII até o começo do século XVI, época de maior esplendor do Castelo.

Preço: Ingresso normal 8,50€. Atenção se estiver viajando em família, existe um ingresso chamado “família” que custa 20€ e pode ser usado por quem viaja em 2 adultos e 2 crianças (<18 anos).

Dica: Calce um sapato bastante confortável, pois a subida até o Castelo é bastante íngreme e com chão de pedra.

Castelo de São Jorge

Castelo de São Jorge

Castelo de São Jorge

Castelo de São Jorge

Castelo de São Jorge

Castelo de São Jorge

Perdoem a mamãe gente... ela cansou! rsrs

Perdoem a mamãe gente… ela cansou! rsrs

5 – Praça do Comércio

Coração e centro histórico da cidade, essa praça também conhecida como Terreiro do Paço é a mais importante da capital. Historicamente ali chegavam os barcos mercantes e era a porta de entrada para a cidade. Destaque para o arco triunfal da Rua Augusta, que foi construído para celebrar a reconstrução de Lisboa após o forte terremoto de 1755. Alguns personagens ilustres estão no arco, como Marquês de Pombal e Vasco da Gama.

Diversos acontecimentos históricos aconteceram ali: o desabamento do palácio real que ali existia, o assassinato do Rei D. Carlos e seu filho, assim como a proclamação da República em 1910.

Atualmente é considerada uma das maiores praças da Europa e é ocupada por departamentos governamentais.

Amores da vida da autora!

Amores da vida da autora!

Arco do Triunfo visto da Praça do Comércio

Arco do Triunfo visto da Praça do Comércio

6 – Mosteiro dos Jerônimos

Obra-prima da arquitetura portuguesa do século XVI, o local foi construído para celebrar o regresso de Vasco da Gama da Índia. Sua localização é bem favorecida para o turismo, pois está bem próximo da Torre de Belém, Pastel de Belém, Monumento dos Descobrimentos e Rio Tejo.

No interior da igreja do Mosteiro está a tumba de Luís de Camões e Vasco da Gama. Entrada gratuita na igreja. Se quiser visitar o Claustro, onde está a tumba de Fernando Pessoa, paga-se 10€.

Minha mãe modelando no Mosteiro dos Jerônimos!

Minha mãe modelando no Mosteiro dos Jerônimos!

Mosteiro dos Jerônimos

Mosteiro dos Jerônimos

Sob a tumba de Camões...

Sob a tumba de Camões…

Tumba de Camões

Tumba de Camões

7 – Torre de Belém

Assim como o Mosteiro dos Jerônimos, é uma torre de estilo manuelino, que nada mais é do que uma variação do gótico. Construída a partir de 1515, serviu para a defesa da cidade e depois transformou-se em num farol e centro aduaneiro.

Localizada às margens do Tejo, é possível subir os cinco andares da Torre para ascender ao terraço e ter uma bela vista de Belém e outros pontos como o Monumento dos Descobrimentos. A subida é feita através de uma pequena escada caracol e se você tem dificuldades com isso, melhor não arriscar.

Os andares dividem-se em Sala do Governador, Sala dos Reis, Sala de Audiências, Capela e Terraço. Preço da visita: 6€. Dica: Se quiser comprar ingresso combinado, paga-se 12 € para visitar o Mosteiro dos Jerónimos e a Torre.

Do capítulo "Torre de Belém e o amor"

Do capítulo “Torre de Belém e o amor”

Uma das vistas da Torre de Belém

Uma das vistas da Torre de Belém

Oi! Um beijo pra quem adorou a viagem!

Oi! Um beijo pra quem adorou a viagem!

8 – Comer o verdadeiro Pastel de Belém

Como diz uma amiga portuguesa, pastel de Belém você vai comer em Belém. Até perguntei a ela se Belém do Pará servia, ela riu e disse que sim, ok? kkk. O que comemos por aí chama-se na verdade pastel de nata. Parada obrigatória na cidade se você é amante do doce, visitar essa pastelaria é mergulhar na tradição portuguesa que é mantida ao longo de tantos anos sem perder a qualidade. Na verdade eu não comi o doce em 1837, então não posso comparar a qualidade. Mas posso dizer com toda propriedade que  realmente eu nunca comi nenhum igual e o local merece o mérito que possui. 🙂

Faça chuva ou faça sol, o local sempre estará lotado de portugueses e turistas que disputam a tapas um lugarzinho na fila – e olha que o lugar é bem grande! É possível ver um pouco da produção dos pastéis através de uma janela de vidro. 🙂

O famoso pastel diferencia-se dos demais não somente na qualidade como também no preço. Nessa ocasião estávamos com um amigo português passeando e ele disse ser um pastel caro. Fiquei um pouco impressionada como nós – brasileiros – estamos tão acostumados a pagar caro por tudo que nem sentimos tanto. Caro ou barato, não deixe de ir e de pedir um montão. Aberto todos os dias.

História do Pastel de Belém | Fonte: Site oficial

História do Pastel de Belém | Fonte: Site oficial

Fila sempre grande

Fila sempre grande

Opa!

Opa!

Decoração

Decoração

Produção do pastel

Produção do pastel

Resultado (na minha mesa, é claro)

Resultado (na minha mesa, é claro)

9 – Perder-se no Alfama

Esse charmoso bairro abriga o Castelo de São Jorge, então se você sair do Castelo caminhando possivelmente irá passear pelo antigo bairro de pescadores. Possui alguns mirantes, mas o mais famoso sem dúvidas é o do Castelo de São Jorge.

Muitas escadinhas, ladeiras, ruelas serpenteantes, chão de paralelepípedo e labirintos definem o local. Roupas penduradas no varal quase voando também. E como esquecer dos vizinhos que batem papo na calçada estreita que as ruas possuem? Ruas tão estreitas que muitas vezes não passa sequer um carro…

Impossível não lembrar da minha cidade natal e de um bairro chamado “Cidade Velha”, que tem por lá. Curiosamente foi o bairro onde Castelo Branco desembarcou quando chegou à minha Belém do Pará. Quase 1 ano fora do Brasil nessa hora confesso que a saudade bateu forte.

Essa foto define...

Essa foto define…

Só eu sou completamente apaixonada por esses azulejos?

Só eu sou completamente apaixonada por esses azulejos?

Ruelas de Alfama

Ruelas de Alfama

Prima, sobe aqui rapidinho!

Prima, sobe aqui rapidinho!

Não deixe de passar pela Fundação José Saramago, que fica descendo o bairro da Alfama, no caminho para quem vai para a Praça do Comércio.

O que fazer em Lisboa: Fundação José Saramago

O que fazer em Lisboa: Fundação José Saramago

10 – Dar uma voltinha no bonde elétrico 28

Vocês só vão entender a magnitude das ladeiras de Lisboa quando andarem no elétrico. Peguei o número 28 (1,80€), um dos clássicos amarelinhos com o interior de madeira. Com ele percorri os bairros históricos, partindo da Praça Martim Moniz. O elétrico sobe sacudindo sob as ladeiras de Alfama, atravessa a Baixa, o Chiado e chega em Campo de Ourique, pertinho da casa onde morou Fernando Pessoa.

Ao longo de todo o percurso preste atenção à arquitetura dos edifícios, os lindos azulejos das fachadas e, claro, não deixe de questionar como é possível uma cidade com tanta ladeira, gente?

Bonde elétrico de Lisboa

Bonde elétrico de Lisboa

Vi outras coisas em Lisboa mas resolvi destacar as que mais gostei nesse post. Tem uma outra atração bem especial que vou falar no próximo. Clica na link e até lá!

Beijos!

Café Majestic: O café mais charmoso do Porto

Difícil encontrar lugar para comer no Porto, haja vista que são tantas opções! Eu queria ter ido no Café Majestic com mais fome pra poder ter uma refeição completa, mas não deu… então fiquei só no brunch.

Fundado em 1921 com o nome de Elite, o luxuoso café foi posteriormente rebatizado em pleno auge da “Belle Époque” de Majestic. Burgueses e chics portuenses frequentavam o local  junto com os intelectuais e pessoas interessadas em arte. No final da década de 60 sofreu um lento declínio e posteriormente mudou de gerência, foi mudando, mudando…até chegar a qual o dirige nos dias atuais.

Café Majestic

Café Majestic

Todo esplendor e glamour desse lugar o levou ao título de sexto café mais belo do mundo, logo acima da brasileira Confeitaria Colombo, pelo cityguides. Particularmente achei ambos bem parecidos e em um momento de insanidade até pensei em quem havia copiado quem, quando que na verdade ambos foram influenciados pelos cafés parisienses. 🙂

Eu escolhi comer um prato especialidade da casa: rabanadas envoltas num suave creme de ovos e frutos secos, uma delícia que acompanha perfeitamente o café numa manhã de dezembro. O café não estranhem se não sentirem muita diferença de sabor, é brasileiro 🙂 Nós somos os maiores exportadores desse vício chamado café.

Rabanada do Café Majestic

Rabanada do Café Majestic

Meu marido preferiu arriscar no pastel de nata, que não era tão bom quanto o legítimo pastel de Belém, mas que também era muito gostoso.

Aos que não tem café da manhã incluso na reserva do hotel recomendo que se dêem o luxo de um café da manhã nesse lugar. O pequeno almoço completo inclui variedade de pães, croissants, mel, sucos, chás, iogurtes, ovos, frios… tudo bem “a cara do café da manhã que gostamos”. 🙂

Como já se pode imaginar, não é o lugar mais barato do Porto, mas acho que vale a experiência. Afinal você não vai pagar somente o cafezinho que tomar, e sim a experiência de tomar café num lugar histórico, clássico e lindo-de-morrer. Afinal, quem não gosta do que é bom…? 🙂

O segredo é não converter! :)

O segredo é não converter! 🙂

Funcionamento: Segunda a sábado das 9h30 às 24h.

Endereço: Rua Santa Catarina, 112, 4000-442 Porto.

Continue lendo: Visita Caves Ferreira, Roteiro de viagem Porto

Vila Nova de Gaia, Caves Ferreira e o vinho do Porto

Injustamente a maioria das pessoas pensam que o vinho do Porto é da cidade do Porto, mas não é. Apesar de Vila Nova de Gaia ser colada à famosa cidade, apenas divididas pelo Rio Douro, não trata-se do mesmo município.

Porto visto desde Vila Nova de Gaia

Porto visto desde Vila Nova de Gaia

Vila Nova de Gaia

Vila Nova de Gaia

 

Teleférico de Vila Nova de Gaia

Teleférico de Vila Nova de Gaia

Aos interessados em ter uma vista bonita da cidade e do Douro, recomendo o passeio no teleférico de Gaia, bem no caminho das caves. Preço: 5,00€ (ida) / 8,00€ (ida e volta).

O vinho ficou conhecido como sendo da cidade vizinha por uma questão puramente comercial: A partir da segunda metade do século XVII começou a ser exportado para todo o mundo a partir da cidade do Porto.

Qual o diferencial desse vinho tão famoso em relação aos demais? A fermentação desse vinho não é completa, sendo parada numa fase inicial (dois ou três dias depois do início), através da adição de uma aguardente vínica neutra (cerca de 77% de álcool). Desse modo, o vinho do Porto é naturalmente doce e mais forte do que os demais vinhos (entre 19% e 22% de álcool).

Em Vila Nova de Gaia existem muitas caves para conhecer, e a que eu escolhi foi a Ferreira, uma das principais casas portuguesas de vinho. Por que escolhi a Ferreira? Haja vista que eu estava em Portugal, optei por uma cave cujo início se deu com portugueses e não com pessoas de fora.

Outras caves da cidade são: Calém, Casa Ramos Pinto, Offley, Sandeman, Vasconcellos e Graham’s. Vale ressaltar que existem outras, mas essas são as mais famosinhas.

Sandeman

Sandeman

Ferreira é a única das grandes casas de vinho do Porto que se manteve fiel em mãos portuguesas desde que foi fundada em 1751 pelos Ferreiras da Régua. Hoje, a Ferreira assume o legado histórico enriquecido por várias gerações com particular destaque para a liderança de Antônia Adelaine Ferreira, a “Ferreirinha”, empresária do século XIX responsável por consolidar a marca.

Ferreira

Ferreira

Eu fiz minha reserva através de e-mail e obtive retorno bastante rápido. A bodega dispõe de duas visitas: Visita Clássica – Quinta do Seixo, com o custo de 9€ por pessoa, que inclui duas visitas guiadas, uma nas Caves Ferreira e outra na Quinta do Seixo. As visitas são sempre acompanhadas por um guia com uma duração de 30 minutos, incluindo, no final, a prova de dois vinhos do Porto.

OBS: O bilhete não inclui a deslocação entre os dois pontos de visita.

No entanto, devido a distância entre as Caves Ferreira (Vila Nova de Gaia) e a Quinta do Seixo (Vale do Douro), cerca de 150 km, não é possível reservar as duas visitas no mesmo dia.

Por esse motivo visitei somente as Caves Ferreira (5€) e achei sensacional, a guia era extremamente simpática, atenciosa e dominava bem o assunto, nos mostrando a história da empresa e o processo de fabricação do produtos, assim como dando dicas de harmonização. Ao final tomamos dois vinhos de degustação numa mesa com outros visitantes e a noite terminou como se todos já se conhecessem há séculos 🙂 . Como a visita era em português, 99% dos turistas eram brasileiros e o restante de países sul-americanos. No final da visita podemos comprar vinhos na lojinha, porém não achei nada forçado (só compra quem quer!).
Vila Nova de Gaia: Caves Ferreira

Vila Nova de Gaia: Caves Ferreira

Caves Ferreira

Caves Ferreira

Onde comprar vinho do Porto: Lojinha das Caves Ferreira

Onde comprar vinho do Porto: Lojinha das Caves Ferreira

Gostei muito de ter conhecido o local, não somente pela história brilhante da Ferreirinha, mas também por conhecer um pouquinho mais sobre o vinho e sua produção. Se você vem ao Porto, não deixe de atravessar o rio! rsrs.

(mais…)

Porto: Não é bem a cidade do vinho

Chegamos no Porto numa ensolarada manhã de inverno. Era dezembro, o aeroporto estava pouco movimentado e me chamou atenção a modernidade do local. Aeroporto bonito, instalações boas e bons locais para fazer um lanchinho – inclusive comi uma empada de pato divina que foi mais ou menos como um “seja muito bem vindo ao Porto, a segunda maior cidade do país!”. 🙂

Café da manhã no Café Central: boas vindas :)

Café da manhã no Café Central: boas vindas 🙂

O primeiro destino foi o hotel, fomos deixar nossas malas e partir pra passear. Pegamos o metrô no aeroporto e rumamos para o Best Western Hotel Inca, onde nos hospedamos.

Caminhamos rumo à Avenida dos Aliados, a mais famosa via e centro da cidade. A avenida recebe este nome como forma de homenagear os Aliados da I Guerra Mundial. Nesta via não há uma atração turística em si, mas ela é a atração. Destaque para seus bonitos edifícios históricos e monumentos como a “Menina dos Aliados” e “A Abundância”. Nela existe uma praça central em que ocorrem exposições e alguns eventos, na ocasião estava tendo feirinha de natal.

Menina dos Aliados

Menina dos Aliados

De lá continuei minha caminhada rumo à Estação de São Bento, colírio para meus olhos. Essa bela estação ferroviária foi construída onde era antigamente o Mosteiro de São Bento de Avé Maria e em seu interior existem mais de 20.000 azulejos retratando a história de Portugal. Quem passa pela frente realmente não imagina a preciosidade que se abriga dentro da estação. Aproveite, a entrada é gratuita. 🙂

Fachada da Estação de São Bento

Fachada da Estação de São Bento

Interior e detalhes da Estação de São Bento

Interior e detalhes da Estação de São Bento

Estação de São Bento

Estação de São Bento

Estação de São Bento

Estação de São Bento

A Estação está localizada numa região central da cidade, então dali é fácil se locomover para qualquer lugar. O próximo ponto escolhido foi a Torre dos Clérigos, a mais alta de Portugal. A torre de estilo barroco possui 76 metros de altura e mais de 200 degraus em que se possibilita ter uma privilegiada vista panorâmica da cidade. Para subir é bem baratinho, 2€ (já falei pra vocês que adoro esse país?).

Torre dos Clérigos

Torre dos Clérigos

Torre dos Clérigos

Torre dos Clérigos

Bem pertinho estava a Igreja de Nossa Senhora do Monte do Carmo, que nem estava no meu roteiro mas a fachada me causou um impacto visual tão grande que me levou até lá. A lateral da igreja é coberta por azulejos que gritam de tão lindos! As cenas dos azulejos se referem à fundação da Ordem Carmelita e ao Monte Carmelo.

O interior da igreja tem a predominância do dourado do estilo rococó e representações do tema da Paixão de Cristo. Essa preciosidade foi construída em meados do século XVIII e se mantêm bem conservada até hoje.

Igreja de Nossa Senhora do Monte do Carmo

Igreja de Nossa Senhora do Monte do Carmo

Igreja de Nossa Senhora do Monte do Carmo

Igreja de Nossa Senhora do Monte do Carmo

Fachada lateral da Igreja de Nossa Senhora do Monte do Carmo

Fachada lateral da Igreja de Nossa Senhora do Monte do Carmo

Interior da Igreja de Nossa Senhora do Monte do Carmo

Interior da Igreja de Nossa Senhora do Monte do Carmo

Ainda ali perto fui visitar a Livraria Lello & Irmão, considerada uma das mais belas da Europa. Seu estilo neogótico influenciou a autora do best-seller Harry Potter, que viveu na cidade por alguns anos. A magnífica escada que possui o local foi “transportada” para as escadas de Hogwarts (viciados em Harry Potter, vocês sabem do que tô falando!). Destaque também para o bonito vitral do teto e para o ambiente em madeira – na realidade, nesse local, destaque para tudo. O local não é somente um lugar para comprar livros e sim uma pérola na cidade. Notícia ruim: Infelizmente não é permitido tirar foto no local.

Livraria Lello & Irmão

Livraria Lello & Irmão

Palácio da Bolsa: Visita frustrada. Tentei visitar mas só é possível mediante visita guiada, e não tinha mais horário disponível. Cheguei a esperar alguma desistência mas não consegui. Fica pra próxima e fica a dica pra quem pretende conhecer: agende com antecedênciaPreço: 7,50€.

Como minha visita ao Palácio da Bolsa estava frustrada, fui conhecer a Igreja de São Francisco, a pouquíssimos metros do Palácio. A Igreja-museu já passou por várias transformações ao longo do tempo, desde sua fundação em 1245. Originalmente tratava-se de uma igreja românica, posteriormente transformada para o estilo gótico e atualmente possui decoração barroca. O motivo da mudança principal foi um incêndio que destruiu parte do local.

Em seu interior – reza a lenda – que se empregaram mais de 300kg de pó de ouro. Era tanto ouro revestindo a igreja que posteriormente foi fechada para missas por considerarem extremamente exagerada frente à pobreza que a rodeava. Hoje em dia esporadicamente têm concertos de música clássica no local.

Sob a igreja está o cemitério catacumbal, onde enterravam muitos dos irmãos da ordem dos franciscanos, assim como algumas das famílias mais nobres do Porto. Além das sepulturas há também um ossário com milhares de ossos humanos que se pode ver através de um vidro. É bizarro, mas é interessante.

Interior da Igreja | Foto retirada do site oficial da O.S.F

Interior da Igreja | Foto retirada do site oficial da O.S.F

Igreja de São Francisco

Igreja de São Francisco

Ossário

Ossário

IMG_1679

Aqui jaz…

Após isso fui passear na Ribeira, mais conhecida como Cais da Ribeira. Como o nome já diz, está nas margens do rio D’ouro, e de lá você poderá ver as vinícolas dos famosos vinhos do Porto. Porém, atenção: o vinho do Porto é na realidade típico da cidade de Vila Nova de Gaia, do outro lado do rio. O cais da Ribeira é uma zona bastante agradável de ser percorrida, com fachadas coloridas, muito artesanato português e restaurantes pra todos os gostos e bolsos. Nessa ocasião, jantei em um restaurante de frente para o rio (faça o mesmo!). 🙂

Cais da Ribeira

Cais da Ribeira

Cais da Ribeira visto desde Vila Nova de Gaia

Cais da Ribeira visto desde Vila Nova de Gaia

Olha o preço!

Olha o preço!

Orgulho dos portugueses: Fernando Pessoa

Orgulho dos portugueses: Fernando Pessoa

No Cais da Ribeira está a Ponte D. Luís, bonita ponte metálica de dois andares projetada por um discípulo de Gustave Eiffel. O objetivo dessa ponte é ligar a cidade do Porto a Vila Nova de Gaia. Andei somente no andar de baixo e no próximo capítulo conto pra vocês sobre minha visita na cidade do lado de lá. 🙂

Ponte D. Luís I

Ponte D. Luís I

OBS: Esse post e o próximo foram de passeios feitos em um único só dia.

Beijos!

Continue lendo: Visita Caves Ferreira, Café Majestic Porto

Coimbra – Portugal

Demorei a começar a escrever sobre Coimbra porque desde que fui praticamente não parei mais de viajar. Difícil sentar o bumbum sossegada pra escrever!

Em Coimbra passei pouco tempo e a princípio eu fui porque era perto de Fátima e porque tenho uma amiga que mora lá (no final das contas acabei nem vendo minha amiga, mas tudo bem!).

Passei um dia apenas em Coimbra e fiquei hospedada no Tryp Coimbra Hotel, que gostei bastante. A cidade está situada a pouco mais de 200km de Lisboa e se você estiver passeando pela região, inclua no seu roteiro. Não é o tipo de cidade em que você terá muitas atrações pra ver, mas em que a cidade é a atração em si – principalmente o bairro velho (os arredores da universidade). Cidade de ruas estreitas, longas escadas e arcos medievais.

IMG_8110

Arcos medievais de Coimbra

IMG_8096

Ruas e ladeiras de Coimbra

IMG_8217

Arcos de Coimbra

Se você for de carro, fique muito atento por onde está andando. Tem MUITAS ruas que o carro não passa (de tão estreito que é!) e o GPS não funciona corretamente. Nos perdemos algumas boas vezes, mas não tivemos problema, afinal estávamos só a passeio mesmo. 🙂

Separe um tempo para visitar a Universidade de Coimbra – a estrela da cidade. Essa universidade foi a primeira de Portugal e uma das primeiras da Europa, fundada em 1290. Em 2013, a Unesco elegeu o campus histórico da Universidade como Patrimônio da Humanidade. A visita à Universidade não é paga, mas se quiser visitar a Biblioteca Joanina (recomendadíssimo) compre o ingresso antecipado para não correr o risco de ficar esperando. Vi fotos da biblioteca e é realmente belíssima, pena que quando fui comprar ingresso teria que esperar 2h pra entrar, então claro que infelizmente não entrei. 🙁

Na ocasião, pude ver alguns alunos usando o típico traje dos universitários portugueses (capa e batina), comum não só em Coimbra como nas outras cidades de Portugal.

Quando o aluno veste o traje acadêmico, algumas normas devem ser seguidas:  A capa é preta, podendo o estudante usar do comprimento entre os tornozelos e os joelhos. As costuras não podem ser visíveis do outro lado da capa e devem ser em cruz.

Para as mulheres, uso de brincos é tolerado, devendo ser pequeno e dourado. Maquiagem? Nem pensar, pois não é autorizado. Se quiser amarrar o cabelo, apenas com elástico de cor preta.

IMG_8228

Ah, mas turista pode né?

O pátio da universidade é lindo e tem um mirante que dá pra ver a cidade do alto (bem do alto mesmo!). Vale a vista e a visita! 🙂

IMG_8257

Entrada para o pátio das escolas da Universidade: Porta Férrea

IMG_8239

Fila começando pra entrar na Biblioteca Joanina

IMG_8234

Universidade de Coimbra

IMG_3251

Universidade de Coimbra

IMG_8264

Detalhes da Universidade de Coimbra

Dei uma volta pelo Rio Mondego, o rio onde fica o parque verde do Mondego, às margens do rio, e é conhecido também como complexo verde do Mondego. Ocupa uma área de 400.ooo metros quadrados dedicados exclusivamente  ao lazer e às atividades esportivas. Também tem restaurantes logo ao lado do rio, onde pode comer típica comida de Coimbra.

De lá pasmem fomos para o supermercado comprar umas coisinhas. Quem disse que isso não é um programão em Portugal? Compramos vários vinhos bons e com bom preço, produtos que só encontramos em Portugal e até livro. 🙂 Escolhemos ir no Continente, que é grande, farto e barato, se comparar com os supermercados da Espanha.

IMG_8196

Quem já leu?

Visitamos também o Restaurante e Cervejaria Praxis, considerado por muitos um dos melhores de Coimbra. Porém, confesso que não me surpreendeu em nada. Pedi um bacalhau que estava bem mais ou menos mais pra menos e meu marido pediu uma francesinha, prato típico do Porto. Mas confesso que a cerveja é boa! Recomendo a ida não pra jantar, mas pra beliscar algo e provar as cervejas artesanais, que são produzidas por eles mesmo. OBS: Nós do Brasil estamos a frente dos nossos companheiros lusos nessa questão: não estranhe se estiver dentro de um restaurante e alguém começar a fumar do seu lado. Lá é permitido! péssimo. Endereço: Urb. Quinta da vaizea Lote 29 Santa Clara, 3040-380, Coimbra, Portugal.

IMG_8132

Francesinha: Prato típico do Porto

IMG_8121

Cerveja artesanal | Praxis Coimbra

IMG_8136

Qualidade de foto zero, eu sei, mas dá pra ver mais ou menos quanto gastei…

Nossa estadia em Coimbra foi curta e de lá seguimos viagem para Fátima, a menos de 90km.

E vocês? Já foram a Coimbra?

Beijos!

Ainda não sabe onde se hospedar em Coimbra? Leia aqui.

Onde comer em Fátima – Portugal

Os italianos que me desculpem, mas a melhor comida da Europa pra mim é a portuguesa. Não sei se porque na casa da minha família prezam muito mais um bom bacalhau do que um prato de massas, cresci assim e a influência da cozinha portuguesa pesou bastante. Em Fátima não poderia ser diferente e comi muito bem lá em dois lugares que foram uns “achados”, pois são simples por fora e não chama atenção de quem passa, mas que ao conhecer superam bastante as expectativas. Na realidade descobrir onde comer em Fátima não é trabalho nenhum. 😀

IMG_8300

Logo ao chegar estacionamos o carro perto do Monumento aos Pastorinhos e logo encontramos o Só na Brasa Restaurante. Esse simpático lugar, gerido por administração familiar, é um ótimo lugar para quem quer desfrutar da legítima comida portuguesa feita por portugueses. Como não poderia deixar de ser, pedi bacalhau, que estava ótimo: nem salgado nem sem sal, posta grossa e regada no azeite português. Para acompanhar, legumes no vapor. Porém, antes que vocês pensem que minha comida estava muito saudável, chegou uma cestinha de pães quentinhos e macios tão bons que comprei pra levar. 😀 (onde vejo pão bom compro e levo pra Madrid, já que os padeiros da capital espanhola dispensam comentários negativos).

IMG_8277

Restaurante Sonabrasa

IMG_8279

Restaurante Sonabrasa

IMG_8272_Fotor

Queijo de vaca e ovelha curado do Alentejo, muito bom!

IMG_8271_Fotor

Entradas

Nos trouxeram também queijo da região do Alentejo, que estava ótimo e acabamos pedindo mais um. Como não estava friozinho e eu não gosto de vinho no calor, dispensei o vinho e bebi chá gelado de pêssego. De sobremesa pedi pudim de leite, óbvio né? Não quando já se está há quase um ano sem comer. Localização: Edifício Azinheira/Rotunda Sul, em frente ao Monumento dos Pastorinhos.

IMG_8275

Quanto gastar no Restaurante Sonabrasa (nós éramos 5 pessoas)

IMG_8282_Fotor

Restaurante Sonabrasa

Eu fui também em um outro MUITO bom para jantar. Também de administração familiar, descobrimos o local por acaso quando estávamos andando para buscar o carro. O local chama-se Restaurante Stop, localizado na Estrada Principal de Fátima, em frente a uma área de estacionamento de carro.

Juro que foi o atendimento mais rápido que já vi. Acredito que fomos os primeiros clientes do restaurante naquela noite, e só tinha uma senhora sozinha atendendo. Poucos minutos depois a cozinha estava cheia dos familiares dela que ela chamou para que a ajudassem. Fomos atendidos então por uma menina bem simpática, que acho que era neta da proprietária.

Pedimos para comer bolinho de bacalhau, mas como de costume nos serviram uns maravilhosos pães quentinhos com azeite e poucos minutos depois o bolinho já estava pronto: sequinho, crocante e bem recheado de bacalhau. Sem dúvidas um dos melhores bolinhos que já comi na vida! E o preço, gente? Um absurdo de barato! (6€/prato).

IMG_8417

Pensei que era uma porção de bolinho de bacalhau… e olha o que veio além do bolinho! rs

IMG_8418

Conta

E vocês? Tem alguma sugestão sobre o que comer na cidade?

Um beijo!

 

Continue lendo: O que fazer em Fátima.

O que fazer em Fátima

Ainda na continuação da viagem de carro, seguimos de Coimbra para Fátima. Conhecer Fátima foi excelente! Que cidade mágica e abençoada! A cidade gira em torno do Santuário e do comércio central, então pra lá que fomos. 😀

Fomos primeiramente almoçar num restaurante que foi um verdadeiro achado! Ótimo e no próximo post vou falar dele.

Já de barriguinha cheia, fomos caminhar pelo centro da cidade, e me surpreendi com a quantidade de pessoas circulando, carros, ônibus de turismo e vans de peregrinos. Gente, como estava movimentado! No caminho até a igreja entrei em inúmeras lojinhas de souvenir e achei os produtos bem baratos e com boa qualidade. Já falei pra vocês que adoro o artesanato português? 🙂

IMG_8308_Fotor

Centro de Fátima

Depois de uma caminhadinha cheguei ao Santuário de Fátima. Imagina um santuário enorme, agora multiplica por dois, pois é… é maior! Não era dia festivo nem nada, apenas um domingo qualquer e a cidade estava fervilhando, e o santuário mais ainda! O tempo não estava muito amigo e pouco depois de chegar ao Santuário, a chuva resolveu cair e corri para dentro do centro de informações sobre o Santuário e recomendo muitíssimo a ida até lá. As funcionárias são muito atenciosas e tiram qualquer dúvida que você tenha sobre os milagres, sobre a aparição de Nossa Senhora e sobre o ocorrido em Fátima. Além disso, no local tem um livro encadernado com as histórias bem detalhadas. Por ali fiquei um bom tempo refletindo e lendo…

Após cair a chuva assisti à missa na Capelinha das Aparições, capela essa que foi erguida de acordo com um pedido de Nossa Senhora para um dos pastorinhos. A capelinha foi inaugurada no ano de 1919 e sofreu ataques de dinamites posteriormente, porém foi reconstruída no mesmo ano. O pedestal onde se encontra a imagem de Nossa Senhora, marca o local exato onde estava a pequena árvore sobre a qual Ela apareceu aos pastorinhos em 13 de Maio, Junho, Julho, Setembro e Outubro de 1917.

IMG_8344_Fotor

Missa na Capelinha das aparições

A capela é um local de aparência simples mas com uma energia positiva muito forte. Confesso que fiquei emocionada ali ao poder ver a fé de tantas pessoas, de todos os lugares do mundo, em participar da missa, ter um momento dedicado ao Senhor e brilho nos olhos de esperança por um mundo melhor. Vi muitos pais acompanhando filhos visivelmente doentes, pessoas chegando de joelhos para pagar promessa e até pessoas de outras religiões. A leitura do dia tornou meu dia mais especial ainda e me emocionei mais uma vez.

Após a missa fui conhecer o Túmulo dos Pastorinhos, pois a Igreja estava fechada para reforma com previsão de abertura somente em dezembro de 2015.

IMG_8340

Horário das Missas

IMG_8338

A visita ao Túmulo não é paga e o local requer silêncio, então nada de chegar lá tirando fotos loucamente atrapalhando as pessoas que estão orando. No local estão os túmulos dos três pastorinhos: Lúcia, Jacinta e Francisco.

IMG_8336_Fotor

Túmulo dos Pastorinhos

De lá fui conhecer a Basílica da Santíssima Trindade, que fica do outro lado da Basílica de Nossa Senhora do Rosário. Essa é mais simples, moderna e tem capacidade para 8.633 pessoas sentadas (!). A decoração é inspirada na arte bizantina e ortodoxa.

IMG_8376_Fotor

Detalhe da fachada da Basílica da Santíssima Trindade

IMG_8379

Basílica da Santíssima Trindade

De lá desci as escadas para conhecer um pouquinho mais sobre os milagres ocorridos na cidade. Estava tendo uma exposição (gratuita) sobre as revelações de Nossa Senhora para os pastorinhos. A exposição está muito bem organizada e detalhada de forma que o visitante entenda tudo o que se passou. Relatos manuscritos, impressos, vídeos, etc. Os pastorinhos foram três crianças portuguesas que viveram e testemunharam as 6 aparições de Fátima, ocorridas entre 1916 e 1917. O relato destas aparições permaneceu em segredo até 1937, ano em que a Irmã Lúcia divulgou pela primeira vez.

Irmã Lúcia via, ouvia e falava com a aparição, Jacinta via e ouvia e Francisco apenas via, mas não a ouvia. As aparições repetiram-se nos cinco meses seguintes e seriam portadoras de uma mensagem ao mundo. Em 13 de Outubro de 1917 a aparição disse-lhes ser a Nossa Senhora do Rosário. Se tiverem um pouco de curiosidade, recomendo muito a leitura completa do texto sobre as aparições, que são grandes e não caberiam nesse post (é de arrepiar!).

IMG_8397_Fotor

Exposição “Segredo e Revelação”

IMG_8402_Fotor

Relatos da Irmã Lúcia

IMG_8411_Fotor

O Segredo de Fátima

IMG_8408_Fotor

Amém!

390px-Newspaper_fatima

Jornal da época sobre o Milagre de Fátima | Fonte: Wikipedia

Recomendo muito uma visita a Fátima, lugar abençoado. Não tem como não se sentir em paz nesse lugar. 🙂 Se puderem, não deixem de visitar o Museu de Cera, que conta sobre as aparições de forma mais visual. Acredito que seja uma boa opção de apresentar o milagre para crianças, que entenderiam mais fácil esse acontecimento tão magnífico. (Ingresso adulto: 7,50€).

E vocês? Já foram a Fátima?

Um beijo!

 

Continue lendo: Onde comer em Fátima

Portugal: Região do Algarve e seus encantos

Embarquei nessa trip pro Algarve por acaso: meu marido havia viajado a trabalho e eu não estava nem um pouco a fim de ficar sozinha em Madrid muito tempo. Por sorte, uma grande amiga que mora em Coimbra estava indo pro Algarve com a família dela e eu fui no bolo. 😀

Vou basicamente descrever o que fiz nesses 4 dias que passei por lá, então vamos lá!

COMO CHEGAR NO ALGARVE DESDE LISBOA

Comprei na hora o bilhete do comboio (trem) na Estação do Oriente que me levou até Albufeira, uma das cidades da região do Algarve. É possível comprar bilhete de primeira classe (assento mais espaçoso) e de segunda classe (assento menos espaçoso) – e basicamente essa é a diferença. Apesar de ser verão europeu, o vagão do trem que eu fui estava bastante vazio, e eu vim sozinha nas poltronas da minha fileira. Preço (segunda classe): 20,20€. Duração: 2:58h. Distância percorrida: Aproximadamente 260km. Para comprar a passagem online, clique aqui. OBS: Fique atento às estações, pois o destino final do trem é a cidade de Faro, Albufeira é somente uma das paradas. Cuidado para não descer na estação errada.

Há a possibilidade de ir de avião também até a cidade de Faro, mas o preço costuma ser altíssimo. Pra terem uma ideia, uma passagem partindo de Lisboa custava 142€ (só ida!). Porém, se ainda assim interessar, a companhia Tap faz o trajeto em 45 minutos (vôo direto).

Pode-se chegar também de autocarro (ônibus) pela Rede Nacional de Expressos a um custo de 19,50€/trecho.

Como viram, as opções são muitas, só não pode deixar de ir! 😀

O QUE FAZER NO ALGARVE

Essa região está localizada no Sul de Portugal, extremo ocidental da Europa e possui a Costa banhada pelo Oceano Atlântico. São várias as cidades (concelhos) que compõe o Algarve e eu vou me ater a falar somente das que eu fui:

– ALBUFEIRA

Esse lugar só visitei à noite. Assim que cheguei no Algarve fui passear pelo Centro da cidade: muita gente, muita badalação, muitas famílias, muito turista e muito português. Era uma mistura imensa! Até caipirinha preparada por brasileiros tinha por lá. Caminhei bastante pelas ruelas do centro e PASMEM – meu celular estava descarregado e eu não tinha levado câmera. Por sorte minha amiga fez uns cliques nossos e me mandou.

Como a fome era muita, fomos procurar algum lugar para jantar e o escolhido foi o Restaurante a Ruína, localizado junto à Praia dos Pescadores. O restaurante fica no alto e tem uma vista maravilhosa da praia, e um ventinho de desestressar qualquer um. Gostei muito desse lugar, não só pela comida como pela localização. Pedimos uma típica sardinha portuguesa (10€/por pessoa) com vinho verde (15€ garrafa). Segundo minha amiga que mora em Portugal a conta não foi barata, mas achei que valeu muito a pena.

IMG_4107

Sardinha portuguesa, tá servido?

IMG_4111

Colocando as fofocas em dia!

Depois de matar a fome, fomos caminhar pelo centrinho que é recheado de bares, baladas e lojinhas. Mas gente, como é lotado! Até pra estacionar o carro foi bem difícil, mas o passeio foi ótimo. Entramos em alguns barzinhos pra ouvir música, colocar as fofocas em dia (e tinham muitas!) e tomar umas imperiais.

Depois de um longo dia de viagem Madrid – Lisboa e Lisboa – Algarve eu realmente estava cansada. Decidimos ir pra casa e descansar porque no outro dia teríamos praia!!! 😀

– LAGOA

Nesse concelho visitei a Praia do Carvalho, acessível através de uma escada bem grande e uma caverninha bem estreita. Sem ondas, sem bagunça, sem sujeira, mais parecia uma piscina natural bem gelada. E claro que eu tomei banho no mar! É questão de honra mergulhar em cada praia que vou. 😀 Se for visitar o lugar, recomendo que leve sua canga, seu guarda-sol e seu isopor caso queira tomar algo gelado. Não tem nada pra vender no local, nem água. Então vá equipado e esqueça o tempo passar. Isso que fizemos, ficamos umas boas horas só colocando os papos em dia, mergulhando e admirando a terrível paisagem do local.

IMG_6430

Caminho até chegar à praia

IMG_4125

Praia do Carvalho

IMG_4133

Praia do Carvalho

IMG_4123

Minha amiga portuguesinha!

Em outro dia, visitamos a Praia da Marinha, que segundo o Guia Michelin, é uma das 10 mais belas praias da Europa (haja responsabilidade!). O local é realmente de tirar o fôlego de tão bonito! Caminhamos pelo alto da falésia até o miradouro para poder olhar a paisagem do alto e quando já estávamos quase derretendo de calor, descemos a longa escadaria. O mar também é calmo, como uma piscina, e segue o mesmo padrão da anterior: sem comércio, sem bagunça, apenas com o barulho do mar e das pessoas falando. Ótimo lugar. 😀 OBS: O acesso também é somente através de escada.

IMG_6709

Siga as placas e seja feliz!

IMG_6718

Bela praia da Marinha e suas falésias 

IMG_4256

Praia da Marinha

IMG_6731

Praia da Marinha: água clara e BEM gelada…rs

Em outro dia fomos para a Praia da Senhora da Rocha, porém não ficamos tanto tempo assim lá. A grande atração de destaque foi o passeio de barco que contratamos. Fizemos um passeio de 1h que nos levou  a várias praias acessíveis somente pelo mar, inclusive até a belíssima caverna de Benagil. Dica: PECHINCHE muito. Conseguimos um barco por 50€ (éramos 3 adultos e 2 crianças). Durante o passeio passamos pela Praia Grande, Fontainha, Gruta de Draga, Arco do Triunfo, Praia da Marinha, etc.

Outra opção de lazer é alugar jet ski, canoa e outros esportes aquáticos.

IMG_6480

Esportes aquáticos

IMG_6648

O barquinho que alugamos

IMG_6519

Passeio de barco

IMG_4231

Benagil: Simplesmente lindo!

IMG_4240

Benagil

IMG_6607

Cavernas de Benagil

IMG_6517

Não parece um submarino?

IMG_6541

Arco do Triunfo

IMG_4216

E passamos até por uma praia de nudismo! (não que seja preciso ir pra uma praia de nudismo pra tirar a roupa, pelo menos topless em toda praia tem!)

IMG_6571

Passeio de barco

IMG_6546

Nesse momento quase me jogo de cabeça no mar de tão bonito que é!

IMG_4198

Cara de boba!

OBS: Durante o passeio de barco deixamos nossos pertences na areia da praia, saímos e retornamos 1h depois e lá estavam nossas coisas: intactas! Com esse relato acho que não preciso mais discorrer sobre o quesito segurança nesse lugar né?

– ARMAÇÃO DE PÊRA

Armação de Pêra é um lugar legal pra sair no cair da tarde e à noite, com muitas opções de bares e restaurantes, opção de lazer pra famílias com crianças e até pra quem curte malhar ao ar livre com uma bela paisagem.

IMG_6745

Fim de tarde em Armação de Pêra

IMG_6759

Assim dá até gosto de malhar né? (não)

IMG_4274

Praia de Armação de Pêra

IMG_6692

Armação de Pêra à noite

IMG_6697

Pensa que sabe falar português? Então me diga o que é prego no pão? Hahaha

– VILAMOURA – LOULÉ

Vilamoura pertence ao concelho de Loulé e é o maior complexo de luxo do país. No local possui marina, cinco campos de golfe, discotecas, clube de tênis e mergulho e muitos hotéis estrelados. No fim de semana que eu estava lá, Paris Hilton também estava! rs. Lá é o típico local pra ver e ser visto. Achei tudo muito bonito e organizado, mas vale ressaltar que só visitei à noite, pois minhas amigas queriam ir para uma discoteca e lá fomos nós…

IMG_6786

Marina de Vilamoura

Depois de pegar bastante trânsito no local (imagina todo mundo do Algarve querendo curtir a noite de Vilamoura?), conseguimos estacionar o carro e seguir. Nossa primeira parada foi o The Irish Pub Vilamoura, localizado de frente pra marina. A garçonete que nos atendeu era brasileira e logo de cara já percebi o sotaque carioquíssimo. O atendimento foi bem bacana, e batemos um bom papo com as meninas que serviam. Ficamos do lado externo do pub, mas tínhamos a opção de ficar dentro, onde tinha uma banda de rock tocando bem legal. O tempo foi passando e então emendamos para uma disco que nos indicaram chamada Água Moments, que rivalizava com a Seven, cujo proprietário é o cunhado do Cristiano Ronaldo e claro que o jogador também já passou por lá.

IMG_6822

Discoteca em Vilamoura

IMG_6825

Discoteca em Vilamoura

As baladas de Portugal são um tanto quanto estranhas. Não há placa indicando preço de entrada e você só sabe exatamente quando tem que pagar literalmente na entrada, perguntando. E eles ditam o preço de acordo com o que acham que devem ao olhar para a sua cara. Para algumas pessoas vi cobrando 12€, para outras 20€. O preço das bebidas nas baladas é BEM salgado. Pra ter uma ideia, um chopp (imperial, em Portugal) de no máximo 200ml custava 5€, e um simples vinho de no máximo 150ml custava 6€… – e essas eram as bebidas mais baratas. Não sei se é caro mesmo, pois não costumo frequentar baladas, mas eu achei bem carinho. Ou será que eu que tô por fora? (a chance é grande!).

Essa balada que fomos era metade coberta e metade a céu aberto, com uma piscina tamanho médio no meio. Tinha uma decoração bem clean & white e iluminação bem bacana. Rolava um som legal e a galera era bem animada. Mas como eu não curto mais disco, não senti aqueeeela empolgação. Mas pra quem gosta, é um prato cheio!

Dicas para as amigas solteiras: Segundo ouvi de amigas que moram em Portugal, a rapaziada portuguesa é BEM diferente da do Brasil. Os gajos são discretos, conversam até morrer pra aí então talvez pedir seu telefone. Não espere desencalhar numa balada, a não ser que tenha algum brasileiro por lá. Um fato curioso na disco que estávamos é que um cara teve a iniciativa e se aproximou da minha amiga (solteira) e quando ela perguntou de onde ele era, ele era de Salvador… hahahaha.

Eu, particularmente, acho isso bacana. Parece que os portugueses (em geral) são mais respeitosos com a mulher e não vemos aquela pegação-como-se-o-mundo-fosse-acabar que tem no Brasil. Ponto pros portugueses.

Vimos o sol raiar nessa festa e então seguimos pra casa… no outro dia já íamos embora pra Lisboa e eu de lá, pra Madrid.

Dicas & mais curiosidades:

– Se você gosta de vinho, não deixe de fazer umas comprinhas em alguns dos supermercados da região. Comprei uns bons vinhos de presente para o meu marido e não gastei mais que 15€ em 4 garrafas. Na ocasião, fui no supermercado Pingo Doce.

– Nem só de bacalhau vive Portugal. Não comi muito na rua nessa viagem, pois tinha uma senhora portuguesa na casa que era uma cozinheira de mão cheia, assim como a mãe da minha amiga. Comi além do bacalhau, salmão, amêijoas, camarão e até picanha nessa viagem. Não deixe também de tomar uma boa sangria. 😀

IMG_6662

Amêijoas: Só eu imagino o quão melhor ficaria se fosse feito no tucupi?

– Eu fui para o Algarve de trem mas voltei de carro e é possível pegar um caminho sem pedágio. Apesar da economia do pedágio, o percurso é mais demorado e por pouco não perco meu ônibus pra Madrid (no meio do caminho tivemos que pegar a auto-estrada pra eu chegar a tempo).

– De todos os lugares que já visitei na Europa, achei Portugal o segundo mais barato – isso porque fui para o Algarve, que é uma região considerada cara do país. Ah, só não desbancou a Grécia no quesito baixo preço. Meu bolso está ansioso para a próxima viagem a Portugal, que terá outros destinos.

– Idioma. Sim, nós falamos o idioma deles, mas é BEM diferente. Não espere entender com taaanta facilidade o que eles dizem, pois é bem carregado. Talvez eu não tenha estranhado mais porque eles falam “chiando” e também usam o “tu” com bem mais frequência do que o “você” – e isso já estou bem familiarizada. Mas confesso que algumas horas não entendia bulhufas de nada do que a senhorinha que estava na casa falava (ela é do Porto), mas eu dizia que não entendia e ela pacientemente repetia (muito fofa!).

– Se você está acostumado a viajar de carro pela Europa notará que as estradas de Portugal são bem inferiores às da Espanha, por exemplo. Claro que ainda assim são boas, mas eu não pude deixar de observar a notável diferença.

– Se você gosta de artesanato e de porcelana, vai se encantar com Portugal! É uma coisinha mais linda que a outra!

IMG_6677

Artesanato português

Enfim, adorei conhecer o Algarve e essa viagem só me fez aumentar ainda mais a vontade de conhecer outros lugares do país! Recomendadíssimo!

Beijos!

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE